×
ContextoExato

Tem dívida no cheque especial? Pode trocar de banco e pagar menos juros

Tem dívida no cheque especial? Pode trocar de banco e pagar menos jurosFoto: Pixabay

Perdeu os feirões de dívidas? Ainda dá para negociar e sair do vermelho

João José Oliveira Do Uol, Em São Paulo - 04/01/2020 - 16:41:45

Os juros do cheque especial estão entre os mais altos do mercado no Brasil. Mesmo com as novas regras. válidas a partir de segunda-feira (6), com limite de 8% ao mês, a taxa continua alta.

Cerca de 90 milhões de brasileiros têm cheque especial disponível no banco, e as dívidas nessa modalidade somam R$ 26,5 bilhões. Se você é um dos que não conseguem escapar da armadilha do cheque especial, a portabilidade dessa dívida, criada recentemente, pode ajudar a pagar menos juros.

Relacionadas

Você vai pagar taxa do cheque especial mesmo sem usar; saiba o que fazer

Juros caem de novo, e alguns investimentos perdem da inflação. O que fazer?

Perdeu os feirões de dívidas? Ainda dá para negociar e sair do vermelho

A portabilidade nada mais é do que transferir sua dívida para outro banco, possibilidade que já existia para financiamento imobiliário e empréstimo pessoal, por exemplo. Em outubro, 1,1 milhão de consumidores transferiram dívidas de um banco para outro, movimentando R$ 4,7 bilhões, segundo o Banco Central.

Agora, a portabilidade do cheque especial merece muita atenção do devedor, de acordo com Ana Rosa Vilches, educadora financeira da DSOP Educação Financeira.

"O cheque especial é um problema. A pessoa usa achando que ele é um complemento da renda, mas como os juros são muito altos, a dívida vai crescendo. Para pagar as contas, ela acaba entrando em outras dívidas, como cartão de crédito e crédito pessoal", disse.

Compare taxas de outras linhas no seu banco

A primeira ação do consumidor, diz Ana Rosa, é tentar negociar com seu banco a troca da dívida no cheque especial por outra modalidade, como o crédito pessoal, no qual os juros são, em média, de 5,9% ao mês.

Se você usou mais de 15% do limite do cheque especial por 30 dias seguidos, o banco também deve oferecer a opção de transformar a dívida do cheque especial em outra modalidade, a do cheque especial parcelado. Nela, o uso do cheque especial é congelado em um certo valor e os juros são menores, de 3,2% ao mês, em média.

Procure outros bancos

Os juros do cheque especial costumam variar muito de banco para banco. Por isso, mesmo que seu banco aceite a proposta de trocar a modalidade do crédito, é recomendável procurar outros bancos para saber se a taxa oferecida é boa.

Informações disponibilizadas pelo BC mostram que o campeão dos juros no cheque especial é o Banco Mercantil do Brasil, com taxa média de 16,15% ao mês. A menor taxa é a do Banco Ribeirão Preto, com média de 1,52% ao mês.

Nos maiores bancos do país, as taxas médias são:

  • Santander: 14,75%
  • Itaú Unibanco: 12,44%
  • Bradesco: 12,42%
  • Banco do Brasil: 12,04%
  • Caixa: 9,37%

Vale frisar que esses valores são médios -as taxas podem variar de cliente para cliente.

Avalie a cobrança de tarifas

A taxa de juros é o principal item a ser comparado antes de transferir uma dívida para outro banco, mas não é o único. "É sempre bom ter a oportunidade de transferir a dívida porque isso obriga o banco a negociar com você. Mas é preciso avaliar as outras condições que você tem na instituição", disse Ana Rosa.

É o caso das tarifas bancárias. Para transferir a dívida, o novo banco vai exigir que você abra uma conta corrente. Nesse caso, cabe avaliar se o banco que oferece juros mais baixos cobra, por outro lado, tarifas mais altas para saques ou transferências.

Atenção ao valor total da dívida

De que adianta ter taxas de juros mensais mais baixas se o valor total da dívida for maior, porque o banco cobra mais parcelas?

Por essa razão, o Banco Central proíbe que o banco que vai receber sua dívida do cheque especial estabeleça um valor total maior do que o devido no banco anterior. Fique atento a isso.

Operação é feita entre os bancos

Após analisar cada fator, se você optar pela portabilidade, deverá ir ao seu banco para pedir um documento de portabilidade, com informações sobre a dívida.

Depois, leve esse documento ao novo banco, junto com RG, CPF e comprovante de residência para abertura da conta corrente. O restante da operação é feito pelos próprios bancos, sem que você precise fazer mais nada.

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.

Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.

Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

UOL Notícias

Comentários para "Tem dívida no cheque especial? Pode trocar de banco e pagar menos juros":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório