×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 12 de agosto de 2022

"Se forçar a barra, não aprova nada", diz Jair Bolsonaro sobre Previdência

Foto:

O presidente disse que a reforma vai destravar os investimentos no país. "Os empresários querem investir, mas precisam de segurança", acrescentou.

Por Pedro Rafael Vilela - Agência Brasil Brasília - 14/06/2019 - 16:28:17

O governo deve ceder para ver a reforma da Previdência aprovada, afirmou hoje (14) o presidente Jair Bolsonaro, em café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto, ao analisar a tramitação da proposta no Congresso. Ele alertou, no entanto, que é preciso trabalhar no limite da economia esperada com as alterações nas regras de aposentadoria. O relator do projeto na comissão especial da Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentou parecer ontem (14) com diversas mudanças em relação à proposta original enviada pela equipe econômica no fim de fevereiro.

"Os Poderes são independentes e agora a bola está com o Legislativo. Nossa base é diferente, vamos pelo convencimento. Ontem tiraram o BPC [Benefício de Prestação Continuada], [aposentadoria] rural, estados e municípios [da reforma]. Não há consenso sobre estados e municípios, se a gente forçar a barra, pode não aprovar nada. É natural ceder, mas no limite curto da economia para sinalizar que estamos fazendo o dever de casa."

Segundo ele, um dos problemas da exclusão de servidores públicos de estados e municípios da reforma é justamente a resistência, de parte dos governadores, que desejam a mudança, mas não querem se comprometer politicamente. "Tem governador que quer aprovar, mas sem o voto da sua bancada."

O presidente disse que a reforma vai destravar os investimentos no país. "Os empresários querem investir, mas precisam de segurança", acrescentou.

Articulação

Bolsonaro também comentou as dificuldades de articulação do governo no Congresso Nacional e atribuiu o desafio a uma nova forma de o Executivo se relacionar com o Legislativo. "Lá atrás, a articulação era saliva ou [cargos em] estatais? (...) Essa interlocução no passado era feita de uma forma e resolvemos fazer diferente", afirmou.

Santos Cruz

Perguntado sobre os motivos que levaram à demissão do general Carlos Alberto dos Santos Cruz da Secretaria de Governo, Jair Bolsonaro disse que "problemas acontecem", mas que a "separação foi amigável".

O substituto de Santos Cruz será o também general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, comandante militar do Sudeste. O presidente ressaltou a experiência do novo ministro com articulação política, já que ele foi assessor legislativo do Exército no Congresso Nacional por dois anos.

Saiba mais

Edição: Juliana Andrade

Comentários para ""Se forçar a barra, não aprova nada", diz Jair Bolsonaro sobre Previdência":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Bolsonaro nomeia 17 desembargadores federais para composição do TRF6

Bolsonaro nomeia 17 desembargadores federais para composição do TRF6

Mantida decisão que afastou improbidade na compra de ingressos pela Terracap

Mantida decisão que afastou improbidade na compra de ingressos pela Terracap

Análise de dados indica limites de trabalho para prevenir burnout

Análise de dados indica limites de trabalho para prevenir burnout

Tribunal abre processo seletivo para estágio de níveis médio e superior

Tribunal abre processo seletivo para estágio de níveis médio e superior

ABI abre inscrições para concurso de 10 microbolsas de R$ 3 mil para jornalistas e pesquisadores

ABI abre inscrições para concurso de 10 microbolsas de R$ 3 mil para jornalistas e pesquisadores

Indústria se une contra decisão de Moraes que suspende corte no IPI

Indústria se une contra decisão de Moraes que suspende corte no IPI

Quase 34 milhões de pessoas não têm acesso à internet no Brasil, diz pesquisa

Quase 34 milhões de pessoas não têm acesso à internet no Brasil, diz pesquisa

Quase metade dos brasileiros fazem bico para completar renda

Quase metade dos brasileiros fazem bico para completar renda

Alta de alimentos é mais que o dobro da inflação em 2022

Alta de alimentos é mais que o dobro da inflação em 2022

STJ reabre investigação sobre a Chacina do Parque Bristol

STJ reabre investigação sobre a Chacina do Parque Bristol

A 1ª fábrica de hidrogênio verde do Brasil em escala industrial está chegando

A 1ª fábrica de hidrogênio verde do Brasil em escala industrial está chegando

Busca do FBI na casa de Trump foi baseada em denúncia, diz jornal

Busca do FBI na casa de Trump foi baseada em denúncia, diz jornal

Incêndios florestais se espalham e peixes morrem em meio a seca na Europa

Incêndios florestais se espalham e peixes morrem em meio a seca na Europa

Defesa da democracia na USP expõe a diversidade e novos atores sociais

Defesa da democracia na USP expõe a diversidade e novos atores sociais

Artistas fazem festa para os 80 anos de Milton Nascimeto

Artistas fazem festa para os 80 anos de Milton Nascimeto

MP aciona TCU para barrar salários de até R$ 1 milhão recebido por militares

MP aciona TCU para barrar salários de até R$ 1 milhão recebido por militares

PF mira grupo que fez 245 saques para desviar recursos do Fundeb e do SUS em AL

PF mira grupo que fez 245 saques para desviar recursos do Fundeb e do SUS em AL

Saiba como identificar os recenseadores do IBGE

Saiba como identificar os recenseadores do IBGE

Margareth Dalcolmo é eleita para integrar a Academia Nacional de Medicina

Margareth Dalcolmo é eleita para integrar a Academia Nacional de Medicina

Dia Internacional da Juventude busca pontes com outras faixas etárias

Dia Internacional da Juventude busca pontes com outras faixas etárias

Ato na UnB marca leitura de carta em defesa da democracia e do sistema eleitoral

Ato na UnB marca leitura de carta em defesa da democracia e do sistema eleitoral