×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de maio de 2022

PF mira deputado Wilson Santiago por propinas de R$ 1,2 mi em obras de adutora no sertão na Paraíba

PF mira deputado Wilson Santiago por propinas de R$ 1,2 mi em obras de adutora no sertão na ParaíbaFoto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

O deputado Wilson Santiago (PTB-PB)

Estadão Conteúdo - 21/12/2019 - 13:01:57

A Polícia Federal deflagrou na manhã deste sábado, 21, a Operação Pés de Barro para apurar o pagamento de mais de R$1,2 milhão em propinas resultantes do superfaturamento das obras da Adutora Capivara, no sertão Paraibano . O deputado federal Wilson Santiago (PTB-PB) está entre os alvos da investigação e foi afastado do cargo por determinação do ministro Celso de Mello , do Supremo Tribunal Federal .

Cerca de 80 policiais federais cumprem 13 mandados de busca e apreensão, quatro de prisão preventiva, além de sete ordens de afastamento das funções públicas, nas cidades de João Pessoa, Uiraúna e São João do Rio do Peixe, na Paraíba, e em Brasília, no Distrito Federal.


Também estão entre os alvos da ação o prefeito de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes – que foi preso no âmbito da operação – e um funcionário do executivo municipal, Severino Batista.

Além deles, quatro assessores de Wilson Santiago e um empresário também são investigados na ‘Pés de Barro’.

Segundo a PF, as buscas são realizadas nas residências e nos locais de trabalho dos alvos. No caso de Santiago, a PF vasculhou o gabinete do deputado no anexo IV da Câmara, tendo deixado o local por volta de 11h30, carregando um malote e um CPU de computador.

Agentes da Polícia Federal deixam o anexo IV da Câmara dos Deputados carregando um malote e um CPU de computador aprendidos no gabinete do Deputado, Wilson Santiago ( PTB PB), na Operação Pés de Barro. Foto: Dida Sampaio / Estadão

As ordens foram expedidas pelo Ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, tendo em vista o foro por prerrogativa de função do deputado. O ministro determinou ainda a o bloqueio de bens imóveis dos investigados.

O inquérito policial federal foi baseado na colaboração premiada do empresário George Ramalho, da empresa Construção, Empreendimentos e Comércio, a Coenco, responsável pela construção do sistema adutor. O executivo foi preso em abril pela Operação Feudo, que investigava fraudes nas obras de saneamento básico do município de Ministro Andreazza, em Rondônia.

A PF informou que os investigados da ‘Pés de Barro’ podem responder pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude licitatória e formação de organização criminosa, cujas penas, somadas, ultrapassam 20 anos de reclusão.

Agentes da Polícia Federal deixam o anexo IV da Câmara dos Deputados carregando um malote e um CPU de computador aprendidos no gabinete do Deputado, Wilson Santiago ( PTB PB), na Operação Pés de Barro. Foto: Dida Sampaio / Estadão

Segundo a Polícia Federal, o nome da operação faz uma alusão a um termo bíblico que serve para identificar ‘falsos valores políticos’ e ‘líderes carentes de méritos intrínsecos’ na vida pública.

“Nabucodonosor, antigo rei da Babilônia, teve um sonho interpretado pelo profeta Daniel no qual uma grande estátua de ouro, cobre e prata desmoronara por ter os pés de barro. O termo ‘pés de barro’, então, passou a designar as riquezas cuja base não se sustenta do ponto de vista moral”, diz a corporação.

Obras da adutora Capivara. Foto: Prefeitura de Uirauna / Reprodução

As obras da Adutora Capivara foram contratadas inicialmente por R$ 24.807.032,95 e dizem respeito a construção de um sistema que deve se estender do município de São José do Rio do Peixe a cidade de Uiraúna, situados a cerca de 460 km de João Pessoa.

Segundo a PF, tais obras teriam permitido a distribuição de propinas no valor de R$ 1.266.050,67.

Foto: Reprodução

Natural de Uiraúna, o deputado Wilson Santiago participou da cerimônia da assinatura da ordem para construção da adutora, em abril de 2018. As obras foram retomadas em setembro deste ano, segundo a Prefeitura.

Na Câmara, Santiago está em seu terceiro mandato e, além disso, já foi senador. O parlamentar iniciou a carreira política como deputado estadual: o primeiro mandato, pelo PDT, foi de 1995 a 1999, o segundo, pelo PSDB, de 1999 a 2003. Foi posteriormente eleito deputado federal pelo PMDB duas vezes, em 2002 e 2006, quando foi líder da bancada do partido na Câmara.

Na atual legislatura, relatou duas propostas. A primeira que dava isenção tributária à comercialização de GLP para uso doméstico e a outra que regularizou o pagamento de dirigentes com recursos do fundo partidário.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO LUÍS HENRIQUE MACHADO, QUE DEFENDE WILSON SANTIAGO

“O deputado Wilson Santiago recebe com respeito e acatamento a decisão do Ministro Celso de Mello. Está absolutamente tranquilo e demonstrará, em momento oportuno, a inexistência de qualquer relação com os fatos investigados”.

COM A PALAVRA, O DEPUTADO WILSON SANTIAGO

“Na manhã de hoje fomos surpreendidos por Operação da Polícia Federal. A operação em questão foi baseada na delação do empresário George Ramalho, o qual foi preso em abril de 2019 na Operação Feudo. Segundo as informações preliminares, o delator iniciou no segundo semestre de 2019 a construção de um roteiro, que servisse como base para acordo que lhe favorecesse na operação que foi alvo de prisão. O delator busca a todo momento, construir relações que possam nos implicar de forma pessoal e criminalizar o trabalho parlamentar.

Fica evidente, que o delator usa um princípio jurídico que veio para ser um instrumento de promoção de justiça, como artifício para favorecimento pessoal e evitar condenação na Operação Feudo. Temos certeza que esse tipo ação criminosa será coibida. Não podemos aceitar que a ação política fique refém dessas práticas. Dessa forma, tomaremos as medidas cabíveis para que a verdade venha à tona, com o esclarecimento das questões objeto da investigação e nossos direitos sejam restabelecidos. Estamos a disposição da Justiça para colaborar em todo o processo.”

COM A PALAVRA, O PTB

“Sobre a Operação Pés de Barro, deflagrada neste sábado (21) pela Polícia Federal, na qual investiga a suposta participação do deputado federal Wilson Santiago em irregularidades em obras no interior do Estado da Paraíba, o Partido Trabalhista Brasileiro informa que acompanhará o andamento das investigações. Por fim, o PTB espera que Wilson Santiago consiga provar sua inocência.”

COM A PALAVRA, A CÂMARA DOS DEPUTADOS

Procurada, a Câmara dos Deputados não se manifestou.

COM A PALAVRA, OS DEMAIS INVESTIGADOS

A reportagem busca contato com a defesa dos demais investigados. O espaço está aberto para manifestações (pepita.ortega@estadao.com)

Comentários para "PF mira deputado Wilson Santiago por propinas de R$ 1,2 mi em obras de adutora no sertão na Paraíba":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia

Exportações de café solúvel do Brasil caem 4,7% devido ao conflito entre Ucrânia e Rússia

As vendas de café solúvel do Brasil no exterior caíram 4,7% no primeiro trimestre de 2022 devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia. A projeção anual de perdas no setor é de cerca de US$ 100 milhões (R$ 505,5 milhões), disse uma associação da indústria na sexta-feira (13).

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Brasileiro, porta-voz do Ocha, relata drama de ucranianos evacuados de Mariupol

Civis de Mariupol deixam região após mais de dois meses sitiados.

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Egito e Brasil começarão a negociar aumento de exportação de fertilizantes egípcios

Cairo assumiu o compromisso de dar prioridade às demandas de fertilizantes pedindo em contrapartida que tenha preferência no setor de exportação de frutas brasileiras.

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

Brasil 'está completamente perdido' em estratégia de semicondutores, diz economista

A crise dos semicondutores tem gerado diversos problemas à indústria brasileira, principalmente a automotiva. A Sputnik Brasil entrevistou especialistas e representantes do setor de semicondutores para discutir como o Brasil pode se proteger de crises futuras.

Helio Santos: “O dia 14 de maio de 1888 é o dia mais longo da nossa história”

Helio Santos: “O dia 14 de maio de 1888 é o dia mais longo da nossa história”

Ativista histórico contra o racismo alerta que a pauta nunca foi tratada de acordo com sua dimensão

Crise econômica gera êxodo de empresários para o exterior, diz especialista

Crise econômica gera êxodo de empresários para o exterior, diz especialista

Empresas veem futuro promissor fora do país

"Já temos sinais de uma nova onda de evasão de cérebros", afirma doutor em História da Ciência

Em entrevista, Olival Freire Júnior fala sobre o impacto do não investimento em ciência no Brasil

Apenas 64% das empresas no Brasil apostam em Compliance

Apenas 64% das empresas no Brasil apostam em Compliance

Contar com um advogado especializado em compliance é um diferencial

Projeto Creative SP vai levar 10 empresas para a Feira de Frankfurt

Projeto Creative SP vai levar 10 empresas para a Feira de Frankfurt

Dez empresas ou instituições paulistas vão poder participar da Feira do Livro de Frankfurt este ano dentro do projeto Creative SP.

Inflação de abril é a mais alta em 26 anos; acumulado de 12 meses, o maior em duas décadas

Inflação de abril é a mais alta em 26 anos; acumulado de 12 meses, o maior em duas décadas

Preços subiram em quase todos os itens avaliados; destaque para alimentos, gás, remédios e, novamente, combustíveis

Brasil não avançou no entendimento de quem financia fake news, diz pesquisadora

Brasil não avançou no entendimento de quem financia fake news, diz pesquisadora

“Seria importante que a Polícia Federal e o TSE se envolvessem”, segundo Flávia Lefèvre, do Intervozes