×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de janeiro de 2022

Violência: Identidade da brutalidade

Violência: Identidade da brutalidadeFoto:

Homem que agrediu enfermeiras na Praça dos Três Poderes era funcionário terceirizado do Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos. Prestador de serviço, Renan da Silva Sena chegou a ser liberado para trabalhar de casa

Sarah Teófilo - Correioweb - 06/05/2020 - 11:11:42

O homem que hostilizou e agrediu verbalmente enfermeiras que estavam em um protesto silencioso na Praça dos Três Poderes, em Brasília, na última sexta-feira, foi identificado como Renan da Silva Sena. Ele era, até segunda-feira, funcionário terceirizado do Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

O agressor parte para cima dos enfermeiros no último domingo, quando alguns profissionais protestavam contra o governo de  Bolsonaro (Marcelo Tobias/ASCOM SindEnfermeir - 1/5/20)
O agressor parte para cima dos enfermeiros no último domingo, quando alguns profissionais protestavam contra o governo de Bolsonaro


O homem foi contratado em 5 de fevereiro como prestador de serviços terceirizado após processo seletivo realizado pela empresa G4F Soluções Corporativas Ltda. Ele trabalhava como assistente técnico administrativo na Coordenação-Geral de Assuntos Socioeducativos. Segundo MMFDH, a empresa seleciona os profissionais com base nos critérios técnicos definidos pela pasta.


Sena cumpriu suas tarefas até 7 de abril, segundo o ministério. Depois desta data, a pasta alega que ele ficou de trabalho remoto, devido à pandemia do novo coronavírus, e parou de responder todas as tentativas de contatos telefônicos e via e-mails. O órgão do governo federal garante ter informado à empresa sobre a ausência do funcionário, e que a empresa conseguiu contato no dia 23 de abril.


Naquele dia, o MMFDH afirma ter solicitado a substituição de Sena. Entretanto, o ato só aconteceu três dias depois de o homem ter hostilizado as enfermeiras que faziam um protesto silencioso. O ministério alega que a empresa deu entrada aos trâmites legais necessários em abril, mas só foi concluído em 4 de maio. Segundo a pasta, o substituto começou a trabalhar. A reportagem solicitou os documentos que comprovam os pedidos feitos pelo ministério à empresa, mas não havia recebido resposta até o fechamento desta edição.


É possível ver em um vídeo que Sena chega muito perto de uma das enfermeiras, e tenta afastar uma delas. “Eu tenho peso. Você tá me ouvindo? Sua analfabeta medíocre”, grita. Uma das pessoas que estavam com ele interveio para contê-lo. Em outras imagens, ele se aproxima de uma pessoa que está filmando chamando os enfermeiros de “bando de anafalbeto funcionais” e a gritar. Em um momento, diz: “Não precisa ficar com medo não”.


Em nota, o MMFDH disse ainda que “repudia qualquer ato de violência e agressão, principalmente contra profissionais de saúde em um momento que eles devem ser ainda mais respeitados e valorizados”. Apesar da demora de 11 dias (entre a alegada solicitação do órgão federal e a efetiva substituição do funcionário), o ministério pontuou que a empresa “agiu com agilidade, ética e presteza no atendimento do pedido”.


A empresa informou em nota que Renan estava em período de experiência e confirmou as informações repassadas pelo ministério. Sobre o fato de a demissão ter acontecido só no dia 4 deste mês, a empresa justificou que isso se deu para atender a legislação. “Em atenção à legislação trabalhista, o procedimento adotado foi o de descontar os dias não trabalhados e encerrar o contrato ao final do prazo de experiência, no dia 4 de maio”, pontuou.

Segundo a empresa, Sena não exercia atividades ligadas ao órgão federal desde o dia 23. “Assim, o ex-colaborador seria desligado ainda que não tivesse participado dos episódios lamentáveis e absolutamente condenáveis aos quais está supostamente vinculado”, pontuou. O Correio tentou contato com Renan em um telefone que consta em uma das suas redes sociais, mas o telefone está fora de área ou desligado.


A manifestação dos enfermeiros era para defender o isolamento social, orientado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras autoridades sanitárias, e em memória dos colegas que morreram no combate à pandemia do novo coronavírus.


Representação
O Conselho Federal de Enfermagem ingressou, ontem, com uma representação ao MPDFT e uma comunicação de crime à Polícia Civil sobre o ataque a profissionais da área no último dia 1º de maio. O conselho afirma que os agressores foram identificados e toda a documentação foi encaminhada às autoridades. Além de Renan, outras duas pessoas foram identificadas.


Também ontem, o MPDFT pediu para que a Polícia Civil do Distrito Federal (PMDF) apure as agressões contra enfermeiro e jornalistas nas últimas manifestações na capital federal. Os resultados devem ser encaminhado ao MP em até 30 dias. A apuração relativa à imprensa foi solicitada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, na segunda-feira.


No domingo, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, profissionais de veículos de comunicação de Brasília foram agredidos em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, durante manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro e contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Comentários para "Violência: Identidade da brutalidade":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Zoo de Brasília: O amor está no ar, e a natureza agradece

Zoo de Brasília: O amor está no ar, e a natureza agradece

Macho e fêmea de urso-de-óculos se conhecem no Zoo de Brasília e, com orientação de especialistas, podem contribuir para a conservação da espécie

‘O Caixeiro da Taverna’ abre Curso Internacional de Verão

‘O Caixeiro da Taverna’ abre Curso Internacional de Verão

Ópera foi apresentada na noite de domingo (16), no Teatro Levino de Alcântara

Cultura popular é tema de festival; confira outras atrações

Cultura popular é tema de festival; confira outras atrações

Boi do Seu Teodoro é homenageado no Festival Via Satélite

Colônia de Feras do Zoológico de Brasília foi cancelada

Colônia de Feras do Zoológico de Brasília foi cancelada

Anteriormente programado para o período de 18 a 28 deste mês, evento foi suspenso por causa da covid-19

Eduardo e Mônica se amam no Cine Brasília

Eduardo e Mônica se amam no Cine Brasília

“Eduardo e Mônica” recebeu o prêmio de “Melhor Filme Estrangeiro” no Festival de Cinema de Edmonton, no Canadá, que tradicionalmente seleciona filmes que se credenciam ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro

Cartilha orienta sobre quesitos cor, raça e etnia

Cartilha orienta sobre quesitos cor, raça e etnia

Dados coletados deverão ser enviados periodicamente à Sejus, pasta responsável pelas ações de promoção da igualdade racial no DF

Espetáculo ‘Dança, Brasília, Dança’ estreia no Youtube

Espetáculo ‘Dança, Brasília, Dança’ estreia no Youtube

Série destaca quatro vídeos trazendo trabalhos e entrevistas com 15 coreógrafos e coreógrafas que se destacaram, em 2021, no CCBB

Passageiros das estrelas no Planetário de Brasília

Passageiros das estrelas no Planetário de Brasília

Uma média diária de quase mil pessoas tem visitado o espaço neste período de férias. Moradores do DF e turistas contam suas experiências no espaço

Templo cinematográfico, Cine Brasília emociona público na reabertura

Templo cinematográfico, Cine Brasília emociona público na reabertura

Cine Brasília reabriu esta semana depois de quase dois anos fechado, devido à pandemia

Exposições, espetáculos, feiras estão entre as atrações culturais deste final de semana

Exposições, espetáculos, feiras estão entre as atrações culturais deste final de semana

Confira a programação

Um passo importante na restauração do Teatro Nacional

Um passo importante na restauração do Teatro Nacional

Secretaria de Cultura e a Novacap estão finalizando os termos do edital para contratação de empresa que irá realizar as obras com recursos do GDF