×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 25 de janeiro de 2022

Opas diz que Brasil deve intensificar isolamento social para conter pandemia

Opas diz que Brasil deve intensificar isolamento social para conter pandemiaFoto: Diogo Moreira/Governo de São Paulo

Estado de São Paulo, no Brasil, tem o maior número de casos de coronavírus no país.

Onu News - 23/05/2020 - 11:48:55

Em entrevista à ONU News, vice-diretor da Organização Pan-Americana da Saúde, e especialista em epidemiologia, Jarbas Barbosa, acredita que intensidade da contaminação com a Covid-1 deve durar até início de junho, no Brasil, com base em modelos e cálculos realizados pela agência da ONU.

O aumento no número de casos de contaminação com o novo coronavírus, no Brasil, pode ser contido com mais isolamento social.

A recomendação é do vice-diretor-geral da Organização Pan-Americana da Saúde, o médico brasileiro Jarbas Barbosa.

Ao todo, a Opas já enviou mais de 500 mil kits de teste para as Américas. Foto: Opas Barbados/Brenda Lashley

Análise criteriosa

Nessa entrevista à ONU News, por videoconferência, Barbosa alertou sobre o risco da quantidade de novos casos superarem a capacidade do sistema de saúde de responder à demanda.

Segundo ele, a forte onda de contaminação deve seguir até a primeira semana de junho, com base nos modelos e cálculos da Opas.

“Nessa situação, a única medida capaz de frear e reduzir a velocidade de transmissão é o distanciamento social. Seguramente, que em cada estado do Brasil, essa realidade pode ser um pouco diferente. Por isso é importante uma análise criteriosa do número de casos novos, que estão acontecendo todos os dias, monitorar também a ocupação dos leitos da UTI, uso de respiradores mecânicos, porque se se deixa a transmissão ocorrer de maneira natural, sem nenhum tipo de redução da velocidade, o número de casos que é produzido vai superar a capacidade dos leitos de UIT, de respiradores e pessoas vão morrer.”

Estados

O vice-diretor da Opas contou que além do Brasil, outros países latino-americanos estão enfrentando um aumento “muito rápido” no número de casos como Equador, Chile, Peru e México.

Jarbas Barbosa, que tem mais de 40 anos de experiência em medicina e políticas de saúde pública, afirma que a situação do Brasil é diferente nos vários estados, mas que a prioridade agora é conter o avanço da contaminação com as medidas acertadas.

“Particularmente, nós da Organização Pan-Americana da Saúde, estamos prestando apoio técnico ao Ministério da Saúde do Brasil exatamente para que essas medidas sejam mais efetivas, que a gente consiga reduzir a velocidade de transmissão e sair o mais rápido possível desse momento intenso de transmissão que alguns estados do Brasil passam.”

ONU Guyana

A Opas oferece treinamento em testes de covid-19 para especialistas de laboratório na Guiana.

Estados Unidos e Índia

O especialista da Organização Pan-Americana da Saúde afirma que qualquer cálculo e projeção do avanço da doença depende do sucesso do distanciamento social e que deve haver um monitoramento para avaliar como a população está aderindo às medidas.

Nesta quinta-feira, o número de casos de contaminação com o novo coronavírus, no mundo, ultrapassou a marca de 5 milhões.

Estados Unidos, Brasil e Índia estão entre as nações com o maior número de notificações da Covid-19.


Leia a íntegra de um trecho da entrevista:

Que medidas específicas que o Brasil deve tomar para reduzir o número de casos?

O Brasil, assim como vários outros países na América Latina, nesse momento, como Peru, Equador, Chile, México estão experimentando um crescimento muito rápido no número de casos. Nessa situação, a única medida capaz de frear e reduzir a velocidade de transmissão é o distanciamento social. Seguramente, que em cada estado do Brasil, essa realidade pode ser um pouco diferente. Por isso é importante uma análise criteriosa do número de casos novos, que estão acontecendo todos os dias, monitorar também a ocupação dos leitos da UTI, uso de respiradores mecânicos, porque se se deixa a transmissão ocorrer de maneira natural, sem nenhum tipo de redução da velocidade, o número de casos que é produzido vai superar a capacidade dos leitos de UIT, de respiradores e pessoas vão morrer. Isso é muito importante, este monitoramento. Tomar as medidas adequadas. Se o distanciamento social não está funcionando, verificar como se pode aumentar a adesão da população para que se consiga diminuir esta velocidade o mais rápido possível.

