×
ContextoExato

O futuro pede passagem. Grupo equilibrado preocupa o treinador

O futuro pede passagem. Grupo equilibrado preocupa o treinadorFoto:

Maior torneio das categorias de base do país começa na quarta-feira. DF será representado por duas equipes, que apostam na experiência dos treinadores para fazer bonito em busca de um título inédito.

Por João Romariz* - Correio Braziliense - 31/12/2018 - 09:12:18

Campeão local nesta temporada, o Ceilândia será comandado por Leonardo Roquete, que participa pela terceira vez da competição
Apesar das dificuldades previstas, Marquinhos Carioca espera surpreender com o Legião  (Lucas Bolzan/Divulgação
)
Apesar das dificuldades previstas, Marquinhos Carioca espera surpreender com o Legião


A virada de ano dá a largada para a nova temporada do futebol brasileiro. Antes de os times profissionais entrarem em campo, a Copa São Paulo Júnior abre os torneios do esporte bretão no país. Na 50ª edição do campeonato, Legião e Ceilândia desembarcam na terra da garoa como representantes do DF para tentar fazer bonito na maior competição de base do Brasil.


O campeonato conhecido por revelar joias para o mundo abre a nova temporada a partir de quarta-feira. Alguns dos maiores jogadores brasileiros no cenário internacional se destacaram na copinha. Neymar, Gabriel Jesus, Vinícius Júnior, Roberto Firmino, entre outras estrelas, começaram no torneio. Na última edição, o Flamengo venceu o São Paulo (1 x 0) e conquistou o tetracampeonato. Em 2019, os 128 times foram divididos em 32 grupos com quatro clubes cada.


Os dois times do DF apostam em treinadores experientes para levar os garotos, nascidos até 1999, longe na competição. Campeão do Candanguinho em 2018, o Ceilândia viaja sob o comando de Leonardo Roquete, 32 anos, jovem na idade, mas preparado para a terceira Copa São Paulo. Em 2014, levou o Capital para o mesmo torneio e, em 2017, comandou o elenco do Paranoá. “Tenho certeza de que essa bagagem de Copa SP vai ajudar os meninos a chegarem tranquilos em Andradina-SP. Enfrentaremos um grupo forte, mas podemos passar fazendo bons jogos”, disse Leonardo.


O Ceilândia se prepara para o torneio desde o início de outubro. O time do Distrito Federal estreia no torneio diante do Ceará, na quinta-feira. Além dos rivais nordestinos, Ponte Preta e Andradina completam o Grupo 1.


Com dois clubes conhecidos no cenário nacional, o técnico Roquete cita o ‘macete’ para o time avançar de fase. “Estreamos contra o Ceará, no jogo mais importante do grupo. Um resultado positivo pode nos dar uma ótima condição de classificação, mas, se perdermos, vai complicar. A conta é não chegar contra a Ponte Preta (último jogo) precisando ganhar. Queremos alcançar a última rodada classificados”, calculou Leonardo.


Outra preocupação do jovem treinador é o aspecto mental dos atletas para uma competição desta envergadura, sabendo que o sonho dos jovens está em jogo. “Eu tenho de mostrar para eles que devem abrir mão de algumas coisas, de estar com a família, com os amigos. Nessa idade, a família cobra muito para conseguirem um emprego e ajudar em casa. Em relação a esse lado pessoal, o cuidado é até maior do que em campo”, disse o treinador.


*Estagiário sob a supervisão de Fernando d’Amarelo

“Eu tenho de mostrar para eles que devem abrir mão de algumas coisas. Nessa idade, a família cobra muito. Em relação a esse lado pessoal, o cuidado é até maior do que em campo”
Leonardo Roquete, técnico do Ceilândia

128 times
Total de participantes da 50ª edição da Copa SP de Futebol Jr.


Tabela de jogos

Primeira fase

Grupo 1 (Andradina)
Quinta-feira
16h Ceará x Ceilândia

Domingo
13h45 Andradina x Ceilândia

9/1
13h45 Ceilândia x Ponte Preta

Grupo 5 (Osvaldo Cruz)
Quinta-feira
16h Atlético-GO x Legião

Domingo
13h45 Osvaldo Cruz x Legião

9/1
13h45 Legião x Mirassol

“O fato de não ter um clube de Série A ou B pode deixar nossa situação mais difícil. Podemos chegar longe. Vamos brigar, eu tenho de acreditar no meu time. Se eu não o fizer, quem vai?”
Marquinhos Carioca, técnico do Legião

Grupo equilibrado preocupa o treinador


Aos 52 anos, Marquinhos Carioca é ex-jogador e tem bastante experiência no comando de times na capital do país. Dirigiu clubes, como Dom Pedro, Ceilandense e Cruzeiro, mas foi no Brasília onde ele mais se destacou, com o vice-campeonato regional em 2009. Em 2018, o Legião foi vice no Candanguinho e embarcou na tarde de domingo rumo a Osvaldo Cruz-SP, para o confronto de estreia contra o Atlético-GO, na próxima quarta-feira.


O Legião, no Grupo 5, encara Atlético-GO, Mirassol-SP e Osvaldo Cruz-SP. Marquinhos Carioca mostrou preocupação pelo equilíbrio da chave. “Muita gente disse que o sorteio nos favoreceu, mas o fato de não ter um clube de Série A ou B pode deixar nossa situação mais difícil. São quatro times do mesmo nível brigando por duas vagas. Preferiria ter um time grande na disputa”, comentou o treinador.


Sobre o elenco montado para a disputa da Copinha, Marquinhos enaltece a maturidade dos atletas diante da pouca idade. “Nosso elenco tem entre 18 e 19 anos. Achei que fosse ter mais trabalho com eles, mas estão se comportando muito bem. Fizemos amistosos em Minas Gerais e contra times profissionais do DF, apresentando um desempenho excelente. A mescla da minha experiência com a vontade deles pode render bons frutos”, comentou Carioca.


Jaime Corso, coordenador de futebol do clube, comentou sobre a expectativa para a competição. “Sabemos das limitações, mas podemos passar da fase de grupos e, talvez, de um ou dois mata-matas”, espera o dirigente. O treinador tem pretensões mais elevadas. “Respeito a opinião dele (Jaime), mas podemos chegar longe. Vamos brigar, eu tenho de acreditar no meu time. Se eu não o fizer, quem vai?”, provocou Carioca. ( JR

Comentários para "O futuro pede passagem. Grupo equilibrado preocupa o treinador":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório