×
ContextoExato

O exemplo de Portugal e a segunda onda da rica ilha de Cingapura

O exemplo de Portugal e a segunda onda da rica ilha de CingapuraFoto: CorreioWeb

Atenção, governador!

Correioweb - 17/04/2020 - 09:59:34

Quem diria que Portugal daria exemplo para o resto da Europa e do planeta pela gestão, pelo menos até agora, da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Os portugueses, como ocorreu no DF, agiram rapidamente com confinamento da população, fechamento das escolas e comércio, ruas vazias, seguindo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Com 45 dias de surto, Portugal tem menos casos confirmados (18.841) do que a vizinha Espanha tem de mortos (19.314). Menos também do que a Itália que contava, ontem, mais de 22 mil mortos. E isso não se deve a subnotificações. Portugal é o quarto país que mais testa. São todas soluções que o governador Ibaneis Rocha (MDB) tem adotado no DF. E, como Portugal já fala em “transição progressiva” do confinamento para a abertura a partir de maio, Ibaneis se prepara para encerrar o isolamento com o fim do prazo de 3 de maio definido em decreto para o funcionamento do comércio, parques, shoppings, academias e salões de beleza. Para isso, no entanto, precisa colocar em prática o plano de testar grande parte da população.

A segunda onda

É com os erros e acertos de outras experiências que o Brasil deve se espelhar. Considerada modelo de sucesso no combate à disseminação do novo coronavírus, a rica ilha de Cingapura foi citada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) como inspiração. Mas isso ocorreu antes da recaída. Aparentemente controlada, a pandemia de Covid-19 voltou preocupar e o número de casos a aumentar depois que o isolamento social foi relaxado. Atenção, governador!

Comentários para "O exemplo de Portugal e a segunda onda da rica ilha de Cingapura":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório