×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de outubro de 2021

Theresa May diz que renuncia se acordo do governo para Brexit for aprovado

Theresa May diz que renuncia se acordo do governo para Brexit for aprovadoFoto: Brasil de Fato

"Ouvi o desejo da bancada do partido no Parlamento. Eu sei que existe um desejo por uma nova abordagem", afirmou

Opera Mundi-brasil De Fato - 27/03/2019 - 17:53:50

Em uma reunião fechada com parlamentares do partido Conservador, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta quarta-feira (27) que irá renunciar ao cargo se o acordo proposto pelo governo para o Brexit for aprovado pelo Parlamento.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, a renúncia de May aconteceria somente após a aprovação do acordo para a saída da União Europeia no Parlamento e antes da segunda fase de negociações do Brexit, que seria conduzida pelo próximo primeiro-ministro.

Segundo trechos da fala de May durante o encontro divulgados por Downing Street, a premiê afirmou que compreende a necessidade de sua saída, mas que antes é preciso "fechar este acordo e concluir o Brexit".

"Eu ouvi claramente o desejo da bancada do partido no Parlamento. Eu sei que existe um desejo por uma nova abordagem - e uma nova liderança - na segunda fase das negociações do Brexit, e eu não ficarei no caminho disso", afirmou a premiê.

Ainda de acordo com Downing Street, May disse que está "preparada" para deixar o cargo "mais cedo" do que pretendia". "[É] Para fazer isso de forma correta para nosso país e para nosso partido", disse.

A primeira-ministra ainda afirmou que antes de sua saída "o trabalho deve ser concluído" e fez um apelo aos parlamentares presentes para que votassem a favor do acordo do governo.

"Eu peço a todos nesta sala que apoiem o acordo para que nós possamos completar nosso dever histórico - para entregar essa decisão ao povo britânico e sair da União Europeia de maneira suave e ordeira", disse May.

Terceira votação

O projeto para a saída da União Europeia proposto pelo governo de May encontra resistência não apenas dos parlamentares, que já rejeitaram por duas vezes o acordo, mas também do presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, que chegou a proibir uma terceira votação se não fossem realizadas mudanças substanciais no texto.

Em pronunciamento realizado no início do mês, a premiê criticou o Parlamento, dizendo que a Casa fez tudo que podia "para evitar fazer uma escolha. Moção atrás de moção, emenda atrás de emenda, tem sido colocada sem que o Parlamento decida o que quer".

Extensão do prazo

Em carta enviada no dia 20 de março ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, a primeira-ministra pediu uma extensão no prazo para a saída do bloco europeu, já que a data limite original (29 de março) se aproxima e o Parlamento britânico ainda não aprovou nenhum acordo.

Por sua vez, Donald Tusk anunciou que os líderes dos países que compõem a União Europeia só irão adiar o prazo do Brexit se a primeira-ministra conseguir aprovar seu acordo para a saída do bloco no Parlamento.

Edição: Opera Mundi

Comentários para "Theresa May diz que renuncia se acordo do governo para Brexit for aprovado":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Rússia bate novo recorde de mortes por Covid-19

Rússia bate novo recorde de mortes por Covid-19

A Rússia foi o primeiro país do mundo a autorizar uma vacina contra covid-19 com o lançamento do Sputnik V em agosto de 2020

Moscou adotará medidas de lockdown para conter alta da Covid-19

Moscou adotará medidas de lockdown para conter alta da Covid-19

Regras entram em vigor a partir do dia 28

130ª Feira de Cantão: China continua a abertura e compartilha oportunidades com o mundo

130ª Feira de Cantão: China continua a abertura e compartilha oportunidades com o mundo

Em sua carta, Xi observou que a feira fez contribuições significativas para facilitar o comércio internacional, o intercâmbio externo-interno e o desenvolvimento econômico desde sua criação em 1957

Paraguai reforça segurança na fronteira com Brasil

Paraguai reforça segurança na fronteira com Brasil

Congressistas americanos pedem recuo na relação com Brasil

Desenvolvimento é a força motriz da erradicação da pobreza na China

Desenvolvimento é a força motriz da erradicação da pobreza na China

Entre 1990 e 2010, no contexto da arrancada industrial, proporção de população pobre chinesa passou de 66,3% para 11,2%, de acordo com o Banco Mundial

China emite selos comemorativos da COP15

China emite selos comemorativos da COP15

Foto tirada em 11 de outubro de 2021 mostra os detalhes de um selo comemorativo para a 15ª reunião da Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (COP15) realizada em Kunming, Província de Yunnan, sudoeste da China.

ONG austríaca denuncia Jair Bolsonaro a tribunal internacional por 'crimes contra a humanidade'

ONG austríaca denuncia Jair Bolsonaro a tribunal internacional por 'crimes contra a humanidade'

O tribunal não tem obrigação de julgar todos os casos apresentados.

Veja o que dizem os presidentes latino-americanos flagrados com empresas em paraísos fiscais

Veja o que dizem os presidentes latino-americanos flagrados com empresas em paraísos fiscais

As Ilhas Virgens Britânicas são consideradas um dos principais paraísos fiscais do mundo, possuem apenas 152km² e 400 mil empresas registradas, recebendo cerca de US$ 60 bilhões anualmente

Brasil concede 80 vistos humanitários para cidadãos do Afeganistão

Brasil concede 80 vistos humanitários para cidadãos do Afeganistão

Estão em andamento mais 400 pedidos de vistos

Igreja Católica da França: 216.000 menores foram vítimas de abuso sexual em 70 anos, diz relatório

Igreja Católica da França: 216.000 menores foram vítimas de abuso sexual em 70 anos, diz relatório

Cerca de 3.000 pedófilos atuaram na Igreja Católica da França desde 1950, conforme um relatório da Comissão Independente Francesa sobre Abuso Sexual na Igreja.

Pelo menos 8 países apuram denúncias sobre uso de paraísos fiscais por líderes

Pelo menos 8 países apuram denúncias sobre uso de paraísos fiscais por líderes

Autoridades tributárias de Austrália, México, Espanha e Panamá fizeram comunicados públicos afirmando que estão acompanhando as denúncias reportadas e garantindo que investigarão possíveis crimes e indivíduos mencionados nos Pandora Papers.