×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de setembro de 2021

No pré-pandemia, Angola subiu em 19 anos a expectativa de vidaFoto: Divulgação

No pré-pandemia, Angola subiu em 19 anos a expectativa de vida

Setor da saúde teve aumento de cerca de 10% de pessoal no primeiro ano da Covid-19; governo quer baixar pobreza multidimensional para 27%, metade do nível atual; aumento da representação de mulheres nas estruturas de tomada de decisão

Onu News - 14/07/2021 - 22:20:14

A expectativa de vida em Angola cresceu 19 anos entre 2000 e 2019. Em média, os cidadãos do país passaram a viver de 42 para 61 anos durante o período, anunciou a ministra de Estado para Área Social, Carolina Cerqueira.

Na apresentação do Relatório Nacional Voluntário no Fórum de Alto Nível sobre o Desenvolvimento Sustentável, as autoridades ressaltaram que o Índice de Desenvolvimento Humano subiu de 0,400 para 0,581 pontos no mesmo período.

Especialistas

Mas a crise de saúde, aliada à queda do preço do petróleo, obrigou a tomar medidas excepcionais para mitigar os efeitos em comunidades, famílias e negócios. Angola é um dos maiores produtores mundiais do recurso.


Diante do desafio da pandemia, o setor de saúde aumentou cerca de 10% de pessoal para 77.419 profissionais. Entre os recém-contratados estão médicos, enfermeiros, especialistas de diagnóstico, técnicos gerais e de apoio hospitalar.




“No mesmo ano, o país atingiu 5.581 novas camas, o que reforçou a capacidade de internamento em unidades de saúde, permitindo também a quarentena e tratamento de pacientes Covid-19, que foi reforçado com seis hospitais de campanha espalhados em Luanda e outras regiões do país.”




Outro marco importante para a saúde em Angola foi o aumento em cobertura de testes de HIV em mulheres grávidas de 46% em 2019 para 62% em 2020. No mesmo ano, o acesso ao tratamento antirretroviral esteve a um ponto percentual a menos do dobro: cresceu de 36% em 2018 para 71% no ano passado.


A ministra destacou ainda que para promover o desenvolvimento, Angola quer consolidar a democracia e o Estado de Direito, combater a corrupção, a lavagem de dinheiro, os crimes e a impunidade.

Prioridades

Melhorar o ambiente de negócios, diversificar economia e reformar o Estado também fazem parte das prioridades mencionadas por Cerqueira, apesar dos efeitos adversos da pandemia.

Funcionário de saúde de Angola recebe vacina através da iniciativa Covax

Unicef/COVAX/Carlos César

Funcionário de saúde de Angola recebe vacina através da iniciativa Covax

O país também destacou êxitos no aumento da representação de mulheres nas estruturas de tomada de decisão e em formulação de políticas.

A ministra afirmou que, atualmente, as mulheres encontram-se representadas em 29,6% no Parlamento. No governo central, a presença feminina em cargos de liderança é de 39%.

“12% das secretárias de Estado são mulheres; 22,2% dirigem os governos provinciais diretos, 19,5% são vice-governadoras, 25,6% dirigem administrações municipais e 27,4% ocupam cargos diplomáticos”.

Pobreza

No setor judiciário, mais de um terço dos cargos na magistratura do Ministério Público são ocupados por mulheres. Elas representam 38% dos funcionários do setor 31% dos advogados.

Metas do governo considera dar primazia à erradicação da fome e pobreza 

Metas do governo considera dar primazia à erradicação da fome e pobreza

No relatório apresentado ao Conselho Econômico e Social, Ecosoc, a ministra ressaltou que mesmo com a subida verificada na crise, o plano é reduzir o elevado índice de pobreza.

Até 2030, a meta é ter menos de 27% da população na pobreza multidimensional a nível nacional, ou metade da atual taxa de 54%.

Carolina Cerqueira acrescentou que a cobertura da proteção social corresponde a cerca de 7% da população, destacando o peso dos trabalhadores informais.

Os planos do governo consideram como alvos a erradicação da fome e pobreza e em áreas como educação, saúde, igualdade de gênero, proteção social, justiça, direitos humanos e meio ambiente.

Criança de dois anos come uma pasta nutricional depois de ser testada para desnutrição em Angola

Criança de dois anos come uma pasta nutricional depois de ser testada para desnutrição em Angola

Comentários para "No pré-pandemia, Angola subiu em 19 anos a expectativa de vida":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório