×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 23 de janeiro de 2022

Supremo parece ter saído das cordas e passado à ofensiva

Supremo parece ter saído das cordas e passado à ofensivaFoto:

Segundo análise de Helena Chagas, do Jornalistas pela Democracia,

Helena Chagas - Portal 247 - 29/04/2020 - 16:19:00

Por Helena Chagas, para Os Divergentes e para o Jornalistas pela Democracia - Como diziam os antigos, chegou a hora de a onça beber água, e a onça agora – e não hiena – é o Supremo Tribunal Federal. Alvo de manifestações e ataques nas redes organizados pelo bolsonarismo, a Suprema Corte do país parece ter saído das cordas e passado à ofensiva. Sinal disso não é apenas a decisão do ministro Alexandre de Moraes de suspender a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para a direção da Polícia Federal nesta quarta-feira, mas todo o conjunto da obra das últimas semanas – permitindo prever que ainda virá mais.

Tudo indica, segundo quem circula no STF, que a liminar de Moraes, concedida sob o argumento de que a nomeação representa o risco de intervenção presidencial na PF, tem o amplo apoio de seus colegas. Aliás, boa parte das decisões monocráticas recentes em relação ao governo e à pandemia da Covid-19 tem tido respaldo da maioria ou até da unanimidade do Supremo quando levadas ao plenário. Assim foi, por exemplo, com a mais importante delas, a que confirmou a prerrogativa de estados e municípios de decretar as medidas relativas ao isolamento social.

Sim, é exatamente isso: o governo Bolsonaro conseguiu o milagre de celebrar uma trégua no belicoso plenário do STF e unir a maioria de seus ministros contra ele. Há outros temas que ainda dividem, mas aos poucos vai ficando claro que a resistência aos atos tresloucados do presidente não é um deles. Assim como o próprio Moraes proibiu a troca de delegados nos inquéritos que preside sobre a propagação de ataques nas redes e a organização de manifestações pró-golpe – nos quais a família Bolsonaro já foi mencionada -, tudo indica que o inquérito recém-aberto por Celso de Mello para investigar as acusações de Sergio Moro contra o ex-chefe vai andar.

É bom lembrar que Moro não é nenhuma unanimidade dentro do STF, mas o despacho de Mello autorizando a investigação não dá margem a dúvidas, ainda que a representação do PGR Augusto Aras tenha incluído o ex-ministro nas apurações: o investigado é o presidente da República. Moro poderá até vir a ser objeto de alguma apuração se, ao longo do caminho, motivos existirem, e poderá levar o seu puxão de orelhas no processo em que a defesa de Lula questiona sua imparcialidade em relação ao ex-presidente – argumento que vai ficando fortalecido à medida em que se afunda cada vez mais na disputa política. Mas a bola da vez no STF é Bolsonaro.

Comentários para "Supremo parece ter saído das cordas e passado à ofensiva":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
2022 será ano determinante para a liberdade

2022 será ano determinante para a liberdade

Students for Liberty Brasil vê 2021 como período em que o liberalismo retrocedeu, apontando grandes desafios para este ano

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do

Garimpo ilegal em alta no PA: Lama escurece águas do "Caribe Amazônico" em Alter do Chão

Faixa de areia separa águas barrentas e claras no balneário turístico de Alter do Chão (PA)

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Inscrição é gratuita e pode ser feita pela internet

Belém adia volta presencial às aulas na rede pública de ensino

Belém adia volta presencial às aulas na rede pública de ensino

Após contaminação de professores por covid-19, retorno será gradual

Covid-19: Estados começam a enviar informações sobre vacinação ao STF

Covid-19: Estados começam a enviar informações sobre vacinação ao STF

Suprema Corte pediu detalhes sobre vacinação de menores

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Mais de 500 coletores de sementes atuam na recuperação da Amazônia e do Cerrado

Rede de Sementes do Xingu já recuperou mais de 6 mil hectares de floresta na bacia do rio Xingu e Araguaia

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Desejos de Ano Novo: Fora Bolsonaro, Democracia e Justiça Ambiental para todos

Em Minas Gerais, as fortes chuvas elevam o risco do rompimento de barragens com rejeitos da mineração, a exemplo do que aconteceu nas cidades de Mariana, em 2015, e de Brumadinho, em 2019

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Mônica Calazans, enfermeira e primeira vacinada no Brasil

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Fotografia tirada após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, que matou 272 pessoas

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Cerca de 50 categorias pedem reajustes de 20% a 28%

"A luta dos povos indígenas é uma luta válida e importante para todo o povo"

A Festa do Murici e Batiputá acontece entre os dias 12 e 15 de janeiro