×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de junho de 2022

Agência da ONU teme que branqueamento de corais “se torne normal”

Agência da ONU teme que branqueamento de corais “se torne normal”Foto: The Ocean Agency/WL Catlin Seavi

Em relatório, divulgado este mês, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, diz que tendência se acentuou em 2014 por causa do excesso de calor naquele ano; fenômeno começou no Pacífico e se espalhou rapidamente pelos Oceanos Índico e Atlântico

Onu News - 29/12/2020 - 14:51:56

Uma agência da ONU está preocupada com a situação dos recifes de corais em todo o mundo. Um fenômeno chamado terceiro evento global de branqueamento de corais durou 36 meses e foi designado o mais longo e destrutivo já ocorrido.

O caso começou em 2014, quando recifes de corais espalhados pelo globo perderam as cores vibrantes por causa de um excesso de calor naquele ano. O problema foi detectado no Oceano Pacífico, depois no Índico e por último no Atlântico.

Coral Reef Image Bank/Jayne Jenk

Uma tartaruga nada por um recife de coral nas Maldivas

Efeito estufa

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, o branqueamento em massa dos corais poderia se transformar “em norma nas próximas décadas.”

O relatório, divulgado em novembro, atualizou modelos climáticos que preveem o branqueamento ocorrendo mais rapidamente no futuro. Os cientistas alertam que somente uma redução das emissões que causam o efeito estufa poderiam salvar os corais.

Os recifes são fundamentais para a vida marinha, existências humanas e para o espetáculo de vastas partes de oceanos ainda não exploradas.

Foto: Pnuma/Jerker Tamelander

Os recifes de coral são os ecossistemas marinhos mais biodiversos do mundo.

2034-2045

O documento examinou as condições de branqueamento baseadas em dois possíveis cenários. O primeiro considera uma economia mundial fortemente dirigida por combustíveis fósseis. Já o segundo imagina um meio termo, no qual os países excederiam suas promessas de limitar emissões de carbono pela metade.

No primeiro cenário, as previsões apontam para o branqueamento de todos os recifes de corais até o fim do século. O ponto alto e mais severo do branqueamento aconteceria em 2034, nove anos após as estimativas publicadas três anos atrás.

Caso o meio termo fosse alcançado, o efeito arrasador para os corais ocorreria em 2045.

Kadir van Lohuizen/NOOR/ONU Meio Ambiente

Pelo menos 1 bilhão de pessoas no mundo dependem de 25% de todas as espécies marinhas que são apoiadas pelos arrecifes de corais

Evidências científicas

Em caso de falta de ação, os recifes irão desaparecer. A previsão é de Letícia Carvalho, diretora da seção de marinha e água doce do Pnuma.
Para ela, a humanidade tem de agir com base em evidências científicas, ambição e inovação para mudar a trajetória do ecossistema antes que seja tarde demais.

Um outro fator danoso para os corais são as altas temperaturas dos oceanos. Com o aquecimento das águas, os corais liberam uma fonte de energia de alga tornando-se brancos. Os recifes podem se recuperar do branqueamento se as condições ambientais melhorarem.

Cadeia alimentar

Mas o constante aquecimento das águas pode levar os corais à perda total. Desde 1998, o mundo registrou três eventos assim incluindo um em 2014.

Caso os corais não possam se recuperar as consequências serão desastrosas para os ecossistemas, a cadeia alimentar, a proteção do litoral, medicamentos e até oportunidades de recreação.

Pelo menos 1 bilhão de pessoas no mundo dependem de 25% de todas as espécies marinhas que são apoiadas pelos recifes de corais.

Comentários para "Agência da ONU teme que branqueamento de corais “se torne normal”":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Estudiosos chineses e internacionais discutem direitos ambientais

Estudiosos chineses e internacionais discutem direitos ambientais

Estudiosos e especialistas chineses e internacionais discutiram a proteção e o desenvolvimento dos direitos ambientais

Vivendo da Pesca, Preservando a Cultura

Vivendo da Pesca, Preservando a Cultura

A ONU News entrevistou pescadores portugueses nos Estados Unidos

Um Dia No Parque tem programação do Pampa à Amazônia

Um Dia No Parque tem programação do Pampa à Amazônia

Programação da maior ação de valorização de Unidades de Conservação do Brasil une lazer, cultura e educação ambiental

Amazônia perdeu área similar a 2 mil campos de futebol por dia, diz Imazon

Amazônia perdeu área similar a 2 mil campos de futebol por dia, diz Imazon

As outras terras indígenas mais desmatadas em maio foram a T.I. Karipuna (RO) e T.I. Cachoeira Seca (PA).

Como proteger o meio ambiente no Nordeste? Consórcio mantém câmara técnica para alinhar ações

Como proteger o meio ambiente no Nordeste? Consórcio mantém câmara técnica para alinhar ações

Caatinga, um dos biomas da região nordeste, é monitorada de forma coordenada pela câmara técnica

Mercur lança Bolsa Térmica Natural com Algodão Reciclado e amplia impacto positivo da reutilização do caroço de açaí

Mercur lança Bolsa Térmica Natural com Algodão Reciclado e amplia impacto positivo da reutilização do caroço de açaí

O novo produto é uma alternativa sustentável, com design em formatos versáteis para termoterapia, que pode ser utilizada em qualquer parte do corpo.

A importância do Gerenciamento ESG de ponta a ponta

A importância do Gerenciamento ESG de ponta a ponta

A pergunta frequente dentro do mercado é sobre como avaliar riscos ESG em empresas fornecedoras

Estados Unidos emitem novos alertas para “químicos eternos” em água potável

Estados Unidos emitem novos alertas para “químicos eternos” em água potável

Substâncias são usadas para revestimentos de panelas antiaderentes

Pesquisa revela método para cultivar madeira sem cortar árvores

Pesquisa revela método para cultivar madeira sem cortar árvores

Pesquisadores mostraram que podem controlar as propriedades do material vegetal cultivado em laboratório e permitir a criação de produtos de madeira com pouco desperdício.

Parque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosas

Parque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosas

Não há histórico de registros parecidos feitos pelos equipamentos do Parque.

China lidera mundo em número de patrimônios naturais mundiais

China lidera mundo em número de patrimônios naturais mundiais

Monte Emei na Província de Sichuan, sudoeste da China em 7 de junho de 2022.