×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

O Brasil contra o mundo

O Brasil contra o mundoFoto: Pixabay

País não pode cometer erros da natureza daqueles cometidos pela ala lunática do governo

Estadão Conteúdo - 09/04/2020 - 09:25:32

Ou seja, no momento em que a cooperação é imprescindível, muitos países se insularam ainda mais, na base do cada um por si, pondo em risco mesmo blocos consolidados, como a União Europeia, ou então a relação histórica entre EUA e alguns de seus aliados tradicionais.

Mas a emergência causada pela pandemia vem obrigando mesmo os EUA a abandonar momentaneamente sua atitude agressiva pelo menos em relação à China. Depois de ter chamado o novo coronavírus de “vírus chinês”, Trump, diante do avanço da covid-19 em seu país, teve de telefonar para o presidente da China, Xi Jinping, para estabelecer “estreita colaboração” – palavras do presidente norte-americano – no combate à epidemia. Não à toa: a China é o principal fabricante mundial de equipamentos e materiais hospitalares necessários para enfrentar o vírus, e os EUA, por sua vez, são hoje o principal foco da epidemia.

Se mesmo a maior economia do mundo entendeu ser necessário adotar o pragmatismo para lidar com a pandemia de covid-19, nada explica que o Brasil, cuja economia é apenas uma fração da norte-americana, se permita provocar os chineses numa hora dessas.

Primeiro, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, disse que “a culpa” pela epidemia “é da China”. Depois, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, numa publicação de teor preconceituoso nas redes sociais, sugeriu que a China se beneficia com a crise. Tudo isso em meio à dificuldade para obter equipamentos médicos chineses para combater a epidemia e diante da necessidade óbvia de manter aberto o mercado chinês para os produtos brasileiros, essencial para a recuperação do País.

Para sorte do Brasil, contudo, o governo Bolsonaro não se limita à ala lunática representada pelos filhos do presidente e pelos ministros “ideológicos”, quando não pelo próprio Bolsonaro. Há uma parte que faz o exato oposto, procurando reforçar as pontes com o exterior, em particular com a China, como lembrou, em entrevista ao Estado, o embaixador Sérgio Amaral.

“De um lado, o governo constrói, com a ministra Tereza Cristina (da Agricultura), o lado do agronegócio. Na área de infraestrutura, o ministro Tarcísio de Freitas desenvolveu projetos grandes que podem aumentar a produtividade”, comentou o embaixador. O problema, diz Sérgio Amaral, é que, “se de um lado o governo constrói, do outro destrói” – e isso num momento de grave retração do comércio mundial, que já vinha ocorrendo antes da epidemia e que agora tende a se acentuar.

Países como o Brasil não podem cometer erros dessa natureza. Até Bolsonaro, a diplomacia brasileira se pautava por nutrir boas relações com todo o mundo, justamente por não ter a força das grandes potências nem poder se permitir fechar portas. Hoje, o alinhamento incondicional aos EUA limita o horizonte comercial brasileiro e ameaça nossa posição até mesmo em mercados já conquistados.

Nesse sentido, o Itamaraty, como enfatizou Sérgio Amaral, está sendo incapaz de coordenar os interesses dos Ministérios na área externa, exatamente porque também está imerso na ideologia deletéria que move Bolsonaro e seus assessores aloprados. Por isso, quando acabar a epidemia, vaticina o diplomata, “o Brasil sairá enfraquecido”, carente de reformas e com um governo movido a complexo de perseguição: “O mundo não está contra o Brasil, nós é que estamos contra o mundo”.

Comentários para "O Brasil contra o mundo":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Pauta do ano coloca Supremo Tribunal Federal novamente em evidência, apontam especialistas

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, quem recebe a vacina contra a covid leva um livro para casa

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Em ato simbólico, xavante de 8 anos de Piracicaba recebeu imunizante

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Decisão pode ser revista caso prefeitura revise planejamento

Confirmado segundo caso de Candida auris em Pernambuco

Confirmado segundo caso de Candida auris em Pernambuco

Anvisa trata o caso como o terceiro surto do superfungo no país

Vacina brasileira contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez

Vacina brasileira contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez

Estudo clínico aplicará o imunizante em 90 voluntários

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Essa grandiosidade em termos de acesso à justiça, também vem ao encontro da morosidade com o que cidadão tem que enfrentar, em função ao tempo de decisão com relação a um processo

Estados voltam a ter medidas restritivas com aumento de casos de covid

Estados voltam a ter medidas restritivas com aumento de casos de covid

Aumento no número de infectados é resultado da variante Ômicron

Funai abandona proteção de um terço das terras indígenas, inclusive onde há isolados

Funai abandona proteção de um terço das terras indígenas, inclusive onde há isolados

Placa de demarcação crivada de balas na Terra Indígena Uru Eu Wau Wau em Rondônia

Comunidades do Ceará temem desastre ambiental com exploração da maior jazida de urânio do país

Comunidades do Ceará temem desastre ambiental com exploração da maior jazida de urânio do país

Novo pedido de licenciamento ambiental para explorar a jazida de Itataia está nas mãos do Ibama

Família de ambientalistas é assassinada a tiros no Sul do Pará

Família de ambientalistas é assassinada a tiros no Sul do Pará

A família de ambientalistas foi assassinada a tiros no Pará. Os motivos ainda são desconhecidos pela polícia