Tendo em conta, a evolução da pandemia no Brasil, quando acredita que a curva deve começar a baixar?

Nós trabalhamos com modelos matemáticos, mas esses modelos têm a finalidade apenas de servir para o planejamento do número de leitos necessários, da quantidade dos profissionais de saúde e o número de respiradores mecânicos. Com base nesses modelos, se estima que essa transmissão mais forte vai continuar até a primeira semana de junho. Mas isso depende, claro, do sucesso das medidas de distanciamento social. Particularmente, nós da Organização Pan-Americana da Saúde, estamos prestando apoio técnico ao Ministério da Saúde do Brasil exatamente para que essas medidas sejam mais efetivas, que a gente consiga reduzir a velocidade de transmissão e sair o mais rápido possível desse momento intenso de transmissão que alguns estados do Brasil passam.

Comentários para "Opas diz que Brasil deve intensificar isolamento social para conter pandemia":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
UBS 1 da Asa Sul abre drive-thru noturno para vacinação de adultos

UBS 1 da Asa Sul abre drive-thru noturno para vacinação de adultos

A Unidade Básica de Saúde 1 da Asa Sul passa a oferecer, a partir desta segunda (24), vacinação para adultos em drive-thru, das 18h às 22h

Campanha de castração de cães e gatos abre 3,2 mil vagas gratuitas no DF

Campanha de castração de cães e gatos abre 3,2 mil vagas gratuitas no DF

DF abre 3,2 mil vagas na primeira etapa da Campanha de Castração de Cães e Gatos

Combate à dengue no DF ganha reforço para regiões onde há mais mosquitos

Combate à dengue no DF ganha reforço para regiões onde há mais mosquitos

Em reunião no Palácio do Buriti, a Subsecretaria de Vigilância em Saúde apresentou as notificações de 800 casos prováveis de dengue na primeira quinzena de janeiro na capital

Taxa de transmissão da Covid-19 alcança a máxima já registrada no Distrito Federal

Taxa de transmissão da Covid-19 alcança a máxima já registrada no Distrito Federal

Taxa de transmissão da covid-19 no DF alcança 2,61 e iguala a máxia já registrada desde o início da pandemia

Reservatórios cheios, mas atenção precisa ser redobrada!

Reservatórios cheios, mas atenção precisa ser redobrada!

Níveis do Descoberto e de Santa Maria são ideais, mas especialistas apelam pelo uso consciente de água, visando o período de estiagem

Roubo de tampas de bocas de lobo causa prejuízo ao DF de quase R$ 400 mil

Roubo de tampas de bocas de lobo causa prejuízo ao DF de quase R$ 400 mil

É preciso denunciar esse tipo de crime e quem vir um bueiro sem tampa deve entrar em contato com a administração de sua RA ou com a Novacap, pelo 162

Sintomas parecidos, doenças diferentes e a busca do diagnóstico

Sintomas parecidos, doenças diferentes e a busca do diagnóstico

Atualmente, a vacina contra a influenza está disponível para grupos prioritários de pessoas com idades acima de 60 anos, privadas de liberdade e imunodepressivos, além de pessoas com comorbidades |

Como precaução, Detran-DF adia passeio ciclístico

Como precaução, Detran-DF adia passeio ciclístico

O evento seria realizado no próximo domingo ( 23), em Samambaia

Biblioteca Pública de Brasília reabre reformada

Biblioteca Pública de Brasília reabre reformada

Localizado nas entrequadras 312/313, o espaço de 313 metros quadrados nasceu da mobilização popular

Distrito Federal começa a vacinar crianças de 6 e 7 anos contra a Covid-19

Distrito Federal começa a vacinar crianças de 6 e 7 anos contra a Covid-19

Público receberá a primeira dose da vacina CoronaVac; vacinação também abrange crianças a partir dos 8 anos, adolescentes e adultos

Eletricitários realizam ato em Brasília contra a privatização da Eletrobras

Eletricitários realizam ato em Brasília contra a privatização da Eletrobras

A empresa, que é responsável por 30% da geração e 50% da transmissão de energia elétrica no país, foi incluída no PND em 2017, ainda no governo de Michel Temer.