×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de outubro de 2021

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15

Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15Foto: Xinhua/Hui Xiaoyong

Foto tirada em 27 de setembro de 2021 mostra uma vista no parque de Jiuzhaigou, no distrito de Jiuzhaigou, Província de Sichuan, sudoeste da China.

Agência Xinhua De Noticias - 12/10/2021 - 19:25:57

Achim Steiner, administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), aplaudiu os esforços da China para proteger a biodiversidade, e expressou grandes expectativas para a 15ª reunião da Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (COP15), que começou nesta segunda-feira em Kunming, na China.

Falando à Xinhua via Zoom, Steiner, responsável pelos esforços de desenvolvimento global da ONU, elogiou a China por sua decisão de convocar a conferência das partes sobre diversidade biológica na China.

Grous brancos perto do Lago Poyang, no distrito de Yugan, Província de Jiangxi, leste da China, em 15 de janeiro de 2021. (Xinhua/Peng Zhaozhi)

Sobre os esforços da China para proteger a biodiversidade, ele observou que a rápida industrialização e urbanização na China, como em muitos outros países, levou à perda de sua infraestrutura ecológica nos últimos 30 ou 40 anos. Tendo percebido seu impacto catastrófico, a China tomou muitas medidas "corretivas" para restaurar seus ecossistemas através de "diferentes abordagens de investimento" e políticas para reduzir a destruição e finalmente restaurar a saúde do ecossistema.

Estabelecer linhas vermelhas nos planos de desenvolvimento nacional é uma boa prática, disse Steiner, observando que a China traçou linhas vermelhas muito explícitas em seus planos de desenvolvimento nacional para "ecossistemas críticos", que precisam ser protegidos.

Segundo o chefe de desenvolvimento da ONU, o aspecto mais importante da proteção ecológica da China é que "as pessoas desenvolveram uma consciência de quão importante é a natureza".

"A conscientização pública é fundamental porque, no final das contas, o governo pode regular" em um país com uma população de 1,4 bilhão de pessoas, acrescentou.

Entre as outras observações de Steiner teve o fato de a China plantar árvores nas últimas décadas, que "por si só levou a uma expansão positiva líquida da cobertura florestal na Ásia".

Steiner também falou sobre a proteção dos oceanos, destacando que as pessoas tendem a subestimar a quantidade de poluição química, nitrogênio e outras substâncias perigosas que acabam no mar.

"Mais uma vez, medidas foram tomadas também na China para tentar reduzir esse escoamento" para os oceanos, acrescentou.

Ele também elogiou os esforços da China para combater a poluição do ar e tornar as cidades verdes.

Falando sobre suas expectativas para a COP15, Steiner disse que tem "expectativas muito altas" para o evento, porque "o funcionamento de nossos ecossistemas, claramente a cada ano que está passando, segue movendo-se cada vez mais para uma zona crítica e de perigo".

Relatórios científicos publicados este ano "apontam essencialmente para uma destruição dos próprios fundamentos, que realmente apoiam não apenas a vida natural no planeta, mas também nossas economias, nossa sociedade".

"Acho que a COP15 é um momento vital em que o mundo está realmente sendo pedido para adotar um novo quadro, o quadro global de biodiversidade pós-2020, que permitirá que os países, nacional e internacionalmente, elevem o nível de ambição para que possamos parar com essa destruição da natureza", acrescentou.

O projeto do quadro global de biodiversidade pós-2020 reconhece que, é necessária uma ação política urgente para transformar os modelos econômicos, sociais e financeiros em diversos níveis para que as tendências que agravaram a perda da biodiversidade se estabilizem até 2030, permitindo a recuperação dos ecossistemas naturais nos 20 anos posteriores, com melhorias líquidas até 2050.

"Kunming representa um momento em que você sabe que talvez seja análogo à jornada sobre a mudança climática que o mundo levou duas (a) três décadas para compreender a profunda ameaça ao bem-estar humano e ao nosso futuro das alterações do clima", enfatizou o chefe do PNUD.

"Na verdade, os cientistas muitas vezes falam sobre nós vivendo a sexta crise de extinção na história deste planeta. E esta é em grande parte induzida por humanos. Então, também significa que os humanos podem fazer algo para isso", afirmou.

"Acho que estamos em um ponto em que o mundo também está começando a perceber que os humanos não podem existir no século 21 sem a natureza", acrescentou.

Foto mostra a entrada do centro de mídia da 15ª reunião da Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica (COP15) em Kunming, Província de Yunnan, sudoeste da China, em 9 de outubro de 2021. (Xinhua/Chen Xinbo)


Comentários para "Chefe do PNUD elogia esforços da China para proteger biodiversidade, depositando grandes esperanças na COP15":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Estudo liga plano do Brasil para o clima a maior aquecimento

Na véspera da COP-26, na Escócia, que começa no dia 31, há uma expectativa sobre o que o Brasil vai apresentar.

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Comitê dos Direitos da Criança responsabiliza Brasil, Argentina, França, Alemanha e Turquia por falta de ação climática

Ativista Greta em protesto junto da ONU

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

Projeto dos EUA para reduzir impacto do desmatamento pode afetar exportações do Brasil?

A Sputnik Brasil conversou com dois especialistas sobre o impacto que um novo projeto de lei norte-americano sobre desmatamento ilegal no mundo pode ter para as exportações brasileiras

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

Amazonas vira epicentro da exploração madeireira da Amazônia

O desmatamento em junho deste ano, conforme Imazon, apontam para o terceiro maior índice de destruição da vegetação nos últimos 10 anos.

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Ação salva 70 jacarés que disputavam poça no Pantanal

Desde o início da intervenção na Ponte 3 da Rodovia Transpantaneira, caminhões-pipa de 16 mil litros fazem a reposição diária da água do corixo para beneficiar a população que permaneceu. Um trabalho de "enxugar gelo", segundo Martins, da Ecotrópica, porque o volume é consumido diariamente pelo uso e evaporação.

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Paraíba perdeu 0,28 milhões de hectares de Caatinga nos últimos 36 anos

Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro e está sendo devastado, segundo Mapbiomas.

Seca histórica no Pantanal provoca maior vazante em 121 anos

Seca histórica no Pantanal provoca maior vazante em 121 anos

Expectativa é que chuva na região seja acima do esperado

Jaques Wagner cobra posição do Brasil para COP-26

Jaques Wagner cobra posição do Brasil para COP-26

O projeto em questão é o PL 528/21, que cria o Sistema Brasileiro de Comércio de Emissões (SBCE) para regular o mercado nacional de carbono

Área ocupada pela agricultura na Caatinga cresce 1456% em 36 anos; pastagens têm salto de 48%

Área ocupada pela agricultura na Caatinga cresce 1456% em 36 anos; pastagens têm salto de 48%

Estudo do MapBiomas mostra que 112 municípios da Caatinga perderam 0,3 milhões de hectares de vegetação nativa em 36 anos

Perfuração foi 'potencial gatilho' de tragédia em Brumadinho, diz relatório

Perfuração foi 'potencial gatilho' de tragédia em Brumadinho, diz relatório

O relatório também deu atenção especial às operações realizadas no ano anterior ao rompimento, que envolveram perfuração horizontal para instalação de drenos e perfuração de furos verticais para instalação de piezômetros, diz o MPF.

Terra indígena que mais queima em 2021 enfrenta avanço da pecuária, desmatamento e pesca ilegal

Terra indígena que mais queima em 2021 enfrenta avanço da pecuária, desmatamento e pesca ilegal

TI Parque do Araguaia está no topo do ranking de focos de queimadas do Inpe em 2021