×
ContextoExato
Responsive image

Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul

Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do SulFoto: Reprodução/Polícia Federal

Investigação aponta que Organização Social contratada para gerenciar o Hospital Regional do Vale do Rio Pardo subcontratou empresas para superfaturar contratos

Estadão Conteúdo - 27/05/2020 - 18:35:36

A Operação Camilo prendeu, nesta quarta-feira, 27, 15 pessoas suspeitas de desviar R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul . A ação, que cumpriu também 61 mandados de busca e apreensão, recolheu R$ 400 mil e bloqueou bens móveis e imóveis dos investigados.

A investigação que levou à operação de hoje aponta que a Organização Social contratada, em outubro de 2017, para gerenciar o Hospital Regional do Vale do Rio Pardo, no município cerca de 140 quilômetros da capital, Porto Alegre, subcontratou empresas para desviar os recursos repassados pela União e pelo governo do estado através de contratos superfaturados e da não execução de parte das obrigações contratuais – que incluem limpeza e sanitização hospitalar, radiologia, exames de imagem e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

As provas coletadas pelos investigadores indicam a existência de um esquema criminoso que inclui gestores da Organização Social, empresas privadas e servidores públicos.

De novembro de 2017 a fevereiro deste ano, foram destinados ao hospital cerca de R$ 60 milhões em recursos federais e estaduais. Desse valor, R$ 30 milhões foram repassados pela Organização Social às empresas subcontratadas. Metade do montante, ou seja R$ 15 milhões, teria sido desviado através do superfaturamento dos contratos.

Agentes cumpriram 61 mandados de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo. Foto: Divulgação/Polícia Federal

No período de enfrentamento ao coronavírus, o repasse foi de R$ 3,3 milhões, à uma empresa investigada, para a construção de dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no hospital. As obras estão em andamento, contudo, segundo os investigadores, o projeto elaborado pela Organização Social para recebimento da verba pública, que resultou na contratação, é impreciso e não apresenta levantamentos prévios de custos.

Hospital Regional do Vale do Rio Pardo. Foto: Reprodução/Polícia Federal

Uma força-tarefa formada pela Polícia Federal, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, Ministério Público Federal e Ministério Público do Rio Grande do Sul cumpriu as medidas judiciais expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região e pela Justiça Estadual de Rio Pardo (RS) no âmbito de uma investigação que apura crimes de fraude à licitação, peculato, corrupção passiva, organização criminosa, ocultação de bens, crime de responsabilidade e desobediência. Os mandados foram cumpridos nos municípios gaúchos de Porto Alegre, Rio Pardo, Butiá, Canoas, Capela de Santana, Gravataí, Cachoeirinha, São Leopoldo, Guaíba, Portão, Cacequi e São Gabriel, nas cidades paulistas de São Paulo e São Bernardo do Campo, na cidade do Rio de Janeiro, e em Florianópolis e São José, no estado de Santa Catarina.

Documentos, celulares e carros de luxo também foram apreendidos. Foto: Divulgação/Polícia Federal

O nome da operação guarda relação com o santo da Igreja Católica “São Camilo de Lellis”, intercessor dos enfermos e profissionais de saúde.

Comentários para "Operação Camilo prende 15 por desvio de R$ 15 milhões da Saúde no Rio Grande do Sul":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório