×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 09 de agosto de 2022

Regulação da maconha. ‘Cannabis’: como proteger marcas no Brasil

Regulação da maconha. ‘Cannabis’: como proteger marcas no Brasil

Foto: Divulgação

A maconha medicinal já é uma realidade no Brasil: mais de 78 mil unidades de produtos à base da planta foram importadas pelo país desde que a Anvisa autorizou o uso terapêutico de canabidiol em janeiro de 2015.

Por Paulo Parente Marques Mendes E Fernanda Mósca-estadão Conteúdo - 15/06/2019 - 08:13:44

Assunto cada vez mais em pauta no Brasil, a regulação da maconha vem caminhando rumo à uma conclusão. Nos próximos dias será decidido se haverá uma consulta pública sobre o tema.

Não se pode ignorar a pressão de muitas empresas que pretendem expandir seus produtos e serviços relacionados à cannabis para o Brasil. Com isso, cresce também a procura pela proteção das suas marcas no país.

A proteção da marca deve ser uma prioridade para as empresas novas e existentes. Mas o que acontece quando o produto que está buscando proteção tem sua venda proibida no país?

Cada vez mais países legalizam a maconha recreativa e medicinal, e parece que a aprovação nacional de maconha e vendas de produtos derivados da cannabis é inevitável também no Brasil, ao menos para uso medicinal.

A maconha medicinal já é uma realidade no Brasil: mais de 78 mil unidades de produtos à base da planta foram importadas pelo país desde que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou o uso terapêutico de canabidiol em janeiro de 2015 (1) .

No entanto, por enquanto, as empresas que comercializam produtos relacionados à maconha enfrentam desafios ao tentar proteger suas marcas registradas.

No momento, registros de marcas acompanhadas da palavra MACONHA ou que identificam este produto não estão sendo aprovados pelo INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Seu indeferimento tem por base o artigo 124, inciso III, da Lei da Propriedade Industrial, por ser considerado contrário à moral e aos bons costumes.

Então, produtos oriundos da cannabis são incapazes de serem assinalados e protegidas por marcas registradas no Brasil? Se partirmos do pressuposto que moral e bons costumes devem são definições que dependem do momento que passa a sociedade e, portanto, conceitos temporais, o nosso sistema de propriedade industrial deverá, em breve, evoluir e conceder registros marcários para empresas desse setor.

Nesse passo, apesar das dificuldades ainda encontradas para a proteção da marca no Brasil, é importante entender o crescimento deste setor e a necessidade de resguardar também seus direitos sob a ótica da Propriedade Intelectual.

(1) https://www.bbc.com/portuguese/geral-44283537

* Paulo Parente Marques Mendes é advogado e sócio do escritório Di Blasi, Parente & Associados; Fernanda Mósca Tavares Dias é advogada e integrante do escritório Di Blasi, Parente & Associados

Comentários para "Regulação da maconha. ‘Cannabis’: como proteger marcas no Brasil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Quais são os principais riscos da automedicação?

Quais são os principais riscos da automedicação?

São Paulo e Portugal sediam concurso internacional de azeites extravirgens

São Paulo e Portugal sediam concurso internacional de azeites extravirgens

Mulheres ganham 24% menos no setor da saúde

Mulheres ganham 24% menos no setor da saúde

Inscrições abertas para a Semana Universitária de 2022

Inscrições abertas para a Semana Universitária de 2022

MPDFT vistoria administrações para verificar cumprimento de decisão judicial

MPDFT vistoria administrações para verificar cumprimento de decisão judicial

Operação Res Capta: MPF denuncia 27 pessoas por corrupção, associação criminosa e crimes ambientais

Operação Res Capta: MPF denuncia 27 pessoas por corrupção, associação criminosa e crimes ambientais

Ministro suspende novo decreto que reduziu IPI de produtos que concorrem com os produzidos na ZFM

Ministro suspende novo decreto que reduziu IPI de produtos que concorrem com os produzidos na ZFM

“O TSE não está só, porque a sociedade não tolera o negacionismo eleitoral”, afirma Fachin

“O TSE não está só, porque a sociedade não tolera o negacionismo eleitoral”, afirma Fachin

Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

Estudo mostra alta da pobreza em regiões metropolitanas

60 anos da psicologia é marcada por manifestações em defesa da democracia

60 anos da psicologia é marcada por manifestações em defesa da democracia

Roubo de celular vira ‘porta de entrada’ para invasão a contas e cartões

Roubo de celular vira ‘porta de entrada’ para invasão a contas e cartões

Por que as eleições deste ano podem ser as mais atípicas já vistas no Brasil?

Por que as eleições deste ano podem ser as mais atípicas já vistas no Brasil?

“É mito que o álcool faz bem para a saúde”, diz médica da Opas

“É mito que o álcool faz bem para a saúde”, diz médica da Opas

TSE e Kwai estreiam Central das Eleições

TSE e Kwai estreiam Central das Eleições

Preso sob acusação de matar Marielle é condenado por tráfico de armas

Preso sob acusação de matar Marielle é condenado por tráfico de armas

UnB divulga nota à comunidade sobre a doença Monkeypox

UnB divulga nota à comunidade sobre a doença Monkeypox

Internautas cobram cassação do registro de Damares por fake news contra Lula

Internautas cobram cassação do registro de Damares por fake news contra Lula

Prazos processuais judiciais voltam a fluir no TJDFT

Prazos processuais judiciais voltam a fluir no TJDFT

MPDFT apresenta resultados da aplicação de medidas alternativas em 2021

MPDFT apresenta resultados da aplicação de medidas alternativas em 2021

Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos de R$ 2,5 bilhões neste ano

Golpes bancários disparam e devem gerar prejuízos de R$ 2,5 bilhões neste ano

Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Vacinação

Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Vacinação