×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

Recalculando a rota

Recalculando a rotaFoto: CorreioWeb

Valéria Alves adiou a viagem tão sonhada a Paris: sem prejuízo

Fernanda Strickland* - Correioweb - 03/04/2020 - 09:07:37

Diante de fechamento de fronteiras, cancelamento de voos e o avanço da doença em diversos países, empresas adotam regras para os viajantes.

 (Ed Alves/CB/D.A Press - 17/10/18)

Redução no número de voos, possibilidade de remarcação de passagens sem custos para o passageiros e até mesmo reembolso de valores pagos são medidas que as companhias aéreas passaram a adotar diante das determinações das autoridades sanitárias de diversos países.


A professora de Turismo e Hotelaria do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), em Maceió, Valéria Alves, 48 anos, teve que adiar o sonho de conhecer Paris (França), no feriado da Semana Santa, por causa do coronavírus. Logo após o carnaval, quando a propagação do vírus aumentou na Europa, ela ficou com medo e decidiu cancelar tudo — hospedagem, passeios turísticos — e não teve problemas com a restituição do dinheiro. “Eles entenderam o momento”, explicou. A companhia aérea fez exigências e demorou um pouco mais, mas devolveu a quantia paga pela professora.


A Latam reduziu em 70% o número de voos e a paralisação da frota internacional, além de 40% dos voos domésticos entre 1º de abril e 30 de maio de 2020. Os passageiros poderão reagendar os voos sem a cobrança de multa. A empresa suspendeu, pelo período de 2 de março a 16 de abril, a rota São Paulo/Milão (Itália). Quem tinha voo marcado, poderá trocar a data ou o destino sem pagar multa (sujeito à diferença tarifária) ou solicitar o reembolso de acordo com a validade do bilhete. Quem havia programado voo de ou para a Itália até 30 de abril poderá efetuar a troca de data ou destino para viajar até 31 de dezembro de 2020. O mesmo procedimento se aplica aos voos para Israel, onde as autoridades exigem quarentena para ingresso no país.


A Azul oferece opções de remarcação, sem custo, de voos com origem ou destino em Lisboa ou Porto (Portugal), para viajantes com passagens para março, podendo adiar o voo para até 30 de junho de 2020 ou cancelamento, garantindo o valor em crédito para outros voos da companhia. A aérea fará o reembolso integral da passagem para passageiros com conexão em Lisboa ou Porto em voos que têm como com destino ou origem a Itália.

A Gol anunciou ontem, a suspensão dos voos internacionais até 30 de junho. A medida, segundo a empresa, visa adequar as operações ao novo cenário de buscas por transporte aéreo em meio à pandemia de coronavírus. A companhia afirmou que está acatando as restrições de viagem impostas pelas autoridades dos países nos quais opera, na América do Sul, na América Central e no Caribe, além de recomendações das autoridades dos Estados Unidos.


Os voos no mercado doméstico também serão reduzidos. A previsão é de um corte de 50% a 60% da malha aérea. No total, entre operações nacionais e internacionais, a Gol espera diminuir entre 60% e 70% das viagens até meados de junho. “A Gol acompanha de perto as recomendações dos órgãos responsáveis não só com relação à saúde e bem-estar de quem a escolhe para voar, mas também ligadas à flexibilização das políticas de remarcação e cancelamento de viagens nacionais e internacionais”, explica a empresa, em nota.


A Gol permite ao passageiro cancelar a viagem e manter o valor em crédito para voos futuros. O valor ficará disponível integralmente por um ano, a contar da data da compra; a taxa de remarcação não será cobrada, incidindo apenas a diferença entre as tarifas. Se optar por cancelar a viagem e solicitar reembolso, não haverá taxa de cancelamento, contudo a taxa de reembolso poderá ser cobrada dependendo da regra da passagem adquirida.


O estudante de jornalismo Pedro Petrocélio, 21, é morador de Brasília e participaria de um evento cristão no período da Páscoa, mas foi cancelado. Por isso, o jovem terá que convencer a companhia (Gol) de que não teve outra opção. “Não sei se terei o dinheiro de volta, estamos em processo de negociação”, disse.


