×
ContextoExato
Responsive image

Que canto é esse?

Que canto é esse?Foto: CorreioWeb

Cecília Azevedo foi apresentada pela mãe ao site e se encantou pelo canto dos pássaros

Celimar De Meneses* - Correioweb - 19/05/2020 - 05:40:04

Site reúne fotos e sons de pássaros do cerrado para quem quer se aventurar na observação da fauna local. Projeto é uma parceria da UnB com grupo de observadores de aves.

O observador de pássaros Rodrigo D%u2019Alessandro em uma de suas saídas a campo pelo cerrado (Arquivo pessoal)
O observador de pássaros Rodrigo D%u2019Alessandro em uma de suas saídas a campo pelo cerrado

O Brasil tem 20% das aves do mundo, com aproximadamente 1,9 mil espécies. Apesar de toda essa diversidade, somente os estudiosos em ornitologia, o ramo da biologia que trata de aves, ou os amantes dos pássaros conseguem reconhecer os diferentes tipos e o canto de cada um deles. Mas isso pode mudar. Uma parceria da Faculdade de Tecnologia (FT) da Universidade de Brasília (UnB) com o grupo Observadores de Aves do Planalto Central (Observaves) lançou o site Aves de Brasília, com 108 espécies do cerrado e seus cantos.


Não é preciso ter qualquer conhecimento prévio sobre pássaros para navegar. O site está estruturado para que leigos não se sintam perdidos na hora de conhecer as espécies. O diretor da FT, Márcio Muniz, salienta a escassez de informações acessíveis para aves do cerrado. “Existem muitos livros e aplicativos de reconhecimento de aves. Os aplicativos mais famosos têm muitas aves dos Estados Unidos, as do Brasil são, principalmente, do Sul ou Sudeste.”

Márcio lançou, então, o desafio ao pessoal do Observaves, do qual faz parte, para fazer uma base de dados do cerrado. “Guia para observador de aves já temos muitos, com todas as informações necessárias para observação mais avançada. Mas faltava para a pessoa que está começando agora, que está no seu jardim e repara um pássaro interessante, mas não tem elementos para classificá-lo. O primeiro objetivo do site é esse, para o leigo” explica Tancredo Maia Filho, do Observaves.


O site foi também uma homenagem aos 60 anos de Brasília. A ideia inicial era lançá-lo no aniversário da cidade, mas acabou que ele entrou no ar no último sábado, durante um encontro nacional de observadores de pássaros, o Avistar Conecta.

Alma-de-gato  (Marcelo Telles/Observaves)
Alma-de-gato
Bem-te-vi  (Margi Moss/Observaves)
Bem-te-vi

Fácil na vegação
A página está dividida pelos ambientes em que as aves mais aparecem: urbanas, campestres, florestais, aquáticas, noturnas, migratórias e de rapina. Para o canto dos pássaros, foram usadas gravações do site Wiki Aves. Até ontem, apenas três dias depois do seu lançamento, o Aves de Brasília tinha 2 mil acessos em nove países. O objetivo dos criadores é aumentar a quantidade de espécies catalogadas e disponibilizá-las em inglês e espanhol.


“O site é muito fácil de navegar e até apresentei para os meus netos, porque isso é muito legal de mostrar para os meninos. Passei a olhar a natureza com outros olhos depois desse trabalho de divulgação. Já passei a chamar os pássaros pelo nome, isso facilita. É tudo muito didático, é uma ferramenta extremamente importante, principalmente para aqueles que gostam desse nosso quadradinho, que é Brasília, ainda mais neste momento de pandemia”, disse a poetisa Ana Maria Lopes.


A secretária Cláudia Barreto, 40, conta que a filha de 3 anos, Cecília Azevedo, se divertiu conhecendo os pássaros. “Ela ficou escutando o som dos passarinhos e já decidiu de qual gostava, pelo som. Ela gostou, porque não tem muito contato com aves, é interessante para ela que cada bichinho daquele emite um som diferente”, explicou a mãe.


Observar é preciso
Para Tancredo Maia Filho, a observação dos pássaros faz bem ao corpo e à alma. “Na vida, como um todo, é mais importante olhar que simplesmente ver. O ver não fixa, é passageiro, não guarda algo novo. O olhar é mais cuidadoso, você para e aquilo emociona, toca. Você ver não tem sentimento, mas o olhar traz sensações. Quando você olha, passa ao estágio imediatamente superior, que é o observar. Fazer a observação de aves faz bem emocionalmente, porque você passa a conhecer um mundo colorido, a se importar com cada espécie e suas características.”

Para um dos fundadores do Observaves, Rodrigo D’Alessandro, a observação traz outras vantagens, como a divulgação científica espontânea e voluntária, a ciência-cidadã. “Uma vez que o observador de aves vai a campo, identifica as espécies, documenta isso, ele está contribuindo para que outras pessoas adquiram esse conhecimento de forma mais rápida e sejam realizados estudos com objetivos científicos, com as informações de onde está a espécie, a frequência com que ela é avistada. Isso pode guiar estudos e trabalhos científicos, como para sugerir trabalhos de conservações em determinadas regiões baseados na ocorrência dessas espécies”, explica.


*Estagiário sob supervisão de Sibele Negromonte


Fique ligado

Para acessar o site basta entrar no endereço: avesdebrasilia.observaves.unb.br.

Outros sites com cantos de pássaros

» Wiki Aves — Maior banco de aves do Brasil e segundo maior do mundo: https://www.wikiaves.com.br/
» Coneix el Riu — Reúne aves de rios da Espanha: https://coneixelriu.museudelter.cat/ocells.php
» Xeno Canto — Este site reúne os sons de aves de todo o mundo: https://www.xeno-canto.org/

Exemplos de ciência-cidadã

Ciência-cidadã é feita quando pessoas geram e analisam grandes quantidades de dados em proveito da ciência.

Aqui estão outras áreas em que esse tipo de ciência tem efeito, para além dos cantos dos pássaros:

» Descrição de aranhas no Baboon Spider Atlas: http://www.baboonspideratlas.com/
» Candidatos a exoplanetas são testados na plataforma Exoplanet Exploration da Agência Espacial Americana (Nasa): https://exoplanets.nasa.gov/

Comentários para "Que canto é esse?":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório