×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Um sonho, grandes vitórias para o Distrito Federal

Um sonho, grandes vitórias para o Distrito FederalFoto: Mary Leal/Secretaria de Educação

O campeão paralímpico Wendell e seu técnico, Marcus Lima: amizade e confiança no esporte

Agência Brasília - 08/10/2021 - 21:53:12

Ex-estudante da Secretaria de Educação ganha ouro, prata e bronze nas Paralimpíadas de 2021

A conquista por meio do esporte pulsa com diferentes significados: às vezes são de superação, às vezes de perseverança ou, até mesmo, regados de desafios. Com o paratleta Wendell Belarmino, de 23 anos, foi um pouco de tudo isso.

Ex-estudante da rede pública de ensino do Distrito Federal, ele voltou dos Jogos Paralímpicos com três medalhas. Ouro, prata e bronze no torneio de natação para deficientes visuais de Tóquio.

Wendell deu as primeiras braçadas na piscina do Minas Tênis Clube, escolinha de natação. Ainda estava no ensino fundamental. “Quando comecei a nadar, nem sabia que esporte paralímpico existia direito, mas sempre fui muito competitivo, e mesmo nas primeiras aulas, dava o meu melhor para chegar em primeiro lugar”, lembra.

“A natação passou de um hobby para uma profissão. É um sonho meu que se realiza. Não só no esporte, mas na vida como um todo, se a gente tiver um objetivo e lutar, fizer o possível para alcançá-lo, o dia vai chegar”Wendell Belarmino, campeão paralímpico

O jovem conta que foi em 2012, ao acompanhar as vitórias do também paratleta Daniel Dias, multicampeão de natação paralímpica, que nasceu a vontade de competir em alto nível.

Depois de seis anos de dedicação total, o momento mais esperado chegou. Ele viajou para Tóquio e ganhou ouro na modalidade de 50m livre, prata em revezamento e bronze nos 100m borboleta. As competições foram na classificação funcional S11, para deficiente visual total.

“A natação passou de um hobby para uma profissão. É um sonho meu que se realiza. Não só no esporte, mas na vida como um todo, se a gente tiver um objetivo e lutar, fizer o possível para alcançá-lo, o dia vai chegar. Foi isso que fiz nesses seis anos de preparação: dei o máximo que podia, às vezes, até mais do que achava que era capaz, e estou muito feliz com o resultado”, destaca o campeão.

Admiração e orgulho

Wendell foi classificado para as paralimpíadas depois do ouro conquistado no mundial de Londres, em 2019. O jovem lembra, também, das Paralimpíadas Escolares que participou em 2013, ainda quando era aluno do Centro de Ensino Médio Setor Leste; e em 2015, já com o acompanhamento do atual treinador, Marcus Lima.

O treinador conta que o orgulho e a admiração definem o sentimento depois desses anos de companheirismo: “Um tem que confiar no outro. Ele tem que confiar no meu trabalho fora da piscina e eu tenho que confiar no desempenho e perseverança dele dentro da piscina. Temos uma parceria muito importante, uma amizade”.

A família também se emociona a cada passo do jovem campeão. A mãe, Laudicéia Belarmino, conta que ver o sorriso de realização do filho é o maior presente. “É muita alegria. Ver o sonho dele realizado é muito bom. Quando ele me disse: mãe, quero nadar. Fomos juntos atrás desse sonho”, descreve Laudicéia.

Uma conquista de todos

Em parceria com a Associação de Centro de Treinamento de Educação Física (Cetefe) e do Centro de Referência Paraolímpico Brasileiro, a Secretaria de Educação trabalha para ampliar a participação dos estudantes nas Paralimpíadas Escolares.

Assim como Wendell conquistou os primeiros passos como atleta paralímpico por meio desse suporte, a Diretoria de Educação Física e Desporto Escolar (Defide) tem como propósito incentivar a prática do esporte como meio transformador para todos os estudantes.

“O movimento paralímpico do Distrito Federal só é possível graças ao trabalho da Cetefe e é com muito orgulho que temos essa parceria. Acreditamos que a maior conquista é a autonomia que o esporte carrega. A vitória de cada estudante nosso é um orgulho, não só para nós da rede, como também para todo o Distrito Federal”, ressalta Marcelo Ottoline, diretor da Defide.

*Com informações da Secretaria de Educação

Comentários para "Um sonho, grandes vitórias para o Distrito Federal":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Brasília, a capital do beach tennis

Brasília, a capital do beach tennis

Clube de Engenharia recebe o ITF Sand Series até domingo (17) com os principais nomes da modalidade

Vôlei: Sul-Americano masculino é cancelado por Covid-19 no Minas Tênis

Vôlei: Sul-Americano masculino é cancelado por Covid-19 no Minas Tênis

Clube sediaria o evento a partir de sábado (16), em Belo Horizonte

Celeiro de atletas, Jogos Universitários Brasileiros começam no DF

Celeiro de atletas, Jogos Universitários Brasileiros começam no DF

Evento deve reunir 4,5 mil participantes de 400 instituições de ensino

Por suposta fraude no sistema de saúde, 18 ex-jogadores da NBA são presos nos EUA

Por suposta fraude no sistema de saúde, 18 ex-jogadores da NBA são presos nos EUA

Os 18 jogadores estão entre 19 indivíduos que participaram da operação, que foi realizada entre os anos de 2017 e 2020.

Distrito Federal sedia Jogos Universitários Brasileiros

Distrito Federal sedia Jogos Universitários Brasileiros

Serão 118 atletas locais participando do evento, entre 11 e 18 de outubro, em nove modalidades

Jiu-jítsu brasileiro conquista príncipes dos Emirados Árabes

Jiu-jítsu brasileiro conquista príncipes dos Emirados Árabes

Brasileiros ganham a vida como instrutores desse esporte

Começa, no Parque da Cidade, o Circuito Praia do Cerrado

Começa, no Parque da Cidade, o Circuito Praia do Cerrado

Circuito será dividido em nove categorias

Simone Biles diz que deveria ter desistido de competir antes dos Jogos de Tóquio

Simone Biles diz que deveria ter desistido de competir antes dos Jogos de Tóquio

Em entrevista à revista The Cut, Biles relembra o sofrimento por revelar, em 2018, ter sofrido abusos sexuais de Larry Nassar, médico da seleção norte-americana de ginástica artística.

'Efeito Rebeca' faz Guarulhos ter boom na ginástica artística

'Efeito Rebeca' faz Guarulhos ter boom na ginástica artística

Modalidades como voleibol, basquete, futsal, futebol, ginástica artística, ginástica rítmica, judô, karatê, badminton, atletismo e kickboxing já voltaram às aulas.

Audiência pública na Câmara dos Deputados debate os Jogos Universitários

Audiência pública na Câmara dos Deputados debate os Jogos Universitários

Estudantes se enfrentarão em 26 modalidades – 15 tradicionais, quatro voltadas para o paradesporto e sete franquias de esports (esportes eletrônicos)

Brasil nas Paralimpíadas e a necessidade de trazer de volta o debate sobre deficiência

Brasil nas Paralimpíadas e a necessidade de trazer de volta o debate sobre deficiência

Beth Gomes, medalhista de ouro e recordista mundial na modalidade de lançamento de disco