×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra

US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutraFoto: Reprodução Pixabay gratuita

A postura da USTA se alinha à ATP e à WTA, que não impediram tenistas de nenhuma nacionalidade no circuito. Apenas vetaram o uso das bandeiras da Rússia e de Belarus por parte dos atletas, o mesmo que fará o US Open neste a

Estadão Conteúdo - 14/06/2022 - 16:00:55

A Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA, na sigla em inglês) informou nesta terça-feira que tenistas da Rússia e de Belarus serão aceitos no US Open deste ano, no fim de agosto. Mas avisou que os atletas, caso do número 1 do mundo, Daniil Medvedev, terão que competir sob bandeira neutra, a exemplo do que aconteceu na Olimpíada de Tóquio, no ano passado.

A medida vai na contramão do que decidiu a organização do Torneio de Wimbledon, outro Grand Slam do circuito profissional de tênis. A competição inglesa impediu a participação de russos e belorussos na edição deste ano, que começa no dia 27 deste mês, como retaliação pela invasão da Ucrânia, no fim de fevereiro.

A decisão gerou polêmica no mundo do tênis. As associações do tênis masculino (ATP) e feminino (WTA) criticaram o veto e decidiram retirar os pontos do torneio inglês em todos os rankings, de simples e de duplas.


A postura da USTA se alinha à ATP e à WTA, que não impediram tenistas de nenhuma nacionalidade no circuito. Apenas vetaram o uso das bandeiras da Rússia e de Belarus por parte dos atletas, o mesmo que fará o US Open neste ano.

"A USTA, ao lado das demais entidades ligadas ao tênis, já condenou e segue condenando a injusta e não provocada invasão da Ucrânia pela Rússia", afirmou a entidade americana, em comunicado. "Apoiamos o banimento das federações de tênis da Rússia e de Belarus junto à Federação Internacional de Tênis (ITF) em todas as competições internacionais por equipes", reforçou.

A decisão vai permitir ao US Open contar com tenistas como o russo Daniil Medvedev, atual campeão em Nova York e número 1 do mundo desde segunda-feira. Outro que voltará a disputar um Grand Slam é Andrey Rublev, número oito do mundo. A chave feminina terá as belarussas Aryna Sabalenka (5ª do mundo) e Victoria Azarenka, ex-número 1 do mundo e atual 19ª, e a russa Daria Kasatkina (12ª).

Comentários para "US Open vai permitir tenistas de Rússia e Belarus competindo sob bandeira neutra":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Velopark volta ao calendário da Stock Car e terá estreia de Felipe Massa

Velopark volta ao calendário da Stock Car e terá estreia de Felipe Massa

Os primeiros treinos da rodada dupla no Velopark acontecem na sexta-feira. No sábado, o treino classificatório é às 9h15 e a largada, às 14h10. No domingo, a classificação começa 9h45 e a largada, às 14h10.

FIA, Fórmula 1 e Mercedes manifestam apoio a Hamilton após Piquet usar termo racista referindo-se ao piloto

FIA, Fórmula 1 e Mercedes manifestam apoio a Hamilton após Piquet usar termo racista referindo-se ao piloto

Ex-automobilista brasileiro chamou Hamilton de

Rafael Matos fatura ATP de Mallorca, seu 3º título de duplas este ano

Rafael Matos fatura ATP de Mallorca, seu 3º título de duplas este ano

Brasileiro e espanhol Vega Hernández estreiam quarta em Wimbledon

No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

No futebol alemão, pessoas trans decidirão se disputam jogos masculinos ou femininos

Brasil tem 4 milhões de pessoas trans e não binárias, revela estudo da Unesp, inédito no país

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

Coletivos esportivos LGBT+ avançam contra o preconceito com acolhimento e orgulho

São grupos que unem a diversidade sexual e o acesso ao esporte.

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

Fifa e FIFPro anunciam parceria para combater discurso de ódio nas redes sociais

As organizações vão desenvolver um suporte educacional e conselhos de saúde mental para todos os jogadores participantes dos torneios Fifa durante 2022 e 2023.

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil

Medalhas de Rebeca Andrade impulsionam diferentes gerações de ginastas no Brasil

A avaliação é da professora Adriana Alves, coordenadora da ginástica artística feminina da Confederação Brasileira de Ginástica

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Em Portugal, Brasil faz campanha histórica no Mundial de natação paralímpica

Delegação brasileira ficou na terceira posição geral com 53 medalhas

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Miami se torna sede da Copa do Mundo de 2026. Mundial acontecerá nos EUA, no Canadá e no México

Esta será a segunda vez que uma cidade da Flórida sediará a Copa do Mundo. A primeira foi em 1994, quando Orlando sediou várias partidas da primeira fase e alguns jogos das oitavas de final.

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

Tetraplégicos trocam dedos pela boca e mostram que também têm espaço nos eSports

O professor Li Li Min, titular do Departamento de Neurologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), explica que o hábito de jogar provoca ganhos em processos de reabilitação de pessoas com tetraplegia

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

Conmebol condena expressões racistas da Fifa e questiona mudanças

O segundo ponto de protesto na carta da Conmebol enviada à Fifa é a regulamentação das cinco modificações nos jogos sem uma consulta à entidade.