×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Primeiro local do Brasi. Fernando de Noronha proibirá carros a combustão

Primeiro local do Brasi. Fernando de Noronha proibirá carros a combustãoFoto: Jornal do Carro

O veto ao carro que emite gás carbônico significa que a frota de Fernando de Noronha será substituída por modelos elétricos. Por isso, a Renault fechou um acordo com a administração do arquipélago para fornecer alguns carros a eletricidade.

Estadão Conteúdo - 09/06/2019 - 18:24:42

O arquipélago de Fernando de Noronha deverá ser primeiro local do Brasil a proibir carros a combustão. A medida faz parte do Projeto Noronha Carbono Zero, divulgado na última semana.

A partir de 2022, não será mais permitida a entrada de carros com motores a gasolina, flexível ou a diesel no arquipélago. E, a partir de 2030, esse tipo de veículo, que gás carbônico na atmosfera, será retirado da ilha.

O decreto do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, foi publicado neste sábado (8) no Diário Oficial. Agora, será enviado para aprovação na Assembléia Legislativa do Estado.

Apesar do veto do carro com motor a combustão, ele não será aplicado a outros tipos de meios de transporte em Fernando de Noronha. Esse grupo inclui embarcações, aeronaves e tratores.

Também serão permitidos veículos a combustão usados para serviços como arrastar maquinaria ou executar trabalhos de construção, entre outros.

No sábado, Noronha também expediu licença para entrada de 130 novos veículos na ilha. Hoje, não são permitidos carros extras, apenas troca dos que já rodam no local.

No entanto, todos esses 130 novos veículos terão de ser ecologicamente corretos.

Renault em Fernando de Noronha

O veto ao carro que emite gás carbônico significa que a frota de Fernando de Noronha será substituída por modelos elétricos. Por isso, a Renault fechou um acordo com a administração do arquipélago para fornecer alguns carros a eletricidade.

LEIA TAMBÉM

Em cerimônia realizada também no sábado, em Fernando de Noronha, a empresa francesa entregou seis automóveis. São três Zoe, dois Twizy e um Kangoo elétrico.

Desses, apenas o Zoe está à venda para o consumidor final no mercado brasileiro.

Carros elétricos no Brasil

Além do Zoe, que tem preço sugerido de R$ 149.990, haverá outros modelos elétricos no Brasil até o fim de 2019. A BMW, por exemplo, planeja o lançamento do novo i3.

Já a Chevrolet começará a vender o Bolt, cujo preço oficial ainda não foi divulgado. O Leaf, da Nissan, é o carro elétrico mais vendido do mundo e está chegando às lojas do Brasil. Custa R$ 178.400.

Até o fim do ano, vai chegar às concessionárias do País o e-tron, primeiro carro elétrico da Audi.

Adeus ao carro a combustão

Na Europa, diversos países já anunciaram planos de proibir o carro a combustão. Na Noruega, isso está previsto para ocorrer em 2025.

O país nórdico, aliás, teve mais carros elétricos vendidos em 2018 do que modelos a combustão.

Na França, a venda de modelos a gasolina ou diesel será proibida em 2040. No mesmo ano, está previsto o fim do carro a combustão na Inglaterra.

Comentários para "Primeiro local do Brasi. Fernando de Noronha proibirá carros a combustão":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Poluição por plásticos deve duplicar até 2030

Poluição por plásticos deve duplicar até 2030

Lixo marinho, incluindo plástico, papel e madeira, acaba indo para as profundezas dos oceanos.

Semanas de Inovação Suécia-Brasil discutirão ações para o clima

Semanas de Inovação Suécia-Brasil discutirão ações para o clima

Evento busca integração de iniciativas sustentáveis entre países

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Brasileiros descartam 79 milhões de toneladas de lixo sólido por ano

Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis

Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis

Emissões com a queima de carvão contribuem para a poluição em Ulaanbaatar, na Mongólia.

Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Na véspera da COP-26, na Escócia, que começa no dia 31, há uma expectativa sobre o que o Brasil vai apresentar.

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15

Foto tirada em 27 de setembro de 2021 mostra uma vista no parque de Jiuzhaigou, no distrito de Jiuzhaigou, Província de Sichuan, sudoeste da China.

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Ativista Greta em protesto junto da ONU

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

A Sputnik Brasil conversou com dois especialistas sobre o impacto que um novo projeto de lei norte-americano sobre desmatamento ilegal no mundo pode ter para as exportações brasileiras

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

O desmatamento em junho deste ano, conforme Imazon, apontam para o terceiro maior índice de destruição da vegetação nos últimos 10 anos.

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Desde o início da intervenção na Ponte 3 da Rodovia Transpantaneira, caminhões-pipa de 16 mil litros fazem a reposição diária da água do corixo para beneficiar a população que permaneceu. Um trabalho de "enxugar gelo", segundo Martins, da Ecotrópica, porque o volume é consumido diariamente pelo uso e evaporação.

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro e está sendo devastado, segundo Mapbiomas.