×
ContextoExato

Selo reconhece serviços de saúde acolhedores para adolescentes no Paraná

Selo reconhece serviços de saúde acolhedores para adolescentes no ParanáFoto: UNFPA/Thais Rodrigues

Profissionais de saúde do DF exibem o certificado do selo Chega Mais, para serviços de atendimento voltados à população adolescente.

Onu Brasil - 10/01/2020 - 09:21:13

Equipes e serviços de saúde do oeste do Paraná poderão receber selo em reconhecimento ao atendimento oferecido a adolescentes. A iniciativa “Chega Mais – Selo de Qualidade de Serviços para Adolescentes” é uma certificação oferecida pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e que chega ao estado por meio de uma parceria com a ITAIPU Binacional.

Podem se inscrever profissionais e serviços de saúde dos 51 municípios que aderiram ao projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná, uma parceria entre o UNFPA e a ITAIPU Binacional. O selo é concedido a partir de critérios de qualidade, que envolvem desde acesso livre de discriminação até a integração em diferentes frentes de atendimento, a educação permanente de profissionais e a participação social.

“Essa certificação é mais uma das iniciativas que buscam reforçar a rede de atendimento a adolescentes nos municípios que aderiram ao projeto Prevenção e Redução da Gravidez Não Intencional na Adolescência nos Municípios do Oeste do Paraná”, afirma o gestor do projeto pela ITAIPU Binacional, Antonio Carlos Osinski. “Em pouco tempo, o projeto não apenas amplia o diálogo e a capacitação dos profissionais que atuam diretamente com adolescentes em diferentes frentes, mas também irá reconhecer os serviços que se diferenciam na qualidade do atendimento.”

Acolhimento e inclusão

A certificação no Paraná é a segunda edição do selo Chega Mais. Em 2019, foram certificados 19 serviços no Distrito Federal. Desses, quatro foram apresentados em seminários de capacitação do projeto, como forma de inspirar e incentivar que as redes de atendimento no oeste do Paraná também busquem oferecer serviços mais adequados ao público adolescente.

“A parceria firmada com ITAIPU Binacional trabalha em um dos eixos fundamentais do Fundo de População da ONU, que é o direito ao planejamento da vida sexual e reprodutiva”, destaca a representante do UNFPA no Brasil, Astrid Bant. “O Brasil ainda é um país onde a incidência de gravidez não intencional na adolescência está entre as mais altas do mundo. Para mudarmos essa realidade, é preciso investir em serviços de saúde mais acolhedores, por isso a importância do reconhecimento de equipes e serviços que têm demonstrado essa preocupação.”

Com o Selo Chega Mais, são reconhecidas iniciativas novas e também as que já fazem parte do conjunto de serviços oferecidos pelos municípios. A certificação é uma oportunidade para que outros serviços possam vir a se qualificar na busca e garantia de direitos a milhares de adolescentes.

Podem participar equipes de Estratégias Saúde da Família (ESF), equipes e serviços de saúde municipais, assim como Centros de Atenção Psicossocial, Maternidades, Centros de Especialidades Odontológicas, entre outros. Ficam impedidos de concorrer à certificação instituições de saúde suplementar, Organizações Sociais prestadoras de serviços de saúde na rede pública no Estado do Paraná e das Comissões Avaliadoras.

Passo a passo

Para se inscrever, é necessário que as equipes sejam formadas por ao menos um servidor municipal, responsável pela inscrição. O edital, com todos os detalhes e prazos, está disponível em http://bit.ly/edital-selo2019.

Após ler o edital, é necessário fazer o download de um modelo de relato de experiência, disponível neste link: http://bit.ly/relatos-selo2019

Com o relato preenchido e salvo em PDF, e com as informações de todos os membros da equipe, é possível enviar a inscrição por meio de formulário disponível em http://bit.ly/formulario-selo2019.

Comentários para "Selo reconhece serviços de saúde acolhedores para adolescentes no Paraná":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório