×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Nome da nova Boeing-Embraer exclui brasileira e confirma soberania da americana

Nome da nova Boeing-Embraer exclui brasileira e confirma soberania da americanaFoto: Divulgação

Após a fusão com a Boeing, nome da Embraer sumiu da nova empresa de aviação comercial, que se tornou Boeing Brasil

Por Beatriz Manfredini - Brasil Econômico-portal Ig - 24/05/2019 - 22:05:16

Segundo especialistas, o nome Boeing Brasil - Commercial atesta que acordo entre aéreas nunca se tratou de uma joint venture, mas sim de uma aquisição.

O nome da nova empresa de aviação comercial conjunta, criada da parceria firmada entre as aéreas Boeing e Embraer, gerou grandes críticas entre especialistas na área e a população brasileira.

Isso porque a escolha do nome Boeing Brasil – Comercial foi vista por parte da população como a efetivação do 'fim' da Embraer , algo que já era previsto por alguns desses especialistas .

Ao retirar a marca da Embraer do novo nome, a Boeing oficializa sua soberania no acordo firmado, que permitiu que a americana ficasse com 80% da área de aviação comercial da companhia brasileira, a quem restou apenas 20%.

Joint venture?

O coordenador do Laboratório de Estudos das Indústrias Aeroespaciais e de Defesa da Unicamp, Marcos José Barbieri Ferreira, explica que, dada a divisão de controle, a exclusão da companhia brasileira da nova marca não é uma surpresa. "Eles foram honestos. Para a Boeing, agora, a Embraer é a sua unidade no Brasil. Poderia ser a Boeing Carolina do Norte, Boeing St, Louis... Essa é a Boeing Brasil ", diz.

Ele ressalta que a tendência é que, com a soberania da Boeing dentro da fusão , a unidade brasileira se torne algo complementar, e não mais de desenvolvimento de projetos. "A Embraer deve se tornar muito mais parecida com uma fábrica, uma montadora de automóvel. É só refletir um pouco o que ocorreu com a operação: mostra claramente que isso nunca foi uma joint venture."

Ferreira afirma, ainda, que chamar o acordo de joint venture - que na prática é uma parceria entre duas empresas - era só "um argumento para justificar a venda da principal área da Embraer, um atenuante para cobrir a real operação de aquisição."

Leia também: Latam, Gol e Avianca criticam volta de bagagem gratuita

Para Alan Kuhar, professor de marketing do curso de Administração da ESPM-SP, a discrepância também é simples de entender. "Não é uma joint venture , é uma aquisição. Para se ter uma joint venture , a diferença de percentual de propriedade é muito pequena, normalmente algo entre 51% e 49%", explica.

Assim, segundo ele, a divisão entre 80% e 20% mostra claramente o objetivo da companhia aérea norte-americana: complementar sua linha de aviação com uma maior gama de produtos. "A Boeing quis complementar, incorporar mais produtos em seu portfólio. Não precisa ser um gênio para saber quem vai tomar as decisões da empresa: a quantidade de cadeiras da Boeing é muito superior", afirma.

Escolha do nome

Além da porcetagem de controle muito superior da Embraer, Kuhar lembra que a escolha do nome Boeing Brasil - Commercial também se deve à força da aérea americana no mundo. "A Embraer é um orgulho para os brasileiros, é nossa empresa de referência em tecnologia de ponta, mas o nome Boeing, no mundo, é muito mais forte. Então, para os compradores, é interessante que a nova empresa traga a maior marca, também", diz.

Além disso, outro fator que contribui na escolha do nome é justamente a Boeing querer fazer uma complementação de seus serviços, e não começar algo novo. "Um movimento de compra e incorporação de empresa, de complementação, mesmo, é muito mais simples do que fazer um projeto do zero", lembra.

Leia também: Anac suspende operações da Avianca no Brasil

Apesar da dissociação do nome da Embraer , pelo menos nessa área comercial, o professor ressalta a utilização de Brasil com "s", como na grafia em português, e não com "z". "É uma forma de dizer que cotinua com o pé no Brasil, o jeito sutil de explicar que a empresa mantém a brasilidade, para não parecer uma subsidiária. Mantém a identidade do País", comenta.

Link deste artigo: https://economia.ig.com.br/empresas/2019-05-24/nome-da-nova-boeing-embraer-exclui-brasileira-e-comprova-soberania-da-americana.html

Fonte: Economia - iG @ https://economia.ig.com.br/empresas/2019-05-24/nome-da-nova-boeing-embraer-exclui-brasileira-e-comprova-soberania-da-americana.html

Comentários para "Nome da nova Boeing-Embraer exclui brasileira e confirma soberania da americana":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Conheça o projeto-piloto “Viver Brasília: uma perspectiva internacional”

Conheça o projeto-piloto “Viver Brasília: uma perspectiva internacional”

Ação vai resultar em exposição de fotos feitas pelos embaixadores durante percurso feito pela capital federal

Jardim Botânico de Brasília realizará 2ª Feira de Orquídeas de 2021

Jardim Botânico de Brasília realizará 2ª Feira de Orquídeas de 2021

O preço do ingresso para visitação ao JBB é R$ 5 por pessoa.

Chuvas em outubro se aproximam da média histórica no DF

Chuvas em outubro se aproximam da média histórica no DF

Chuvas de outubro já se aproximam da média histórica para o mês do DF

Ponto facultativo do Dia do Servidor será em 1° de novembro

Ponto facultativo do Dia do Servidor será em 1° de novembro

Unidades responsáveis por atendimentos essenciais devem garantir a prestação ininterrupta dos serviços

Câmara Legislativa terá ciclo de exposições de trabalhos artísticos de pessoas com deficiência

Câmara Legislativa terá ciclo de exposições de trabalhos artísticos de pessoas com deficiência

A Câmara Legislativa já abrigou diversas exposições organizadas em parceria com seu Conselho Curador de Cultura

Descartar resíduos corretamente é bom pra todo mundo

Descartar resíduos corretamente é bom pra todo mundo

Lixo corretamente separado vai para cooperativas, onde é processado e reutilizado, evitando superlotação em aterros

Produções culturais femininas são destaque da agenda cultural no DF

Produções culturais femininas são destaque da agenda cultural no DF

Espetáculo “Melodrama de Xicaxaxim” é protagonizado pela atriz e palhaça Paula Sallas

Galeria dos Estados receberá Feira aos domingos

Galeria dos Estados receberá Feira aos domingos

Espaço vai oferecer arte, cultura, turismo e economia criativa para a população do Distrito Federal

Bicicletas compartilhadas têm boa aceitação do público nos primeiros dias

Bicicletas compartilhadas têm boa aceitação do público nos primeiros dias

Para retirar a bicicleta da estação, basta escolher o tipo de corrida no aplicativo, pagar pelo celular e liberar a bike apontando o celular para o QR Code próximo ao guidão|

MST lança loja online de alimentos agroecológicos e orgânicos no DF

MST lança loja online de alimentos agroecológicos e orgânicos no DF

Vendas online serão abertas oficialmente neste sábado, 16

Documentação Urbanística amplia acesso ao público

Documentação Urbanística amplia acesso ao público

Sistema oferece diversas informações aos usuários