×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de janeiro de 2022

Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul

Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do SulFoto: Reprodução/Polícia Federal

Investigação aponta que Organização Social contratada para gerenciar o Hospital Regional do Vale do Rio Pardo subcontratou empresas para superfaturar contratos

Estadão Conteúdo - 27/05/2020 - 18:35:36

A Operação Camilo prendeu, nesta quarta-feira, 27, 15 pessoas suspeitas de desviar R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul . A ação, que cumpriu também 61 mandados de busca e apreensão, recolheu R$ 400 mil e bloqueou bens móveis e imóveis dos investigados.

A investigação que levou à operação de hoje aponta que a Organização Social contratada, em outubro de 2017, para gerenciar o Hospital Regional do Vale do Rio Pardo, no município cerca de 140 quilômetros da capital, Porto Alegre, subcontratou empresas para desviar os recursos repassados pela União e pelo governo do estado através de contratos superfaturados e da não execução de parte das obrigações contratuais – que incluem limpeza e sanitização hospitalar, radiologia, exames de imagem e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

As provas coletadas pelos investigadores indicam a existência de um esquema criminoso que inclui gestores da Organização Social, empresas privadas e servidores públicos.

De novembro de 2017 a fevereiro deste ano, foram destinados ao hospital cerca de R$ 60 milhões em recursos federais e estaduais. Desse valor, R$ 30 milhões foram repassados pela Organização Social às empresas subcontratadas. Metade do montante, ou seja R$ 15 milhões, teria sido desviado através do superfaturamento dos contratos.

Agentes cumpriram 61 mandados de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. Foto: Divulgação/Polícia Federal

No período de enfrentamento ao coronavírus, o repasse foi de R$ 3,3 milhões, à uma empresa investigada, para a construção de dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no hospital. As obras estão em andamento, contudo, segundo os investigadores, o projeto elaborado pela Organização Social para recebimento da verba pública, que resultou na contratação, é impreciso e não apresenta levantamentos prévios de custos.

Hospital Regional do Vale do Rio Pardo. Foto: Reprodução/Polícia Federal

Uma força-tarefa formada pela Polícia Federal, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, Ministério Público Federal e Ministério Público do Rio Grande do Sul cumpriu as medidas judiciais expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região e pela Justiça Estadual de Rio Pardo (RS) no âmbito de uma investigação que apura crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção passiva, organização criminosa, ocultação de bens, crime de responsabilidade e desobediência. Os mandados foram cumpridos nos municípios gaúchos de Porto Alegre, Rio Pardo, Butiá, Canoas, Capela de Santana, Gravataí, Cachoeirinha, São Leopoldo, Guaíba, Portão, Cacequi e São Gabriel, nas cidades paulistas de São Paulo e São Bernardo do Campo, na cidade do Rio de Janeiro, e em Florianópolis e São José, no estado de Santa Catarina.

Documentos, celulares e carros de luxo também foram apreendidos. Foto: Divulgação/Polícia Federal

O nome da operação guarda relação com o santo da Igreja Católica “São Camilo de Lellis”, intercessor dos enfermos e profissionais de saúde.

Comentários para "Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
2022 será ano determinante para a liberdade

2022 será ano determinante para a liberdade

Students for Liberty Brasil vê 2021 como período em que o liberalismo retrocedeu, apontando grandes desafios para este ano

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do "Caribe Amazônico" em Alter do Chão

Faixa de areia separa águas barrentas e claras no balneário turístico de Alter do Chão (PA)

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Inscrição é gratuita e pode ser feita pela internet

Belém adia volta presencial às aulas na rede pública de ensino

Belém adia volta presencial às aulas na rede pública de ensino

Após contaminação de professores por covid-19, retorno será gradual

Covid-19: Estados começam a enviar informações sobre vacinação ao STF

Covid-19: Estados começam a enviar informações sobre vacinação ao STF

Suprema Corte pediu detalhes sobre vacinação de menores

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Rede de Sementes do Xingu já recuperou mais de 6 mil hectares de floresta na bacia do rio Xingu e Araguaia

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Em Minas Gerais, as fortes chuvas elevam o risco do rompimento de barragens com rejeitos da mineração, a exemplo do que aconteceu nas cidades de Mariana, em 2015, e de Brumadinho, em 2019

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Mônica Calazans, enfermeira e primeira vacinada no Brasil

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Fotografia tirada após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, que matou 272 pessoas

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Cerca de 50 categorias pedem reajustes de 20% a 28%

"A luta dos povos indígenas é uma luta válida e importante para todo o povo"

A Festa do Murici e Batiputá acontece entre os dias 12 e 15 de janeiro