×
ContextoExato
Responsive image
BrasilFoto:

Governo de Brasília quer criar câmara técnica voltada para elas

Protesto na porta do prédio onde professora foi assassinada pelo ex-namorado cobra medidas eficientes para garantir a segurança das mulheres.

"Quem tem a vida ceifada é a vítima de toda a situação estrutural da nossa sociedade. Se o homem não consegue enxergar e respeitar a mulher como igual a ele, que tem direitos próprios e independência, ele precisa de ajuda médica, psicológica. Não é simplesmente achar que tem o direito de matar" Lúcia Bessa, advogada e diretora de Gênero do Fórum de Mulheres do Mercosul

Amigos, conhecidos e colegas sensibilizados com a morte de Debora Tereza Correa, 43 anos, realizaram ontem um ato contra os casos de feminicídio no Distrito Federal. A professora de português é a 13ª vítima neste ano, conforme levantamento do Correio. Na porta da sede da Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro, na 511 Norte, onde Debora trabalhava, cerca de 70 pessoas questionaram a segurança das mulheres e, inclusive, dos servidores da Educação. ...Leia mais