×
ContextoExato
Responsive image
InternacionalFoto:

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico alerta para o risco de a dificuldade de construção de consenso sobre as reformas dificulte a retomada do crescimento no país. Previsão de alta do PIB este ano caiu de 1,9% para 1,4%

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) cortou a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e fez um alerta para o risco de o país voltar à recessão em meio à crise política, que tem travado a agenda de reformas. “O cenário político fragmentado e, às vezes, a relação desafiadora entre os diferentes ramos do governo estão dificultando a construção de consenso político para reformas fundamentais”, informou a OCDE, em relatório divulgado ontem com atualizações de estimativas globais. Na avaliação da entidade, se o Congresso não aprovar “a ambiciosa agenda de reformas do Executivo”, a regra do teto de gastos será descumprida em 2020 e, como consequência disso, os custos de financiamento ficarão mais altos, e as taxas de crescimento mais baixas e, possivelmente, haverá “um retorno à recessão”.
A OCDE reduziu de 1,9% para 1,4% a previsão de crescimento do PIB brasileiro neste ano. Essa projeção, contudo, é otimista se comparada à mediana do mercado computada pelo Boletim Focus, de 1,24%. “As estimativas mais globais demoram para ser consolidadas e não levam em consideração a piora recente no cenário macroeconômico”, explicou o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini. Ele prevê que o país entre em recessão técnica no primeiro semestre deste ano, que significa uma queda por dois trimestres consecutivos. ...Leia mais