O Ministério Público Federal (MPF) recomendou à Agência Nacional e Viação Civil (Anac) a publicação de ato normativo garantindo a possibilidade de cancelar, sem a cobrança de multas ou taxas, passagens aéreas nacionais e internacionais para quem comprou passagens até 9 de março, e assegurar a remarcação de bilhetes a serem utilizados no prazo de até 12 meses.


Ações conjuntas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) alinha medidas necessárias junto ao Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O combate à Covid-19 é prioridade no país e a Anac diz, por meio de nota, que “a Agência orienta que o passageiro com viagem marcada para destinos afetados pelo coronavírus devem consultar sua empresa aérea sobre a existência de eventuais políticas flexíveis de remarcação, reembolso ou cancelamento das passagens aéreas. As próprias empresas já estão flexibilizando essas regras conforme o destino e a data da viagem”.


Quando o cancelamento partir da empresa aérea, aplica-se todos os direitos listados na Resolução n° 400 da Anac, que diz que o passageiro deverá ser informado sobre qualquer alteração na sua viagem com 72 horas de antecedência. Caso não se cumpra o prazo, ele terá de ser ressarcido integralmente ou reacomodado em outro voo, além de fazer juz à assistência material, quando necessária.


Comentários para "Recalculando a rota":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Turismo sustentável: Para diminuir seu impacto no meio ambiente e evitar aglomerações

Turismo sustentável: Para diminuir seu impacto no meio ambiente e evitar aglomerações

O eco-turismo também incentiva a conservação do meio ambiente e busca uma maior conscientização ambiental

Estados vão avaliar áreas turísticas suscetíveis a desastres

Estados vão avaliar áreas turísticas suscetíveis a desastres

Decisão foi tomada após tragédia em Capitólio

Viagens de verão aquecem setor de hotelaria e turismo

Viagens de verão aquecem setor de hotelaria e turismo

Quais cuidados tomar para contratar um seguro-viagem?

Aposta nos municípios para alavancar o turismo no Brasil

Aposta nos municípios para alavancar o turismo no Brasil

O grupo de trabalho atuará na elaboração de políticas públicas por meio de quatro eixos: estruturação, inteligência mercadológica, qualificação e promoção

Covid-19: Entenda o direito do consumidor que teve voo cancelado

Covid-19: Entenda o direito do consumidor que teve voo cancelado

Situação é provocada pelo afastamento de pilotos, copilotos e aeromoça

Especialistas recomendam atenção aos cuidados para encarar o verão diante do avanço da Covid-19

Especialistas recomendam atenção aos cuidados para encarar o verão diante do avanço da Covid-19

Testes devem ser realizados sempre que algum sintoma de síndrome gripal surgir

Centenas de voos são cancelados em meio a avanço de Covid-19 e gripe

Centenas de voos são cancelados em meio a avanço de Covid-19 e gripe

Dispensas médicas por covid-19 entre pilotos e copilotos aumentaram

Acesso ao Santuário do Caraça está impedido devido ao transbordamento do rio Taboões

Acesso ao Santuário do Caraça está impedido devido ao transbordamento do rio Taboões

A equipe do Santuário do Caraça está entrando em contato com as pessoas que fizeram a reserva para este final de semana e orienta os visitantes para que não se dirijam ao local até que um novo comunicado seja realizado.

Píer Mauá deve deixar de receber 25 mil turistas

Píer Mauá deve deixar de receber 25 mil turistas

Cruzeiros foram suspensos na segunda-feira

Aeroporto de Recife é o mais pontual do Brasil e o quinto do mundo, aponta levantamento

Aeroporto de Recife é o mais pontual do Brasil e o quinto do mundo, aponta levantamento

Terminal ficou entre os cinco primeiros na lista dos aeroportos de médio porte.

Aumentam casos de Covid-19 nos navios de cruzeiros na costa brasileira

Aumentam casos de Covid-19 nos navios de cruzeiros na costa brasileira

Nos navios monitorados há mais de 200 casos reportados, diz Anvisa