×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

Analistas dão como certo que o Dólar possa chegar a R$ 6,50 em poucos dias

Analistas dão como certo que o Dólar possa chegar a R$ 6,50 em poucos diasFoto: CorreioWeb

Fatores como o impacto da pandemia na economia e as turbulências políticas causadas por Bolsonaro vêm empurrando o dólar ladeira acima

Simone Kafruni - Correioweb - 14/05/2020 - 08:02:21

Cenário político turbulento e economia paralisada formam o terreno ideal para que a moeda americana continue a marcha de subida, testando os limites a cada pregão. De acordo com analistas do mercado, novo patamar caminha para ser atingido nos próximos dias.


Os atropelos políticos de Jair Bolsonaro, a queda de braço entre o presidente e o ex-ministro Sergio Moro e a economia empacada por causa da pandemia se tornaram o cenário perfeito para o dólar engrenar a marcha de força e manter a subida inclinada. Ontem, chegou a R$ 5,95 no intradia e fechou com alta de 0,58%, cotado a R$ 5,90. Porém, analistas dão como certo que a moeda americana possa chegar a R$ 6,50 em poucos dias.



André Perfeito, economista-chefe da Necton, é um dos que acreditam que o rumo da moeda seja para cima. Tanto que chama a atenção para o fato de que o ativo testa novos patamares a cada pregão. “Chegou a bater R$ 5,95 na máxima do dia e isso força mais uma revisão de cenário”, avaliou.



Para ele, o dólar tende a subir por três motivos no curto prazo: 1º) a queda dos juros em 2020 –– a taxa Selic pode chegar a 2,25% já na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central); 2º) o fluxo estrangeiro negativo para o mercado de capitais já chega a US$ 61 bilhões negativos; e 3º) as tensões políticas, que devem piorar nos próximos dias. “Tudo isso sugere pressões adicionais e sinalizamos que o dólar deve testar o patamar de R$ 6,30 –– R$ 6,27 para ser exato, dentro da análise gráfica de nossa equipe. Isto representa uma alta de aproximadamente 6% ao longo dos próximos dias”, assinalou.



Efeitos
Perfeito ressaltou que os cortes da Selic não terão o impacto desejado de incentivar a economia e ainda terão efeito deletério no câmbio. “O fluxo negativo para o Brasil é resultado de uma maior aversão ao risco. O ponto que me preocupa, agora, é a questão política que deve ganhar fôlego nos próximos dias, com uma eventual divulgação da filmagem da reunião ministerial na qual o presidente Bolsonaro supostamente pressiona o ex-ministro Sergio Moro a interferir na Polícia Federal”, apontou.



Já o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo, também acredita numa disparada da moeda americana. “Pode chegar a R$ 6,50 por conta da queda de juros, somada ao vídeo e à quarentena sem fim. A economia está se acabando e o governo está cavando um buraco que vai ter que tapar lá na frente. Não me surpreenderá se aparecer algum imposto emergencial para a gente pagar essa conta”, lamentou. Galhardo lembrou que a economia perde R$ 20 bilhões a cada semana com as atividades paralisadas. “Quase 600 mil estabelecimentos literalmente fecharam. A economia está jogada à própria sorte porque politizaram a crise”, destacou.



Tensões
O mercado refletiu a tensão política do país e os efeitos externos –– com declarações negativas de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), sobre a possibilidade de um maior impacto da pandemia na economia –– no pregão de ontem. O Ibovespa, principal índice de lucratividade da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), teve queda de 0,11%, quase estabilidade, aos 77.787 pontos. Pedro Galdi, analista da Mirae Asset Investimentos, salientou que, no cenário externo, as bolsas começaram bem o dia, mas foram caindo durante o pregão.



“Relativamente bem, pois tem muito ruído. O fato de países que estão saindo do isolamento registrarem aumento da doença deu certa preocupação”, destacou.


Segundo Galdi, o presidente Donald Trump voltou a fazer campanha política, ameaçando a China, enquanto Jerome Powell reforçou que a situação é dramática. “Ele fala que o banco terá de ajudar, mas não diz se vai reduzir juros, que é o que Trump quer. Isso tudo desanimou os mercados. E, aqui, a Bolsa olha lá para fora”, explicou.



Na opinião de Cristiane Fensterseifer, analista de ações da casa de análise Spiti, o Ibovespa começou em alta e virou acompanhando as bolsas americanas, após o discurso do presidente do Fed. “No Brasil, o quadro é agravado pelas questões fiscais e políticas, que andam complicadas, além do aumento diário no número de casos e mortos pela pandemia”, indicou.



Os ativos da Petrobras (-3,03%), junto com os preços do petróleo e papéis dos bancos, foram os destaques de queda. A alta do dólar, segundo ela, ajudou as ações de empresas exportadoras, que subiram quase 12%. “Ainda no exterior, na Europa, o PIB do Reino Unido caiu 5,8% em março e a produção industrial teve baixa de 11,4% na União Europeia frente ao ano anterior”, disse.



Comentários para "Analistas dão como certo que o Dólar possa chegar a R$ 6,50 em poucos dias":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Inflação é maior para ‘pais’ de pets, que adaptam compras

Inflação é maior para ‘pais’ de pets, que adaptam compras

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação, José Edson Galvão de França, a inflação no setor teria superado os 50%

Comércio eletrônico ao vivo traz mais oportunidades aos produtos brasileiros na China

Comércio eletrônico ao vivo traz mais oportunidades aos produtos brasileiros na China

Gilberto Fonseca Guimarães de Moura (à direita), cônsul-geral do Brasil em Shanghai, apresenta os produtos brasileiros com a equipe na sala de transmissão ao vivo em 10 de janeiro de 2022.

Safra 2021 foi de 253,2 milhões de toneladas, queda de 0,4% ante 2020, diz IBGE

Safra 2021 foi de 253,2 milhões de toneladas, queda de 0,4% ante 2020, diz IBGE

A área colhida em 2021 foi de 68,6 milhões de hectares, alta de 4,8%, ou 3,1 milhões de hectares a mais, na comparação com 2020.

Mais de 195 mil empresários pedem adesão ao Simples na 1ª semana de prazo

Mais de 195 mil empresários pedem adesão ao Simples na 1ª semana de prazo

O prazo de adesão ao regime começou no último dia 3 e termina em 31 de janeiro

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2021

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2021

Maior alta foi em Curitiba (16,3%) e a menor, em Brasília (5,03%)

Sem chips, venda de carros cresce 3% em 2021, abaixo do previsto

Sem chips, venda de carros cresce 3% em 2021, abaixo do previsto

Variedades

BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras

BNDES se afasta da função de único financiador de grandes obras

Os números marcam a consolidação do primeiro passo na mudança do papel do BNDES na infraestrutura.

Superávit da balança comercial bate recorde em 2021

Superávit da balança comercial bate recorde em 2021

Exportações superam importações em US$ 61,01 bilhões

Inflação de 2021 pressiona alta de preço no início do ano

Inflação de 2021 pressiona alta de preço no início do ano

Apesar de considerar que o impacto da inércia será forte, pondera que os efeitos da alta de 7,25 pontos porcentuais da taxa básica de juros sobre a atividade podem mitigar os reajustes.

Planejamento e organização são fundamentais para sair das dívidas

Planejamento e organização são fundamentais para sair das dívidas

Especialista dá dicas de como deixar as contas no azul

O que um ano incomum como 2021 diz sobre futuro da economia chinesa

O que um ano incomum como 2021 diz sobre futuro da economia chinesa

Foto tirada em 9 de abril de 2020 mostra a área de Lujiazui em Shanghai, no leste da China.