×
ContextoExato
Responsive image

Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo Bolsonaro

Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo BolsonaroFoto: Rafaela Felicciano - Metrópoles

Das 10 siglas com mais representação no Executivo, três são de esquerda, duas de centro-direita, uma de extrema direita e quatro do Centrão

Gabriela Vinhal - Metrópoles - 03/05/2020 - 06:45:16

Após 14 anos de poder, o PT saiu da Presidência da República, que foi ocupada por Jair Bolsonaro (sem partido), alinhado à ala mais extrema da direita brasileira. Entretanto, o partido da esquerda não deixou completamente o Executivo. Levantamento do Metrópoles mostra que, entre os comissionados do Estado e os servidores, a sigla petista predomina entre os filiados políticos em serviço do governo federal.

A legenda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principal antagonista de Bolsonaro, reúne ao menos 528 comissionados na Esplanada dos Ministérios, o que equivale a 12,37% do total de funcionários da mesma categoria. Os números podem ser ainda maiores.

Isso porque o (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, mapeou todos os membros de partidos políticos do país e o quadro de servidores. Foram excluídos, contudo, casos de homônimos. Por isso, o cruzamento indica o número mínimo de filiados no Executivo.

Os números de filiados estão bem divididos entre 32 partidos políticos. Entre as primeiras 10 siglas, três são de esquerda, duas de centro-direita, uma da extrema direita e quatro do Centrão.

No universo de comissionados, a reportagem incluiu tanto aqueles funcionários com funções ou cargos de confiança, além daqueles com diferentes tipos de contratação, como com carteira assinada e, portanto, subordinados à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Aliança com governo
A segunda sigla com mais integrantes no governo é o MDB, que concentra 500 comissionados filiados – 11,71%. Atrás da sigla do ex-presidente Michel Temer está o PSDB, com 391 membros.

Os partidos do tradicional Centrão, que atualmente negociam cargos com Bolsonaro que busca tê-los na sua base no Congresso Nacional, são menos representados. O presidente da República, contudo, nega que esteja tentando aproximação.

A legenda do bloco com o maior número de comissionados filiados é o PP, na quarta posição. O líder do partido na Câmara, deputado Arthur Lira (PP), tornou-se o mais novo aliado do chefe do Planalto. A legenda tem 250 filiados no governo.

Na quinta posição está outro partido de esquerda. O PDT contabiliza 230 integrantes no Executivo, seguido do DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com 204. Na sequência, foi registrado outro partido do Centrão.

O PTB, cujo presidente é o ex-deputado Roberto Jefferson, condenado no escândalo do mensalão, tem 192 filiados. É seguido por PSB, com 187; PSL, ex-partido de Bolsonaro, e PL, outro partido do Centrão que indicará filiados ao governo, ambos com 169 membros no governo.

Comentários para "Nem direita, nem Centrão: PT tem mais comissionados no governo Bolsonaro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório