×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 22 de maio de 2022

Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo Bolsonaro

Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo BolsonaroFoto: Rafaela Felicciano - Metrópoles

Das 10 siglas com mais representação no Executivo, três são de esquerda, duas de centro-direita, uma de extrema direita e quatro do Centrão

Gabriela Vinhal - Metrópoles - 03/05/2020 - 06:45:16

Após 14 anos de poder, o PT saiu da Presidência da República, que foi ocupada por Jair Bolsonaro (sem partido), alinhado à ala mais extrema da direita brasileira. Entretanto, o partido da esquerda não deixou completamente o Executivo. Levantamento do Metrópoles mostra que, entre os comissionados do Estado e os servidores, a sigla petista predomina entre os filiados políticos em serviço do governo federal.

A legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principal antagonista de Bolsonaro, reúne ao menos 528 comissionados na Esplanada dos Ministérios, o que equivale a 12,37% do total de funcionários da mesma categoria. Os números podem ser ainda maiores.

Isso porque o (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, mapeou todos os membros de partidos políticos do país e o quadro de servidores. Foram excluídos, contudo, casos de homônimos. Por isso, o cruzamento indica o número mínimo de filiados no Executivo.

Os números de filiados estão bem divididos entre 32 partidos políticos. Entre as primeiras 10 siglas, três são de esquerda, duas de centro-direita, uma da extrema direita e quatro do Centrão.

No universo de comissionados, a reportagem incluiu tanto aqueles funcionários com funções ou cargos de confiança, além daqueles com diferentes tipos de contratação, como com carteira assinada e, portanto, subordinados à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Aliança com governo
A segunda sigla com mais integrantes no governo é o MDB, que concentra 500 comissionados filiados – 11,71%. Atrás da sigla do ex-presidente Michel Temer está o PSDB, com 391 membros.

Os partidos do tradicional Centrão, que atualmente negociam cargos com Bolsonaro que busca tê-los na sua base no Congresso Nacional, são menos representados. O presidente da República, contudo, nega que esteja tentando aproximação.

A legenda do bloco com o maior número de comissionados filiados é o PP, na quarta posição. O líder do partido na Câmara, deputado Arthur Lira (PP), tornou-se o mais novo aliado do chefe do Planalto. A legenda tem 250 filiados no governo.

Na quinta posição está outro partido de esquerda. O PDT contabiliza 230 integrantes no Executivo, seguido do DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com 204. Na sequência, foi registrado outro partido do Centrão.

O PTB, cujo presidente é o ex-deputado Roberto Jefferson, condenado no escândalo do mensalão, tem 192 filiados. É seguido por PSB, com 187; PSL, ex-partido de Bolsonaro, e PL, outro partido do Centrão que indicará filiados ao governo, ambos com 169 membros no governo.

Comentários para "Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo Bolsonaro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Projeto da ONU busca preservar a floresta amazônica no Maranhão

Projeto da ONU busca preservar a floresta amazônica no Maranhão

Unep Grid Arendal/Riccardo Pravettoni Plantações na Amazônia brasileira

Crise climática pode ser combatida com monetização de reflorestamento

Crise climática pode ser combatida com monetização de reflorestamento

Brasil tem vantagem competitiva com créditos de carbono

“É difícil lidar com um sistema que engessa a gente”, diz curadora indígena que deixou o Masp

“É difícil lidar com um sistema que engessa a gente”, diz curadora indígena que deixou o Masp

Sandra Benites pediu demissão do museu depois que seis fotos sobre o MST e a luta indígenas foram vetadas de uma mostra

Como os indígenas preservam o pirarucu

Como os indígenas preservam o pirarucu

Comunidades adotam o plano de manejo que gera renda e salva o gigante amazônico da extinção

Santa Catarina é destaque na geração de empregos no país

Santa Catarina é destaque na geração de empregos no país

Ampla oferta não garante contratação imediata

Pandemia evidencia violação de direitos humanos na agropecuária

Pandemia evidencia violação de direitos humanos na agropecuária

Antes da crise sanitária, 19,2% do total de pessoas empregadas na América Latina já estava em emprego rural

Biogás ganha protagonismo no setor de energia do Brasil através de investimentos e novas regulações

Biogás ganha protagonismo no setor de energia do Brasil através de investimentos e novas regulações

Segundo associações de gás brasileiras, 25 novas usinas têm orçamento de mais de R$ 55 bilhões para, até 2030, ofertar 30 milhões de m3/dia do combustível. O biogás também é uma alternativa para volatilidade do preço do óleo diesel.

Mais de 20% de médicos recém-formados migram para outros estados

Mais de 20% de médicos recém-formados migram para outros estados

'A migração interna de médicos é determinada por questões econômicas, sociais e demográficas, há fatores individuais e profissionais associados à decisão de mudar', afirma Mauro Ribeiro, presidente do CFM

Grupo MM fala dos desafios do mercado de eventos na retomada ao mundo presencial

Grupo MM fala dos desafios do mercado de eventos na retomada ao mundo presencial

O desafio agora, segundo Meire é reformatar o mercado, a partir das novas ferramentas e tecnologias que foram criadas durante a pandemia

Ibama remove servidor que investigou maus tratos a girafas no RJ; Categoria denuncia retaliação

Ibama remove servidor que investigou maus tratos a girafas no RJ; Categoria denuncia retaliação

Mudança de cargo foi determinada por militar indicado por Bolsonaro; servidores veem desmonte da fiscalização

Projeto visa criar florestas economicamente sustentáveis

Projeto visa criar florestas economicamente sustentáveis

No projeto, o planejamento de restauro das florestas originais das comunidades atendidas já foi iniciado.