×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Um terço da Câmara Legislativa em Brasília responde a processos na Justiça

Um terço da Câmara Legislativa em Brasília responde a processos na JustiçaFoto: Hugo Barreto-Metrópoles

Improbidade administrativa e danos morais estão entre as acusações analisadas pelo Judiciário contra os parlamentares do DF

Por Suzano Almeida-metrópoles - 31/03/2019 - 20:28:45

Um terço da atual composição da Câmara Legislativa (CLDF) – o que corresponde a oito distritais – responde a algum processo no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Desse grupo, apenas três são novatos na Casa. O levantamento leva em conta apenas processos públicos, não constando os sob sigilo.

O primeiro da lista, com oito menções no site do TJDFT, é Agaciel Maia (PR). Sete das ações se referem a supostos atos de improbidade administrativa cometidos em decorrência dos mandatos como distrital.

Um dos exemplos mais recentes diz respeito a pareceres que aprovaram, em 2017, renúncia fiscal. Segundo o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), a proposta não teve o devido estudo de impacto e resultou em uma perda de R$ 480 milhões aos cofres distritais.

A Justiça negou o pedido e inocentou Agaciel, o então distrital (hoje deputado federal) Professor Israel Batista (PV) e Rafael Prudente (MDB), atual presidente da Câmara Legislativa, afirmando que eles estavam dentro de seu papel constitucional. O MPDFT, no entanto, recorreu.

A única acusação que não diz respeito às atividades como deputado é relacionada ao período de 22 anos nos quais ele esteve à frente da Secretaria-Geral do Senado. Agaciel, nesse caso, responde por envolvimento no escândalo dos “atos secretos”, normas internas da Casa que não eram publicizadas. O processo hoje está no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O deputado afirma ser inocente em todos os casos. “Em 42 anos de vida pública, nunca tive uma condenação sequer. Sempre que fui chamado a dar explicações à Justiça, demonstrei que não havia nada de errado nas minhas atividades. Sempre trabalhei pelo bem público”, afirmou. “Mas essas questões ficam se prolongando e causam esse desgaste, como a do Senado, que vai para 10 anos e está para prescrever”, acrescentou Agaciel Maia.

O presidente da CLDF, Rafael Prudente, tem dois processos, ambos por improbidade administrativa em decorrência da função parlamentar. Um deles é o mesmo ao qual Agaciel responde, por pareceres supostamente irregulares em projetos. O TJDFT os inocentou, mas como o Ministério Público recorreu, a ação segue sem desfecho.

O caso do novato na Câmara Legislativa Eduardo Pedrosa (PTC), que também tem dois processos, é diferente. Em um deles, o distrital ainda tenta dissolver sociedade anterior à sua eleição. Outra ação diz respeito a um acidente de trânsito no qual ele se envolveu há alguns anos.

Questionada pela reportagem, a assessoria de Pedrosa disse que “os processos não têm relação com a atividade parlamentar do deputado”.

Danos morais
O nome de Chico Vigilante (PT) está vinculado a três processos, mas a defesa do distrital reconhece apenas um deles, movido pelo colega de Parlamento José Gomes (PSB), por danos morais. O petista teria ofendido o empresário, durante pronunciamento na Câmara Legislativa, ao comentar denúncias segundo as quais Gomes, ex-dono da empresa Real JG Serviços Gerais, teria coagido funcionários a votarem no então chefe em 2018.

Os outros dois processos contra Chico Vigilante são resultados de dívidas bancárias de execução cível. Por meio de assessoria, a defesa do deputado assegura que esses casos não envolvem o parlamentar. Segundo advogados, o nome do distrital – Francisco Domingos dos Santos – é comum. Por isso, está ocorrendo um equívoco.

Fogo trocado
Na troca de fogo no TJDFT, José Gomes está sendo processado por Vigilante. O petista pede punição ao adversário por conta do episódio em que o empresário teria demitido funcionárias indicadas por supostamente não terem apoiado a candidatura do então patrão à CLDF. O fato teria ocorrido na campanha do ano passado. O deputado nega as denúncias.

Outra troca de processos é entre a deputada Júlia Lucy (Novo) e a empresa Empório do Aço. De acordo com a defesa da parlamentar, Júlia e o marido compraram uma franquia, e o acordo entre as partes não foi cumprido.

Segundo a defesa da distrital, ela ganhou a ação, “mas a companhia pediu o pagamento dos honorários de seus advogados, o que gerou o processo contra a parlamentar”. A deputada está em seu primeiro mandato na CLDF.

Já veterana de Casa, Telma Rufino (Pros) também responde a um processo. A distrital tem contra si a acusação de falsificação de diploma. De acordo com a defesa da parlamentar, Telma é inocente, e “uma sessão no TJDFT deverá ocorrer nos próximos dias, após a conclusão da fase de instrução de testemunhas”.

A lista de oito deputados que respondem a ações na Justiça do DF se encerra com Roosevelt Vilela (PSB). O distrital foi processado por declarações feitas contra uma sindicalista durante a Comissão Parlamentar de Inquérito da Saúde, em 2016. Na época, ele era suplente de Joe Valle (PDT) e exercia o mandato na vaga do titular, que havia assumido uma secretaria de Estado.

Segundo a assessoria de Roosevelt, ele ganhou a ação, mas, como a outra parte recorreu, o caso segue em tramitação no Judiciário.

Eles processaram
Há, ainda, seis distritais que moveram ações contra o Estado ou têm seus nomes atrelados a processos cíveis, em casos como divisão de herança. Nessa lista, João Cardoso (Avante) tem duas citações.

“O deputado moveu duas ações contra o GDF enquanto servidor do governo, auditor e professor, em temas relacionados a questões salariais. João Cardoso é ficha limpa e tem como compromisso um mandato ético, participativo e pautado na transparência”, informou a assessoria do parlamentar.

Reginaldo Veras (PDT) e Jorge Vianna (Podemos) aparecem em ações contra o GDF também por pedido de reconhecimento de dívidas. Reginaldo Sardinha (Avante) e Robério Negreiros (PSD) movem processos de cobrança por danos morais, e Hermeto (MDB), por partilha de herança.

Confira quais são os distritais que respondem a processos na Justiça:

Júlia Lucy

Júlia Lucy (Novo) Reprodução/Facebook

rafael prudente

Rafael Prudente (MDB) Rafaela Felicciano/Metrópoles

roosevelt vilela

Roosevelt Vilela (PSB) Michael Melo/Metrópoles

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Telma Rufino (Pros) Rafaela Felicciano/Metrópoles

Deputados distritais durante sessão no Plenário da CLDF - Brasília(DF), 09/12/2017

Agaciel Maia (PR) Daniel Ferreira/Metrópoles

Chico Vigilante (PT) LEONARDO ARRUDA/METRÓPOLES

WhatsApp Image 2018-10-19 at 15.34.53

Eduardo Pedrosa (PTC) Divulgação

Ricardo Botelho José Gomes2

José Gomes (PSB) Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Comentários para "Um terço da Câmara Legislativa em Brasília responde a processos na Justiça":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

O sonho de ser modelo, ela relata, começou aos 16 anos, quando foi internada com meningite bacteriana e ficou dez dias em coma.

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Segundo as investigações da polícia, o gerente cometeu atitude discriminatória contra a delegada Ana Paula Barroso, que é negra no último dia 14 de setembro.

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém