×
ContextoExato

Piores índices de desmatamento na Amazônia registrados pelo Deter são do governo Bolsonaro

Piores índices de desmatamento na Amazônia registrados pelo Deter são do governo BolsonaroFoto: © Foto / Hebert Rondon/Ibama

O Instituto Nacional de Estudos Espaciais (INPE) divulgou hoje (8) os alertas de desmatamento registrados pelo sistema Deter na Amazônia em dezembro, que atingiram 216 km² de floresta

Sputnik Brasil - 10/01/2021 - 14:58:14

A área é 14% maior do que a verificada no mesmo mês em 2019, ano em que foram registrados os piores índices, ao todo, com 9.178 km² de área devastada ao longo dos 12 meses. O balanço de 2020 fechou em 8.426 km², a segunda pior marca anual do sistema de monitoramento Deter, iniciado em 2015.

"Assim, os dois anos do governo [Jair] Bolsonaro consolidam o pior cenário de alertas detectado pelo sistema na região amazônica. A média dos três anos anteriores a sua posse (2016 a 2018) foi de 4.845 km². Já nos 24 meses de gestão Bolsonaro, a média anual foi de 8.802 km², um aumento de mais de 81%", disse o Observatório do Clima, por meio de nota, nesta sexta-feira (8).

A rede destaca que o mês de dezembro foi o sétimo da Operação Verde Brasil 2, que consiste na atuação do Exército Brasileiro no combate a queimadas e crimes ambientais na Amazônia. Mesmo com esse reforço, o desmatamento segue apresentando "números alarmantes" e os focos de calor na região fecharam 2020 com alta de 15%.

​"Bolsonaro tem dois anos de mandato e os dois piores anos de Deter ocorreram na gestão dele. As queimadas, tanto na Amazônia quanto no Pantanal, também cresceram por dois anos consecutivos. Não é coincidência, mas sim o resultado das políticas de destruição ambiental implementadas pelo atual governo", afirma o secretário-executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini, no comunicado enviado à Sputnik Brasil.

As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

Comentários para "Piores índices de desmatamento na Amazônia registrados pelo Deter são do governo Bolsonaro":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório