×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de janeiro de 2022

Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemia

Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemiaFoto: CNJ

Tribunal divulgou nota em que rebate declarações do presidente e destaca que responsabilidade para conter avanço do novo coronavírus é de todos os entes da federação

Estadão Conteúdo - 18/01/2021 - 18:40:43

O Supremo Tribunal Federal (STF) reagiu nesta segunda-feira, 18, às declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que, na esteira do colapso do sistema de saúde em Manaus, culpou os ministros pela ausência de atuação direta do governo federal no combate à pandemia da covid-19 em Estados e municípios.

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social negou que o tribunal tenha proibido o Planalto de agir para conter a disseminação da doença. “É responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira no que se refere à pandemia”, diz o texto.

A manifestação esclarece que o plenário apenas deu autonomia a Estados e municípios para, levando em conta o contexto local, determinarem medidas de isolamento social e enfrentamento ao novo coronavírus.

Ao longo da pandemia, o tribunal foi acionado em diversos impasses travados entre governos municipais, estaduais e federal na definição de ações para o controle da doença. Isso porque, enquanto a maioria dos governantes locais defendiam o isolamento como estratégia mais eficaz para frear o avanço do vírus, Bolsonaro insistia na reabertura da economia. Em um segundo momento, os entraves em torno de tratamentos e da obrigatoriedade da vacinação também foram judicializados.

“O Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões”, afirma a nota do STF.

Embora não cite o presidente, a manifestação foi divulgada depois que Bolsonaro se disse ‘impedido’ de atuar no combate à doença por determinação do tribunal. Segundo o presidente, pelo Supremo, ele deveria ‘estar na praia tomando uma cerveja’.

“Vou repetir aqui: que moral tem João Doria e Rodrigo Maia em falar em impeachment se eu fui impedido pelo STF de fazer qualquer ação contra a pandemia?”, afirmou na sexta-feira, 15, em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, na TV Band .

Leia a manifestação do Supremo Tribunal Federal:

“A Secretaria de Comunicação Social do Supremo Tribunal Federal (STF) esclarece que não é verdadeira a afirmação que circula em redes sociais de que a Corte proibiu o governo federal de agir no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Na verdade, o Plenário decidiu, no início da pandemia, em 2020, que União, estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente na área da saúde pública para realizar ações de mitigação dos impactos do novo coronavírus. Esse entendimento foi reafirmado pelos ministros do STF em diversas ocasiões.

Ou seja, conforme as decisões, é responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira no que se refere à pandemia.”

Comentários para "Supremo desmente Bolsonaro e diz que não proibiu governo de agir na pandemia":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Moradores denunciam ação policial em chacina que matou quatro pessoas na Chapada dos Veadeiros

Moradores denunciam ação policial em chacina que matou quatro pessoas na Chapada dos Veadeiros

Armas e plantas de maconha que teriam sido apreendidas pela Polícia Militar no local da chacina

Processo criminal da tragédia em Brumadinho pode voltar à estaca zero

Processo criminal da tragédia em Brumadinho pode voltar à estaca zero

Possível federalização do caso anularia setenças da Justiça estadual

Há 13 anos no topo da lista, Brasil continua sendo o país que mais mata pessoas trans no mundo

Há 13 anos no topo da lista, Brasil continua sendo o país que mais mata pessoas trans no mundo

De outubro de 2020 a setembro de 2021 foram registrados 375 assassinatos no mundo, o que representa um aumento de 7% em relação ao ano anterior

Intolerância religiosa:

Intolerância religiosa: "Brasil vive negação de direitos", afirma especialista

Violência aumentou nos últimos anos e políticas de combate foram enfraquecidas

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do "Caribe Amazônico" em Alter do Chão

Faixa de areia separa águas barrentas e claras no balneário turístico de Alter do Chão (PA)

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Rede de Sementes do Xingu já recuperou mais de 6 mil hectares de floresta na bacia do rio Xingu e Araguaia

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Em Minas Gerais, as fortes chuvas elevam o risco do rompimento de barragens com rejeitos da mineração, a exemplo do que aconteceu nas cidades de Mariana, em 2015, e de Brumadinho, em 2019

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Mônica Calazans, enfermeira e primeira vacinada no Brasil

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Fotografia tirada após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, que matou 272 pessoas

"A luta dos povos indígenas é uma luta válida e importante para todo o povo"

A Festa do Murici e Batiputá acontece entre os dias 12 e 15 de janeiro

Brasil precisará de um exército de profissionais agroflorestais para liderar a transição regenerativa no mundo

Brasil precisará de um exército de profissionais agroflorestais para liderar a transição regenerativa no mundo

Hoje a agricultura é considerada ainda uma vilã do clima e não resolve o problema da fome no mundo