×
ContextoExato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de dezembro de 2018


Segmento pet, o novo filão da hotelaria

Segmento pet, o novo filão da hotelaria

Os hotéis têm se adequado às novas necessidades dos viajantes, passando a receber pets como hóspedes

Por Massa News /foto: Pixabay - 27/03/2018 - 11:18:01

Há alguns anos, viajar era um desafio para o brasileiro porque era necessário encontrar boas opções para as famílias, que eram numerosas. Com a tendência dos casais de terem menos filhos (segundo o IBGE, a taxa de fecundidade teve uma queda de 18,6% entre 2004 e 2014, resultando em uma média de 1,74 filhos por mulher), as famílias passaram a incorporar outros membros: os animais de estimação. As estatísticas ressaltam a tendência, já que, hoje, a concentração de pets por residência é maior do que a de crianças de até 12 anos. Isso trouxe um novo desafio para os brasileiros: o que fazer com seus pets durante as viagens?

Dentre as opções, há possibilidade de deixar o animal em algum hotel especializado na recepção de cães e gatos ou ainda contratar um pet sitter, que é uma pessoa que vai até à residência e evita que o mascote da família tenha a rotina alterada. Entretanto, várias pessoas têm optado por incluir o animal de estimação nos planos de viagem, selecionando destinos que permitam diversão e conforto para todos, inclusive para os bichinhos.

Considerando esse movimento no comportamento dos núcleos familiares,  os hotéis têm se adequado às novas necessidades dos viajantes, passando a receber pets como hóspedes. A tendência, que era mais visualizada em hotéis-fazenda ou rurais, passa a ser comum nas grandes cidades e até adotada por redes hoteleiras. Esse é o caso da Rede de Hotéis Deville, que acaba de lançar o conceito pet friendly em seus empreendimentos, aceitando cães e gatos de pequeno porte. “Nos últimos anos, até as companhias aéreas passaram a aceitar alguns animais de estimação em suas cabines, o que reforça o crescimento da demanda e a importância da adequação”, comenta o gerente de relacionamento da Rede, Lucas Raganhan.

Todas as oito unidades da Rede, localizadas em Salvador, Cuiabá, Porto Alegre, Campo Grande, Curitiba, Maringá, Cascavel e Guaíra, acomodam um cão ou gato de estimação de até 10 kg em seus apartamentos. Entretanto, há algumas regras que precisam ser cumpridas, como garantir que o pet esteja com a vacinação em dia. “Foram meses de pesquisa, planejamento e capacitação para que o conceito esteja comprometido com a qualidade de nossos serviços”, adiciona Raganhan. Para conforto do tutor, o hotel fornece tigelas para água e ração, além de kit higiênico para as necessidades. Os valores adicionais para a hospedagem de pets variam de R$50 a R$120, conforme a unidade escolhida.

Comentários para "Segmento pet, o novo filão da hotelaria":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório