×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de outubro de 2021

Aos 90 anos, o Cristo Redentor 'convalesce' da Covid-19

Aos 90 anos, o Cristo Redentor 'convalesce' da Covid-19Foto: TV Brasil

O aniversário do Cristo motivou muitas homenagens

Estadão Conteúdo - 10/10/2021 - 09:13:39

Um dos principais símbolos do País, o Cristo Redentor completa 90 anos nesta terça-feira, sob a expectativa de recuperar seu tradicional fluxo de visitantes, bastante afetado pela pandemia. Erguido a mais de 700 metros de altura em meio de uma floresta urbana, eleito uma das sete maravilhas do mundo moderno e considerado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, o monumento ainda é um dos pontos turísticos mais procurados por quem visita o Rio. Eram quase 2 milhões de visitantes por ano até 2019 - mas o novo coronavírus fez esse número desabar.


A construção do Cristo levou cinco anos para ser concluída e é considerada uma vitória da engenharia para a época. Primeiro, pelo desafio de erguer um monumento que pesa mais de 1.100 toneladas no alto do morro do Corcovado, a 709 metros do nível do mar. Depois, por fazer com que essa estátua de concreto armado e pedra-sabão com 30 metros de altura (além dos 8 de pedestal) suportasse os ventos, as chuvas e os raios por anos.



Nesse período, o Cristo Redentor passou por algumas restaurações. Desde o início do ano, cinco pontos da estátua passam por reforma. O Estadão apurou, contudo, que o monumento ainda precisaria sofrer uma série de intervenções nos próximos anos. O motivo é o desgaste natural do tempo.





Para comemorar o aniversário, diversas ações estão programadas para os próximos dias. Na terça, além de missa em ação de graças com a presença de autoridades - tal qual aconteceu na inauguração, em 1931 -, haverá uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça e o lançamento de selos e de medalhas comemorativas. No mesmo dia, será dado o início a uma festa sustentável que se seguirá até o fim de semana, na Catedral Metropolitana do Rio.






Além disso, o aniversário do Cristo também motivou outras homenagens. Uma delas, bem brasileira: a "Cachaça Redentor", que antes mesmo de seu lançamento oficial foi dada de presente ao Papa Francisco.






Na quinta-feira, mesmo com o tempo encoberto, o monumento recebeu centenas de turistas. Entre eles estava o casal Guilherme e Renata Fernandes, de Porto Alegre. "É parada obrigatória. No Rio de Janeiro, não tem como não vir ao Cristo. E somos cristãos, então acho que representa muito aquilo que a gente acredita: braços abertos, que nos recebe e que abençoa as pessoas", disse Guilherme, que é policial civil. "É um pouquinho menor do que imaginava, mas estou igualmente surpreso. O Cristo, a vista, o conjunto todo é surpreendente de qualquer forma."

O encantamento pelo monumento e pela vista não são acompanhados por outras opções de um ponto turístico. Lojinhas de suvenir, quiosques e cantinas no alto do Corcovado estão todos fechadas. Quem quiser alguma lembrança ou mesmo um pouco de água para se hidratar precisa comprar antes de subir o morro. Banheiros também são raros, e pelo menos uma das duas escadas rolantes tem se mantido desativada.






Há anos, a Arquidiocese do Rio e o governo federal não se entendem sobre o controle dos espaços. Oficialmente, a Igreja administra a estátua do Cristo Redentor e o platô do mirante, além da Capela de Nossa Senhora Aparecida, que fica na base do monumento. Os pontos comerciais, por sua vez, ficam em área pertencente ao Parque Nacional da Tijuca, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Em 2019, o ministério conseguiu uma ordem de despejo dos lojistas, e desde o meio deste ano os espaços estão vazios.






O Estadão questionou o ministério sobre o tema. Na sexta-feira, a pasta informou apenas que firmará um acordo que dará "direito de uso e acesso ao Cristo Redentor". Segundo o ministério, a medida vigorará por tempo indeterminado "dando mais liberdade e segurança jurídica aos católicos que acessam o Santuário". Não foram informados detalhes do acordo.






Restauro

A reforma envolve uma equipe de 40 profissionais, incluindo quatro alpinistas. Um deles, Rodrigo Tavares, vai quase que diariamente ao monumento. O trabalho começa ainda de madrugada, e ao longo do dia ele sobe e desce inúmeras vezes os 12 lances de escadas instaladas no interior do Cristo. Mas o trabalho, conta, é muito gratificante. "Vou te falar: tenho 16 anos de profissão, mas pra mim é uma sensação inexplicável. É surreal. Eu trabalhei em quase todos os grandes projetos que tiveram no Brasil, mas trabalhar no projeto de restauração do Cristo Redentor é um privilégio."

O alpinista industrial conta que a parte mais difícil do trabalho é lidar com a força dos ventos. Eles mudam a todo momento e, muitas vezes, inviabilizam a atuação da equipe. Mas nada que abale o prazer de atuar no restauro do monumento nonagenário. "Estou no lugar que todo mundo gostaria de estar (interior do Cristo), e ainda recebo por isso", brinca. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.






fonte: Estadão Conteudo







Comentários para "Aos 90 anos, o Cristo Redentor 'convalesce' da Covid-19":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Por que um casal viajou mais de 10 mil quilômetros de bicicleta em busca de sementes?

Por que um casal viajou mais de 10 mil quilômetros de bicicleta em busca de sementes?

O casal Ivânia e Inácio coletou e compartilhou mais de 100 espécies de sementes crioulas

Gestão do trânsito no Brasil ainda é focada no carro e não no cidadão ou ciclista, diz ativista

Gestão do trânsito no Brasil ainda é focada no carro e não no cidadão ou ciclista, diz ativista

Na última década, mais de 8,5 mil ciclistas morreram em incidentes de trânsito no Brasil. Durante a pandemia, o número de sinistros aumentou em grande porcentagem. A Spuntik Brasil entrevistou ativista para entender o que gera esses trágicos dados no trânsito brasileiro

Cristo Redentor é homenageado com lançamento de selos

Cristo Redentor é homenageado com lançamento de selos

Solenidade foi na Catedral Metropolitana do Rio

Rio de Janeiro celebra os 90 anos do Cristo Redentor

Rio de Janeiro celebra os 90 anos do Cristo Redentor

Monumento de 38 metros de altura fica no alto do Morro do Corcovado

Cinemateca Brasileira completa 75 anos fechada, sem planos e com investigação pendente

Cinemateca Brasileira completa 75 anos fechada, sem planos e com investigação pendente

Cinemateca está fechada ao público, sem plano emergencial e sem conclusão das investigações sobre o incêndio de 29 de julho

Nova sede do Museu do Pontal será aberta com acervo de 10 mil peças

Nova sede do Museu do Pontal será aberta com acervo de 10 mil peças

Equipamento carioca tem obras de 300 artistas

Série recria a expedição de Rondon e Roosevelt por um rio da Amazônia em 1914

Série recria a expedição de Rondon e Roosevelt por um rio da Amazônia em 1914

Filmar na natureza não foi fácil. O calor era grande, assim como a quantidade de mosquitos

Nova Iorque exibe arte em espaços públicos contra violência a pessoas de origem asiática

Nova Iorque exibe arte em espaços públicos contra violência a pessoas de origem asiática

Em celebração aos 20 anos da Conferência de Durban contra o Racismo e a Discriminação Racial, reportagem especial da ONU News destaca exposição de arte para sensibilizar pessoas sobre crimes cometidos contra pessoas de origem asiática

Olimpíada de História discute o bicentenário da independência do Brasil

Olimpíada de História discute o bicentenário da independência do Brasil

Estudantes montaram exposições sobre os vários aspectos do processo

Lugares e monumentos contam a história do 7 de setembro em SP

Lugares e monumentos contam a história do 7 de setembro em SP

“A independência é um processo que começa em São Paulo e termina na Bahia. Com o Rio de Janeiro negociando pelo meio do caminho. O Rio até então era a corte, a sede do país

Semana traz Independência e 20 anos do

Semana traz Independência e 20 anos do "11 de setembro"

Por Patrícia Serrão* - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro