×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 25 de junho de 2022

Pressa para aprovar a polêmica Luos causa naturais desconfianças

Pressa para aprovar a polêmica Luos causa naturais desconfiançasFoto:

Por Helio Doyle - Portal Metrópoles - 29/11/2018 - 09:50:26

Com apenas oito de seus 24 integrantes reeleitos, a Câmara Legislativa pode aprovar na semana que vem um dos mais polêmicos projetos de toda a legislatura: a Lei de Uso e Ocupação do Solo, conhecida como Luos. Tanto o governador Rodrigo Rollemberg quanto seu sucessor, Ibaneis Rocha, pressionam os distritais para que a lei seja aprovada ainda neste ano, apesar da forte oposição de urbanistas, ambientalistas e outras pessoas que conseguem entender o significado das modificações propostas.

Só mesmo os especialistas e os mais envolvidos nas questões urbanísticas, seja pela atividade empresarial ou pela militância social e política, são capazes de discutir com profundidade o que diz o complexo projeto de Luos. Vale o mesmo quanto a outra proposta ainda não votada pela Câmara Legislativa, o Zoneamento Ecológico e Econômico (ZEE), e ao Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot), que deverá ser revisto brevemente.

Mais sobre o assunto

Nunca houve em Brasília, por parte dos governantes e dos deputados distritais, o menor esforço para levar as pessoas comuns a entenderem o que mudará em suas vidas, em termos pessoais e coletivos, com o que estabelecem a Luos e o Pdot. Nunca interessou a eles que as pessoas entendessem essa legislação. Dificilmente algum morador do Distrito Federal não envolvido diretamente no assunto saberá dizer, por exemplo, para que serve o ZEE.

Há, porém, os poucos que sabem muito bem o que ganharão e o que perderão com esses instrumentos legais que mexem com o território em que vivemos, estabelecem normas que afetam a vivência social, a qualidade de vida, os serviços públicos, a captação de água, o trânsito, as áreas públicas. Enfim, que interferem diretamente no cotidiano dos brasilienses. E são esses poucos que fazem, agora, as pressões e contrapressões para a aprovação ou não da Luos. A quase totalidade da população não sabe do que estão falando.

O bom senso indica que, diante da polêmica, uma Câmara Legislativa com distritais em final de mandato não tem legitimidade para, nos últimos dias do ano e às pressas, aprovar uma lei tão importante quanto a Luos. Ainda mais com 16 distritais que não voltarão no ano que vem. Se o governo de Rollemberg demorou mais de três anos para mandar o projeto à CLDF, e se Ibaneis nem tomou posse, falta-lhes também legitimidade para pressionar os deputados para que aprovem a Luos.

Quem só conhece a Luos pelas notícias da imprensa, tem toda razão para desconfiar da pressa. Muitos se lembram das negociatas entre governantes, distritais e empresários por ocasião de votações anteriores do Pdot e da Luos, e é voz corrente nos meios mais informados de que sempre rolou muito dinheiro em torno desses projetos"

Suspeitas
Ótimos negócios já foram feitos em Brasília graças a artigos e parágrafos do Pdot e da Luos aprovados sorrateiramente pela sempre suspeita Câmara Legislativa. Alguns artigos e parágrafos colocados pelo Executivo, outros por emendas de distritais. E até agora, ao texto contestado por opositores da Luos, foram apresentadas 104 emendas parlamentares ao projeto.

Além disso, não há o menor sentido em aprovar a Luos antes de aprovar o Zoneamento Ecológico e Econômico, que deveria ser a base para definir a destinação de cada área do território. Não dá para entender por que o governador Rollemberg não planejou a apreciação do ZEE antes da Luos e deixou tudo para o último ano de sua gestão.

Também não dá para entender a pressa de Ibaneis, pois mais três meses de debates não causarão, em tese, nenhum grande prejuízo a seu futuro governo. E, pelo jeito, ele já tem maioria na próxima legislatura.

É mais fácil entender a pressa de alguns distritais e o esforço do presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, para votar logo a Luos. Eles não serão deputados em 2019 e perderão a oportunidade de participar de uma votação tão relevante para seus interesses. E Valle já ganhou duas secretarias no futuro governo.

Comentários para "Pressa para aprovar a polêmica Luos causa naturais desconfianças":

    • Elzareisa Almeida

      Quinta-Feira, 29 de Novembro de 2018 -

      Eu e minha família somos favorável a aprovação do Luos. Meu esposo adquiriu um imóvel feito em uma fração de um condomínio. transversal. Tentamos escriturá-lo e não conseguimos. Só teremos a escritura com mais celeridade com a aprovação do LUOS. Porque ai vai ser individualizado o IPTU. Cada proprietário de imóvel deste condomínio pagará o UPTU conforme área construída. Vai aumentar a arrecadação de imposto para o governo do DF. Em contrapartida o imóvel adquirido ESCRITURADO é mais valorizado. Por isso, estamos aguardando ansiosos a aprovação do LUOS pela Câmara Legislativa. Porque, quem adquiriu seu imóvel, quer vê-lo regularizado.

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
China pede solidariedade e abertura à medida que o mundo enfrenta mudanças

China pede solidariedade e abertura à medida que o mundo enfrenta mudanças

A comunidade internacional deve defender a Carta das Nações Unidas e se esforçar para manter a paz em um mundo volátil, disse ele.

Vitória de Gustavo Petro fortalece avanço da esquerda na América do Sul

Vitória de Gustavo Petro fortalece avanço da esquerda na América do Sul

Segundo analistas, trata-se de uma "mudança de maré" provocada pelo descontentamento com governantes anteriores.

Major Carvalho, apelidado de 'Pablo Escobar' brasileiro, é preso na Hungria

Major Carvalho, apelidado de 'Pablo Escobar' brasileiro, é preso na Hungria

A Polícia Federal brasileira informou que a prisão decorreu das investigações desenvolvidas no âmbito da Operação Enterprise

Itamaraty parabeniza Gustavo Petro por vitória eleitoral na Colômbia

Itamaraty parabeniza Gustavo Petro por vitória eleitoral na Colômbia

Jair Bolsonaro na abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2022, em 14 de junho de 2022 © Alan Santos / Palácio do Planalto / CCBY 2.0

222 milhões de crianças afetadas pela crise precisam urgentemente de assistência educacional

222 milhões de crianças afetadas pela crise precisam urgentemente de assistência educacional

A Educação Não Pode Esperar

Ball Corporation avança em investimentos na América do Sul com nova fábrica de latas de alumínio no Peru

Ball Corporation avança em investimentos na América do Sul com nova fábrica de latas de alumínio no Peru

A empresa, líder global em embalagens sustentáveis de alumínio, anunciou abertura que vai gerar mais de 100 empregos diretos e 300 indiretos.

ACNUR solicita apoio urgente para ajudar quase 16 mil pessoas forçadas a se deslocar em Burkina Faso

ACNUR solicita apoio urgente para ajudar quase 16 mil pessoas forçadas a se deslocar em Burkina Faso

Milhares de burquinenses que se deslocaram pelo massacre em Seytenga encontraram segurança além da fronteira com o Níger.

Estados Unidos alertaram sobre projeto de bagagem gratuita vetado por Bolsonaro

Estados Unidos alertaram sobre projeto de bagagem gratuita vetado por Bolsonaro

Acordo foi assinado em março de 2011, no governo Dilma Rousseff, e entrou em vigor em maio de 2018, na gestão de Michel Temer, após aprovação pelo Congresso.

Liderança da UE diz que crime no AM é fruto da postura de Bolsonaro; aliados criticam presidente

Liderança da UE diz que crime no AM é fruto da postura de Bolsonaro; aliados criticam presidente

Aliados de Bolsonaro acham que presidente errou

FC Barcelona e Acnur formam parceria para apoiar crianças refugiadas

FC Barcelona e Acnur formam parceria para apoiar crianças refugiadas

O logotipo do Acnur é apresentado, pela primeira vez, no uniforme dos jogadores da principal equipe masculina e feminina do time espanhol

Cartéis de Miami, Medellín e Sinaloa sustentam um Estado paralelo na Amazônia

Cartéis de Miami, Medellín e Sinaloa sustentam um Estado paralelo na Amazônia

Apesar de toda a movimentação militar em Atalaia, amigos de Pelado continuam entrando e saindo de terras indígenas com embarcações que levam freezers para pescados