×
ContextoExato

"Confesso que ainda sou uma garotinha"

Foto:

Como Cássia Eller: confesso ainda ser uma garotinha.

Por Maria José Rocha Lima - 29/11/2018 - 19:14:32

“CONFESSO AINDA SER UMA GAROTINHA”

Governo dos anjos caídos ou servidão voluntária? Tudo parece dar no mesmo. E nós que tanto lutamos pela democracia, pelo tal sufrágio universal irrisório! Não desconfiava que o tal era mais irrisório do que acreditávamos. Tenho me batido, inconformada com a realeza democrática, quantos privilégios, quantos conluios, quantas máfias, quantos interesses excusos entrelaçados. Como Cássia Eller: confesso ainda ser uma garotinha. Não me conformo, me indigno, me deprimo com tanta truculência praticada pelos governantes desavergonhados, salafrários. Estes praticam crimes com requintes de crueldade e ainda, têm a audácia de se auto proclamarem: democratas, sóci(d)alista, como (nisto), como brincava comigo um judeu proprietário do apartamento no qual morei por 24 anos no Bairro do  Canela , em Salvador. Lembrando-me do querido judeu, me deu vontade escrever sobre o Discurso da Servidão Voluntária de autoria de Étienne de La Boétie, publicado originalmente após sua morte em 1563. Étienne de La Boétie no século XVI, nos advertia que havia três tipos de tiranos: os que obtém o reino por sucessão de sua raça; outros pela força das armas; outros por eleição do povo. Comumente os que nascem reis não são melhores, pois tendo nascido e sido criados no seio da tirania sugam a natureza do tirano com o leite, e agem com os povos a eles submetidos como seus servos hereditários e segundo a compleição a que estão mais inclinados, são avaros ou pródigos, tratando o reino como à sua herança.  Os que adquiriram o poder pelo direito da guerra comportam¬ se nele como se estivessem em terra conquistada. E  aqueles a quem o povo deu o estado  deveriam ser mais suportável e cri que o seria,  mas assim que se vê elevado acima dos outros, lisonjeado como um não sei quê que chamam de grandeza, decide não sair mais e  comumente  age para passar a seus filhos o poderio que o povo lhe outorgou; e desde que adotam essa opinião, é estranho mas superam os outros tiranos em vícios de todo tipo e até em crueldade, não vendo outro meio de garantir a nova tirania senão estreitando bastante a servidão e afastando tanto seus súditos da liberdade que, embora sua lembrança seja fresca, possam fazer com que a percam. Assim, para dizer a verdade, vejo que existe entre eles alguma diferença; mas escolha nenhuma vejo;  pois se diversos são as meios de aos reinados chegar, quase sempre semelhante é a maneira de reinar.

Comentários para ""Confesso que ainda sou uma garotinha"":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório