×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 09 de dezembro de 2021

"Tecnologia tem que ser voltada para sociedade”, diz consultora em TI

Foto: Divulgação TV Brasil

“O movimento Black Money é um Hub de inovação tecnológica para a emancipação e a autonomia da comunidade negra no Brasil e no mundo”

Por Tv Brasil Brasília - 18/11/2019 - 17:56:50

Ela está na lista das 20 mulheres mais poderosas do Brasil, segundo a Revista Forbes, e em 2018 foi eleita uma das 100 pessoas afrodescendentes mais influentes do mundo com menos de 40 anos. Com carreira consolidada na área de Tecnologia da Informação (TI), Nina Silva é uma das criadoras do Movimento Black Money, que tem sido a porta de entrada para a transformação de muita gente no mundo do trabalho, especialmente da população negra. “O movimento Black Money é um Hub de inovação tecnológica para a emancipação e a autonomia da comunidade negra no Brasil e no mundo”, define Nina.

Em entrevista ao programa Impressões, que vai ao ar hoje (18), às 23h na TV Brasil, Nina Silva falou de educação financeira, empreendedorismo e tecnologia e lembrou como tudo isso está ajudando a mudar a realidade de muitos brasileiros.

Formada em administração, Nina nasceu numa das maiores favelas da América Latina. Virou consultora em TI, chefiou equipes, trabalhou em diversas multinacionais, inclusive fora do país. Depois de sofrer com a Síndrome de Burnout (provocada pelo excesso de trabalho), foi morar nos Estados Unidos. “Lá, comecei a observar que o meu problema não era sair do Brasil, o meu problema não era sair da tecnologia e sim entender que a tecnologia deveria ser mais inclusiva e mais realista. Porque a tecnologia tem que ser voltada para a sociedade. E o que é a sociedade senão todas as pessoas? E que essas pessoas são diferentes... Se a tecnologia não é feita por todas essas pessoas, ela nunca vai causar impacto em quem precisa alcançar”, afirma.

Nina ressalta a importância da população negra na economia do país. “A gente está falando de R$ 1,7 trilhão movimentados na economia”, 56% da população brasileira, cerca de 115 milhões de pardos e pretos autodeclarados”, acrescenta, citando dados do IBGE. Ela lembra que o acesso ao crédito a essas pessoas ainda é um desafio. “A gente está falando de uma maioria populacional que hoje representa dois terços dos desempregados do país e 53% dos microempreendedores, que não têm acesso a crédito nem a serviço financeiro”.

Foi a partir dessa constatação que surgiu a ideia de criar o Black Money, plataforma online que permite a conexão entre empreendedores e consumidores negros, um negócio de impacto social que gera lucro, emprego e renda. A iniciativa, que é uma espécie de centro de inovação, oferece treinamentos em gestão e tecnologia e tem produzido bons resultados. “Somos impactados diretamente por mês por 80 mil pessoas em relação às nossas redes, em mailing e eventos”, observa a criadora do Black Money. “A gente vem trabalhando educação e pautando empresas que, muitas vezes, querem divulgar as vagas e aumentar a diversidade dentro do seu corpo de trabalhadores. A gente se conecta tanto a essas pessoas que passam pelos nossos cursos quanto a essas empresas que querem absorver uma mão de obra que está em desenvolvimento e é qualificada”.

Atenta às mudanças, Nina sabe da importância de criar espaços institucionais para acompanhar os novos tempos tecnológicos e se reinventar num mercado competitivo. “Hoje, a tecnologia não consegue ‘sobra’ em algumas áreas. São áreas que, muitas vezes, têm uma especificidade ou então são muito novas, e a gente ainda não tem pessoas completamente formadas nessas áreas”. Por isso, ela defende o diálogo entre empresas e sociedade civil na construção de espaços de desenvolvimento conjunto. “O processo de desenvolvimento tem que ser contínuo. E não acharmos que as pessoas já têm que vir preparadas porque não vai ter preparação possível nesse mundo tecnológico, em que a cada hora você está obsoleto. A cada hora, uma coisa nova vem. Então, o que se faz com esse profissional? Você o coloca na rua ou trabalha a transformação e o desenvolvimento dele ao longo do período?”, indaga.

Edição: Graça Adjuto

Comentários para ""Tecnologia tem que ser voltada para sociedade”, diz consultora em TI":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Multas aplicadas contra empresas de ônibus podem ser usadas para reduzir tarifas no DF

Multas aplicadas contra empresas de ônibus podem ser usadas para reduzir tarifas no DF

Decisão do Tribunal de Contas do DF pede estudo sobre compensação de multas de empresas de ônibus para redução ou controle da tarifa.

Participantes de audiência debatem falta de segurança e de manutenção na Rodoviária de Brasília

Participantes de audiência debatem falta de segurança e de manutenção na Rodoviária de Brasília

Recente decisão do governo de retornar a administração da rodoviária para a Secretaria de Transportes e Mobilidade foi bem recebida pelos participantes do debate proposto pelo deputado Chico Vigilante

População do DF pode escolher o imunizante contra a Covid-19

População do DF pode escolher o imunizante contra a Covid-19

Aproximadamente 211 mil moradores do DF já poderiam ter recebido a segunda dose, mas ainda não compareceram a um local de vacinação

Publicada resolução que define níveis do Lago Paranoá para 2022

Publicada resolução que define níveis do Lago Paranoá para 2022

Resolução da Adasa define os níveis altimétricos da água que devem ser mantidos no Lago Paranoá em 2022

Posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto no DF disponibiliza doses contra a Covid-19

Posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto no DF disponibiliza doses contra a Covid-19

Posto de Vacinação contra a covid-19 na Rodoviária do Plano Piloto está localizado na plataforma inferior, ao lado da administração

Detran-DF reforça orientações gerais a motociclistas

Detran-DF reforça orientações gerais a motociclistas

Campanhas de conscientização do Detran são constantes e têm como foco a segurança de todos

220 mil pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada no DF

220 mil pessoas estão com a segunda dose da vacina atrasada no DF

Há estoque de vacinas contra o coronavírus para primeira e segunda doses, dose de reforço e dose adicional; números revelam a efetividade da campanha

Biometria passa a ser oferecida em mais três postos do Na Hora

Biometria passa a ser oferecida em mais três postos do Na Hora

Postos do Na Hora de Taguatinga, Gama e Riacho Fundo passarão a oferecer o serviço de identificação biométrica

Aulas no DF começam em 14 de fevereiro de 2022

Aulas no DF começam em 14 de fevereiro de 2022

A portaria que define o calendário anual e semestral contendo todas as datas e eventos pedagógicos previstos será publicada nos próximos dias no Diário Oficial do DF

Entidades realizam ato contra tentativa de censura em escola do DF

Entidades realizam ato contra tentativa de censura em escola do DF

Em nota, corpo docente diz que repudia “toda e qualquer forma de perseguição, cerceamento e censura ao livre trabalho docente dessa Unidade de Ensino”.

Colorida e popular: Drag queen e ativista do MST lança pré-candidatura a deputada federal no DF

Colorida e popular: Drag queen e ativista do MST lança pré-candidatura a deputada federal no DF

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, participou do ato de filiação de Ruth Venceremos ao partido