×
ContextoExato
Responsive image

Bolsonaro rubrica novamente atestado de ignorância e diz que eficácia de máscaras é ‘quase nula’

Bolsonaro rubrica novamente atestado de ignorância e diz que eficácia de máscaras é ‘quase nula’Foto:

Bolsonaro pensa que é atleta, médico, combatente e até presidente

Victor Farias - O Globo/tribuna Da Internet - 20/08/2020 - 16:25:14

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na tarde desta quarta-feira, dia 19, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada que a máscara de proteção utilizada contra o novo coronavírus tem eficácia “quase nula”.

“Tem algum médico ai? A eficácia dessa máscara é quase nula”, afirmou, de máscara, ao responder a uma mulher que disse que só iria tirar fotos com o presidente quando não precisasse mais de máscara. Em seguida, um homem que estava presente afirmou que “não tem nada a ver” o uso da proteção contra o vírus. “Também não concordo não. Acho que não deveria ter máscara porcaria nenhuma “, disse.

INEFICAZ – Bolsonaro, então, repetiu que o equipamento de proteção, indicado por autoridades de saúde, tem “eficácia quase nula”. Outra apoiadora que estava presente na porta do Alvorada afirmou, então, que havia sido contaminada com a Covid-19, mas que já estava curada.

“Qual o remédio?”, perguntou o presidente à mulher, que respondeu “cloroquina”, substância recomendada por Bolsonaro no tratamento precoce da doença, apesar de não haver comprovação científica da eficácia do medicamento.”Cloroquina, tomei tudo que o senhor recomendou”, disse a mulher.

“EXEMPLO” – Bolsonaro também afirmou nesta quarta “não ter visto no mundo” alguém que enfrentou melhor a pandemia de covid-19 do que o próprio governo brasileiro. O chefe do Executivo ainda caracterizou como excepcionais as ações ministeriais diante do novo coronavírus.

“No meu entender, guardando-se as devidas proporções, não vi no mundo quem enfrentou melhor essa questão do que o nosso governo. Isso nos orgulha. Mostra que tem gente capacitada e preocupada, em especial, com os mais pobres, os mais humildes”, apontou.

CRÍTICAS – Bolsonaro ainda voltou a criticar as medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos. Segundo ele, uma “quebradeira” na economia seria pior do que o próprio vírus, que já provocou 110 mil óbitos no país.

“Temos dois problemas: o vírus e o desemprego. São dois assuntos que devemos tratar com responsabilidade, mas simultaneamente. A turma do “fica em casa” e a turma do contra começou a dizer que eu era insensível e não estava preocupado com a vida das pessoas, e dizendo sempre ao Guedes que “a economia se recupera, a vida não”. Olha, uma quebradeira na economia, não precisa ser médico e nem economista pra dizer isso, as causas, o efeito colateral disso é pior, mas muito pior do que o próprio vírus”.

DERRUBADA DE VETO – Nesta quarta-feira, o Congresso o derrubou um veto do presidente a obrigatoriedade do uso de máscara “estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos, estabelecimentos de ensino e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas”, durante a pandemia.

Deputados e senadores também restituíram trecho da lei que prevê multa em caso de descumprimento da norma, desde que o infrator não seja parte de “população vulnerável economicamente”.

###
NOTA DA REDAÇÃO –
Bolsonaro envergonha o País e ignora que as suas asneiras repercutem no noticiário internacional. Após passar décadas como parlamentar sem dizer a que veio, agora pensa (?) que é capaz de administrar uma nação. Irresponsável, incompetente e ignorante, empurra todos para a beira do abismo se deixar. Aposta e “receita” cloroquina, ambos sem eficiência comprovada, se diz atleta ao fazer meia flexão, prioriza armas aos livros, e se mostra a cada dia mais incapaz de continuar à frente da Presidência. Mas o pior de tudo é observar seus índices de aprovação. Errar uma vez é humano. Mas persistir no erro é caso de camisa de força. (Marcelo Copelli)

Comentários para "Bolsonaro rubrica novamente atestado de ignorância e diz que eficácia de máscaras é ‘quase nula’":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório