×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de junho de 2022

Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemia

Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemiaFoto: CNJ

Tribunal divulgou nota em que rebate declarações do presidente e destaca que responsabilidade para conter avanço do novo coronavírus é de todos os entes da federação

Estadão Conteúdo - 18/01/2021 - 18:40:43

O Supremo Tribunal Federal (STF) reagiu nesta segunda-feira, 18, às declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que, na esteira do colapso do sistema de saúde em Manaus, culpou os ministros pela ausência de atuação direta do governo federal no combate à pandemia da covid-19 em Estados e municípios.

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social negou que o tribunal tenha proibido o Planalto de agir para conter a disseminação da doença. “É responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira no que se refere à pandemia”, diz o texto.

A manifestação esclarece que o plenário apenas deu autonomia a Estados e municípios para, levando em conta o contexto local, determinarem medidas de isolamento social e enfrentamento ao novo coronavírus.

Ao longo da pandemia, o tribunal foi acionado em diversos impasses travados entre governos municipais, estaduais e federal na definição de ações para o controle da doença. Isso porque, enquanto a maioria dos governantes locais defendiam o isolamento como estratégia mais eficaz para frear o avanço do vírus, Bolsonaro insistia na reabertura da economia. Em um segundo momento, os entraves em torno de tratamentos e da obrigatoriedade da vacinação também foram judicializados.

“O Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões”, afirma a nota do STF.

Embora não cite o presidente, a manifestação foi divulgada depois que Bolsonaro se disse ‘impedido’ de atuar no combate à doença por determinação do tribunal. Segundo o presidente, pelo Supremo, ele deveria ‘estar na praia tomando uma cerveja’.

“Vou repetir aqui: que moral tem João Doria e Rodrigo Maia em falar em impeachment se eu fui impedido pelo STF de fazer qualquer ação contra a pandemia?”, afirmou na sexta-feira, 15, em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, na TV Band .

Leia a manifestação do Supremo Tribunal Federal:

“A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF) esclarece que não é verdadeira a afirmação que circula em redes sociais de que a Corte proibiu o governo federal de agir no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Na verdade, o Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões.

Ou seja, conforme as decisões, é responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira no que se refere à pandemia.”

Comentários para "Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemia":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Conselho federal investiga enfermeira que ameaçou vazar dados de vítima de estupro

Conselho federal investiga enfermeira que ameaçou vazar dados de vítima de estupro

Ação veio depois de denúncia pública feita pela vítima, que engravidou após abuso sexual e encaminhou bebê para adoção

ANS suspende temporariamente comercialização de 70 planos de saúde

ANS suspende temporariamente comercialização de 70 planos de saúde

Segundo a ANS, os usuários atuais dos planos suspensos não serão prejudicados e poderão usufruir do serviço normalmente.

Profissionais mais velhos relatam preconceito de empresas

Profissionais mais velhos relatam preconceito de empresas

Moraes conta que tem participado de concursos públicos e tido boas colocações

'Racismo é traço marcante da sociedade brasileira', diz Lauretino Gomes

'Racismo é traço marcante da sociedade brasileira', diz Lauretino Gomes

E, ao contrário de outros países cuja segregação era determinada por lei, no Brasil é tão estruturado que dispensa qualquer apoio legal

IBGE: Desembargador derruba liminar sobre inclusão de questão LGBT+ no Censo

IBGE: Desembargador derruba liminar sobre inclusão de questão LGBT+ no Censo

No último dia 9, o instituto informou em comunicado ter acionado a Advocacia Geral da União (AGU) para recorrer da decisão liminar

Em seis meses, Brasil já registra 130% mais mortes por dengue

Em seis meses, Brasil já registra 130% mais mortes por dengue

A incidência é de 550 casos por 100 mil habitantes. A doença é transmitida pela picada do Aedes aegypti.

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos

A alta da inflação no Brasil nos últimos dois anos têm levado a cada vez mais empresas, de diversos setores, a adotar esse tipo de prática.

AliExpress aumenta para oito por semana voos de carga para o Brasil

AliExpress aumenta para oito por semana voos de carga para o Brasil

"As vendas até 27 de março registraram um aumento de 190% em relação ao mesmo período do ano anterior", informou a nota.

Sesc-Rio de Janeiro investirá R$ 30 milhões em produções artísticas

Sesc-Rio de Janeiro investirá R$ 30 milhões em produções artísticas

Terminam no dia 8 de julho as inscrições de propostas artísticas de todo o país para o Edital de Cultura Sesc-RJ Pulsar 2022/2023

Capital paulista abre inscrições para festival de acessibilidade

Capital paulista abre inscrições para festival de acessibilidade

Entre as linguagens artísticas aceitas no festival estão artes visuais, cinema, circo, dança, fotografia, literatura, moda, música e teatro.

Empresas e instituições se unem para amenizar a fome no Brasil

Empresas e instituições se unem para amenizar a fome no Brasil

A pesquisa também revela que mais da metade (58,7%) dos brasileiros convive hoje com algum grau de insegurança alimentar