×
ContextoExato

O poder do auto-engano

O poder do auto-enganoFoto:

O Serviço Único de Saúde (SUS) é um caos, mas especialistas insistem em dizer que ele é uma referência para o mundo, embora tenham plano de saúde e não precisem ficar um mês com o braço quebrado esperando por uma cirurgia

Por Fátima Baldez - 24/01/2019 - 15:15:11

O Serviço Único de Saúde (SUS) é um caos, mas especialistas insistem em dizer que ele é uma referência para o mundo, embora tenham plano de saúde e não precisem ficar um mês com o braço quebrado esperando por uma cirurgia.


O policial civil WS teve de recorrer a um empréstimo porque, acidentado a serviço de um órgão público, ficou uma semana na enfermaria do hospital da cidade, inclusive ao lado de um criminoso, e não chegou sua vez de fazer a cirurgia. Correndo o risco de perder os movimentos da mão, recorreu a um empréstimo e fez a operação em um hospital privado.


Ele, no entanto, mesmo tendo sido vítima do sistema, defende mais verbas para o SUS, porque passou a vida de militante de esquerda aprendendo isso e defender esse ponto de vista é uma virtude. Minha comadre R., que Deus a tenha, ficou seis meses sem tomar o remédio para tratamento de câncer porque, apesar das astronômicas verbas que o sistema consome todo ano, não havia o medicamento na rede pública de saúde. Ela morreu defendendo o SUS.


A cabeleireira C. conseguiu ser atendida seis meses depois que marcou a consulta, mas ai de quem falar mal do SUS perto dela. A professora N., em cinco anos de carreira, já apresentou 10 atestados médicos, mas se considera uma excelente educadora, diz que a educação é um sacerdócio e nasceu para essa missão.


Os servidores públicos adoram festas de confraternização, mas nunca marcam para o sábado. O evento tem de coincidir com o horário de trabalho, porque ninguém é de ferro. O mês de dezembro é praticamente perdido em comes e bebes, mas todos se acham indispensáveis ao mundo.


As pessoas passam o tempo todo enganando as outras e se auto-enganando. Até certo ponto isso é positivo, porque ninguém suportaria viver a realidade nua e crua, mas torna-se farsa quando a vida se transforma numa completa ilusão.


Para Eduardo Giannetti, “O problema é que as mentiras que nos contamos não trazem seu nome verdadeiro estampado na fronte. É preciso, por isso, analisar os caminhos que nos levam até elas: encontraremos aí a origem de grandes conquistas e alegrias, mas também dos sofrimentos que muitas vezes causamos a nós mesmos e às pessoas que nos cercam”.

Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e escritor.

Comentários para "O poder do auto-engano":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório