×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de janeiro de 2022

Campanha sobre HIV/Aids disponibiliza testagem gratuita no DF

Campanha sobre HIV/Aids disponibiliza testagem gratuita no DFFoto:

Stand montado na Rodoviária do Plano Piloto tem distribuição gratuita de preservativos e de auto-teste para HIV / Geoavana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Pedro Rafael Vilela - Brasil De Fato | Brasília (df) - 03/12/2021 - 07:18:20

'Dezembro Vermelho' chama a atenção para medidas de prevenção e diagnóstico precoce; saiba onde buscar orientação

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) deflagrou nesta quarta-feira (1º) a campanha "Dezembro Vermelho" de conscientização sobre a importância de se prevenir contra o vírus HIV - que pode desencadear a Aids - e outras infecções sexualmente transmissíveis. A data marcou o Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Ao longo do mês, a pasta pretende divulgar amplamente serviços disponíveis na capital do país, como a testagem gratuita, distribuição de preservativos e o acesso a tratamentos contra diferentes infecções.

No hall da Estação Central do Metrô, por exemplo, servidores do Centro de Testagem e Aconselhamento levaram autoteste de HIV e distribuíram preservativos. O local permanecerá ativos ao longo das próximas semanas com este mesmo trabalho.

“O objetivo é a divulgação do Centro de Testagem e Acolhimento, pois lá são realizadas testagens rápidas para HIV, sífilis e hepatites B e C e muita gente desconhece este serviço. Também queremos chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce como ferramenta de saúde para as pessoas portadoras do HIV e como ferramenta de enfrentamento da epidemia”, explicou a chefe do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), Leidijany Paz.

Outras ações permanentes de atendimento ao público também ocorrem no DF. Ao todo, são 11 locais de referência (veja a lista a seguir). Além da testagem para HIV, sífilis, hepatites B e C, há serviços ambulatoriais especializados em diferentes regiões do DF, além de uma rede para atendimento de pessoas que tiveram pré-exposição ao vírus.

Locais de referência no tratamento de HIV/Aids

- Núcleo de Testagem e Aconselhamento, na Rodoviária do Plano Piloto, faz testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites virais;
- Centro Especializado em Doenças Infecciosas (Cedin), antigo Hospital Dia da 508 Sul;
- Policlínicas do Lago Sul, de Ceilândia, de Taguatinga, de Planaltina, do Paranoá, de Sobradinho e do Gama;
- Ambulatórios de infectologia do Hospital de Base, do - Hospital Regional de Santa Maria e de Sobradinho e do - Hospital Universitário de Brasília (HUB);
- Unidades Básicas de Saúde (UBS) de todo o DF oferecem testes rápidos e fornecem insumos de prevenção, como preservativos e gel lubrificante;
- Rede de urgência e emergência atende usuários que necessitam de Profilaxia Pós-Exposição (PEP) ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis após exposição sexual consentida, violência sexual e acidentes com materiais biológicos.

Casos de Aids

De acordo com número do Ministério da Saúde, a estimativa é de que existam 920 mil pessoas vivendo com HIV/Aids no Brasil atualmente. Cerca de 89% foram diagnosticadas e 77% seguem em tratamento. Isso significa que cerca de 11% das pessoas infectadas ainda não sabem disso. Em 2019, foram diagnosticadas 41,9 mil novas infecções e registrados 10.565 óbitos.

No DF, são cerca de 12 mil pessoas infectadas ou em tratamento contra o vírus HIV/Aids. Segundo o mais recente Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde, em 2020 foram 690 casos positivos detectados de HIV, a grande maioria (588) do sexo masculino. Nem todos os casos desencadeiam a Aids, já que o tratamento precoce costuma ser efetivo no controle da infecção, ou seja, a pessoa tem o vírus, mas ele não desenvolve a doença.

Mesmo assim, no ano passado, ocorreram 96 óbitos por Aids na capital do país. De 2014 a 2019, foram notificados 4.102 casos de infecção pelo HIV e 2.150 casos de aids.

“Nos últimos cinco anos houve um pequeno aumento de detecção de casos de HIV e redução dos casos de Aids, o que é reflexo devido às estratégias de prevenção adotadas no DF e isso faz com que as pessoas sejam diagnosticadas precocemente, iniciando o tratamento rapidamente, o que evita a Aids”, destaca a gerente de Vigilância de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Beatriz Maciel Luz.

Em relação à faixa etária, os casos de infecção pelo HIV no DF, entre 2016 e 2020, foram mais prevalentes em pessoas de 20 a 29 (média 46,9% dos casos no período). No entanto, observou-se um crescimento de casos entre pessoas de 29 a 30 anos (de 25,5%, em 2019, para 28,2%, em 2020).

No mesmo período, os homossexuais representaram proporção de 51,2% dos casos de infecção, seguida da categoria heterossexual (25%). Como os homens representam a grande maioria dos casos de HIV e Aids, no DF e no Brasil, a categoria de exposição homossexual possui grande impacto, tanto na população masculina em geral quanto nessa população específica, atingindo 61,8% dos casos de 2020, de acordo com a Secretaria de Saúde do DF.

Sobre a Aids

A síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids) denomina o conjunto de sintomas e infecções resultantes dos danos causados no sistema imunológico pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

De acordo com informações oficiais do Ministério da Saúde sobre a doença, quando ocorre a infecção pelo vírus causador da aids, o sistema imunológico começa a ser atacado. E é na primeira fase, chamada de infecção aguda, que ocorre a incubação do HIV (tempo da exposição ao vírus até o surgimento dos primeiros sinais da doença). Esse período varia de três a seis semanas. E o organismo leva de 30 a 60 dias após a infecção para produzir anticorpos anti-HIV. Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar. Por isso, a maioria dos casos passa despercebida.

A próxima fase é marcada pela forte interação entre as células de defesa e as constantes e rápidas mutações do vírus. Mas isso não enfraquece o organismo o suficiente para permitir novas doenças, pois os vírus amadurecem e morrem de forma equilibrada. Esse período, que pode durar muitos anos, é chamado de assintomático. Com o frequente ataque, as células de defesa começam a funcionar com menos eficiência até serem destruídas. O organismo fica cada vez mais fraco e vulnerável a infecções comuns.

A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4+ (glóbulos brancos do sistema imunológico) que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue. Em adultos saudáveis, esse valor varia entre 800 a 1.200 unidades. Os sintomas mais comuns nessa fase são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

A baixa imunidade permite o aparecimento de doenças oportunistas, que recebem esse nome por se aproveitarem da fraqueza do organismo. Com isso, atinge-se o estágio mais avançado da doença, a aids. Quem chega a essa fase, por não saber da sua infecção ou não seguir o tratamento indicado pela equipe de saúde, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer.

Por isso, o alerta é de que sempre que uma pessoa transar sem camisinha ou passar por alguma outra situação de risco, deve procurar uma unidade de saúde imediatamente, para informar-se sobre sobre a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), além de fazer o teste. O site da pasta disponibiliza informações sobre o serviço de saúde especializado mais próximo.

:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato DF no seu Whatsapp ::

Edição: Flávia Quirino

Comentários para "Campanha sobre HIV/Aids disponibiliza testagem gratuita no DF":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
TJSP mantém condenação de dois homens por racismo e injúria contra Maju Coutinho

TJSP mantém condenação de dois homens por racismo e injúria contra Maju Coutinho

Depois, ainda segundo a Promotoria, os réus se reuniam para derrubar páginas do Facebook de pessoas consideradas por eles 'inimigas'

Entenda como o preconceito impede o desenvolvimento das empresas

Entenda como o preconceito impede o desenvolvimento das empresas

Empresas que promovem a diversidade e inclusão se destacam no mercado

"Somos todos seres humanos incompletos e imperfeitos", diz escritor LGBT

Saulo Sisnando levanta a bandeira de que o amor é único e universal

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Para Bolsonaro e Queiroga, tem mais valor a opinião de leigos do que o conhecimento da Anvisa e de sociedades científicas do mundo inteiro.

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Estado usa assinatura eletrônica Gov.br para emissão do documento

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

A maior aceitação das famílias aos LGBTI+, embora o preconceito ainda seja um problema grave, também está por trás do rejuvenescimento dos noivos

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A palavra ganhou um sentido ainda mais potente e atual no livro

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Nações Unidas chamam atenção para desigualdade na distribuição das doses da vacina.

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

Apesar do crescimento, essa população não tem sido atendida de forma satisfatória, diz o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Os investigadores dizem ter identificado, a partir da quebra de sigilo de dados e telefônicos autorizados pela Justiça, grupos que "se autodeclaram nazistas e ultranacionalistas, associados para praticar e incitar atos criminosos".

Distrito Federal é condenado a indenizar mulher por excesso em abordagem policial

Distrito Federal é condenado a indenizar mulher por excesso em abordagem policial

A decisão foi unânime.