×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de agosto de 2022

TSE assina acordo e formaliza Missão de Observação da Uniore

TSE assina acordo e formaliza Missão de Observação da Uniore

Foto: Tribunal Superior Eleitoral

Grupo formado por organismos eleitorais do continente americano apresentará relatório no contexto do pleito geral de outubro

Tribunal Superior Eleitoral - 02/08/2022 - 20:37:46

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, e o conselheiro-presidente do Instituto Nacional Eleitoral (INE) do México, Lorenzo Córdova Vianello, assinaram nesta terça-feira (2) acordo de procedimentos para a realização de Missão de Observação Eleitoral (MOE) internacional da União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore) nas Eleições Gerais 2022. A celebração do protocolo ocorreu em cerimônia na sede do Tribunal, em Brasília.

Este é o terceiro acordo de procedimentos assinado com organismos internacionais para a atuação de missões de observação no pleito de outubro. O TSE já formalizou parcerias com o Parlamento do Mercosul (Parlasul) e com a Organização dos Estados Americanos (OEA). Os documentos estabelecem deveres e responsabilidades das partes e garantem total liberdade e autonomia para acompanhar e avaliar o processo eleitoral brasileiro.

Ao celebrar o acordo desta terça, o presidente do TSE deu as boas-vindas aos integrantes da Missão Avançada Independente de Observação Eleitoral da Uniore e ressaltou que a visita representa a continuidade dos trabalhos da instituição nas Eleições Gerais de outubro, bem como permite trilhar novas frentes de cooperação entre o Tribunal e organismos homólogos na América Latina.

Fachin enfatizou a importância das missões de observação para o aprimoramento do sistema eleitoral brasileiro. Ele informou que as eleições deste ano contarão com oito missões de observação nacional e mais de uma centena de observadores internacionais. “Com todos esses organismos, o propósito do TSE é o mesmo: cooperar com a comunidade internacional e dialogar para fins de aprimoramento do sistema eleitoral brasileiro e, portanto, de nossa democracia”, reforçou.

Segundo o ministro, o Tribunal abre suas portas à observação e à análise internacional, com total transparência, para que sejam apresentadas recomendações que colaborem para o esforço contínuo e incessante de modernização e de aprofundamento da integridade institucional. “É o Brasil eleitoral, produto legítimo de uma nação livre, soberana e independente, dialogando com as instituições e as democracias de diversos países”, afirmou.

Fachin destacou ainda a expertise adquirida pela Uniore ao longo de 30 anos de participação em missões de observação. A instituição reúne 30 organismos eleitorais de 23 países do continente americano, conta com um centro especializado permanente em São José da Costa Rica e já realizou dezenas de missões na região.

Confira a íntegra do pronunciamento do ministro Edson Fachin.

Uniore

Falando em nome da Uniore, Lorenzo Córdova classificou como “privilégio” poder participar como observador da maior eleição da América Latina e colaborar para que o Brasil continue sendo referência de democracia no continente. Ele ressaltou que, em mundo desigual e polarizado, o exercício do voto é um dos momentos mais igualitários do sistema democrático, em que todos são iguais perante as urnas.

O presidente do Conselho Nacional das Eleições da República Dominicana, Román Jáquez, destacou a importância das missões de observação para o fortalecimento da democracia e enalteceu a iniciativa de transparência, legitimidade e confiança promovida pela Justiça Eleitoral brasileira.

Entre as atividades de observação, a Uniore acompanhará o funcionamento e a auditabilidade do sistema eletrônico de votação; as campanhas de desinformação; a participação política de grupos socialmente excluídos; a violência eleitoral; e o financiamento de campanhas eleitorais. Em relação à urna eletrônica, a equipe de Tecnologia da Informação do TSE fornecerá todos os elementos e dados necessários para uma observação técnica e profunda, que permita à Missão avaliar os avanços e os limites do nosso sistema eletrônico.

Criada em 1991 para apoiar a cooperação entre as associações que integram o grupo, a Uniore reúne dezenas de organismos eleitorais das Américas, voltados à promoção de sistemas eleitorais seguros, eficientes e democráticos, em que seja garantido o voto de forma livre, universal e secreta.

Na quarta-feira (3), às 17h, a delegação da Uniore realizará uma entrevista coletiva para detalhar o trabalho a ser desenvolvido nas eleições brasileiras. A entrevista será na Sala de Conferências do Hotel Windsor Brasília, localizado no Setor Hoteleiro Norte (SHN), quadra 1, conjunto A, bloco A.

Deveres e responsabilidades

De acordo com o documento assinado, o grupo de observadores da Uniore nas eleições de outubro será composto exclusivamente por pessoas estrangeiras, que manterão conduta rigorosa de imparcialidade, objetividade, independência, respeito à soberania nacional e não ingerência no processo eleitoral brasileiro.

Lorenzo Córdova atuará como chefe da Missão, que deve respeitar a declaração dos Princípios de Observação Eleitoral Internacional e o Código de Conduta para Observadores Eleitorais Internacionais adotados pela Organização das Nações Unidas (ONU). Em nenhum caso, a Missão envolverá fiscalização das eleições, bem como o exercício ou subtração de poderes ou atribuições conferidas à Justiça Eleitoral pelo sistema jurídico brasileiro.

A Missão poderá efetuar, a partir das próximas semanas até as eleições, análise tecnológica e operacional das urnas eletrônicas, por meio de peritos informáticos que terão acesso ao código-fonte e a todos os demais elementos do sistema eletrônico de votação e totalização.

Antes, durante e após a votação, o Tribunal garantirá aos membros da Missão o acesso às instalações e aos órgãos eleitorais subordinados, incluindo aos centros de votação, para que acompanhem a constituição das mesas e os procedimentos de escolha dos eleitores, apuração e totalização de resultados, bem como os atos de proclamação dos candidatos eleitos.

Nas eleições, os observadores poderão circular por todo o país, com notificação prévia ao TSE, para garantir a segurança, e terão livre acesso aos partidos políticos, candidatos, funcionários eleitorais e representantes de organizações com fins políticos.

Acesse a íntegra do acordo de procedimentos com a Uniore.

Plano de atividades

O TSE prestará toda a cooperação necessária para a execução do trabalho de observação. A Missão de Observação fornecerá ao Tribunal, com a devida antecedência, o plano geral de atividades, a quantidade de observadores – com nome e documentação pessoal – e o roteiro de deslocamentos das equipes pelo país. O acordo se dará a título não oneroso, com todos os custos e contratações sendo cobertos por recursos próprios da Uniore.

Ao final da missão, será publicado relatório com as conclusões e recomendações dos observadores.

Participantes

Além do presidente do TSE, compuseram a mesa de honra da cerimônia de assinatura os ministros Alexandre de Moraes (vice-presidente do TSE), Benedito Gonçalves, Sérgio Banhos e Carlos Horbach; o conselheiro-presidente do INE e chefe da Missão de Observação Eleitoral da Uniore, Lorenzo Córdova; o copresidente da Uniore e presidente do Conselho Nacional das Eleições da República Dominicana, Román Jáquez; a presidente do Tribunal Supremo de Eleições da Costa Rica, Eugenia Zamorra; e o vice-presidente da Câmara Nacional Eleitoral da Argentina, Alberto Ricardo Dalla Via.

Mobilização

O ministro Edson Fachin mobilizou os principais organismos internacionais de observação eleitoral para acompanhar as eleições brasileiras. Além das três organizações que já formalizaram acordos, o Tribunal convidou a Rede Eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a Rede Mundial de Justiça Eleitoral e outros organismos e centros especializados em matéria eleitoral, como as organizações norte-americanas Carter Center e International Foundation for Electoral Systems (Ifes).

MC/CM, LC, DM

Leia mais:

22.07.2022 - TSE recebe Missão de Observação Eleitoral da Uniore em agosto

21.06.2022 - Presidente do TSE participa do lançamento da Missão de Observação Eleitoral da UNIORE

05.07.2022 - TSE celebra acordo com a OEA para receber missão de observação nas Eleições 2022

Comentários para "TSE assina acordo e formaliza Missão de Observação da Uniore":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro