×
ContextoExato

Das 42 medalhas do Brasil nos Jogos Militares, 35 têm digital do Bolsa Atleta

Das 42 medalhas do Brasil nos Jogos Militares, 35 têm digital do Bolsa AtletaFoto: Vôlei feminino conquistou o título em cima das anfitriãs chinesas. Foto: Rodolfo Vilela

Integrantes do programa federal estiveram em oito das dez modalidades em que o país já "medalhou". Nesta terça, país somou 16 pódios, em judô, vela, atletismo, natação, golfe e vôlei

Rede Nacional Do Esporte - 23/10/2019 - 09:48:35

A digital do programa Bolsa Atleta é hegemônica na campanha do Brasil nos Jogos Mundiais Militares, em Wuhan, na China. Das 42 medalhas conquistadas pelo país até agora na competição que segue até o dia 27 de outubro, 35 tiveram participação de integrantes do programa da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, ou 83,33% do total. Os bolsistas marcaram presença em oito das dez modalidades que tiveram presença nacional até agora.

Ao todo, 70 atletas brasileiros já subiram ao pódio, levando em conta também as modalidades coletivas. Desse total, 45 (64,29%) são bolsistas. A campanha nacional soma dez ouros, 13 pratas e 19 bronzes. Nove dos dez ouros vieram da ação de bolsistas. O Brasil ocupa a terceira colocação provisória no quadro de medalhas, atrás apenas de China e Rússia. A diferença entre a contagem oficial (41) e a que a reportagem da Secretaria Especial do Esporte usa (42) é de uma medalha porque o pódio da ginástica artística não conta oficialmente para os organizadores do evento militar.

Embalos de terça

A terça-feira foi especial para a delegação brasileira. O país subiu ao pódio 16 vezes, em modalidades como natação, golfe, judô, atletismo, vela e vôlei. Na piscina, o destaque foi Guilherme Basseto, ouro nos 50m costas. Ele terminou a prova em 25s34, seguido na batida de mão pelo francês Jeremy Stravius (25s36). O italiano Niccolo Bonachi (25s51) foi o terceiro.

A natação conquistou ainda duas pratas: o paulista Pedro Spajari, de 22 anos, foi segundo colocado nos 100m livre ao completar a prova em 48s75. O ouro ficou com o russo Vladislav Grinev (47s86) e o bronze com o polonês Kacper Majchrzak (48s99). O carioca Guilherme Costa, de 21 anos, faturou a prata nos 400m livre em 3min49s37, atrás apenas do chinês Xinjie Ji (3min48s33). O ucraniano Sergii Frolov (3min50s73) ficou com o bronze.

As braçadas femininas trouxeram ainda dois bronzes: um na prova do revezamento 4 x 200m livre, com a equipe formada por Giovana Diamante, Larissa Oliveira, Manuella Lyrio e Gabrielle Roncato), e outro nos 50m borboleta, com Daiene Dias.

Ainda nas modalidades aquáticas, o Brasil faturou o ouro no lifesaving (salvamento aquático) de 4 x 50m feminino. A equipe formada por Priscila de Souza, Thais Xavier, Carolina Athayde e Isabel Fagundes fez o melhor tempo (1min40s97), com uma diferença de 14 centésimos em relação à equipe chinesa (1min41s11). O bronze foi para a equipe russa (1min41s16).

Atletismo

No atletismo, Darlan Romani manteve sua impressionante regularidade em 2019 e, com mais um arremesso acima dos 22 metros, conquistou o título da prova do peso. A boa safra de velocistas também se mostrou eficiente, com Paulo Andre em segundo lugar nos 100m (10s32) e Rosângela Santos (11s39) e Vitória Rosa (11s40) com prata e bronze na versão feminina da prova. O título masculino ficou com o iraniano Hassan Taftian (10s24) e a medalha de ouro no feminino foi para a francesa Carolle Zahi, com 11s36.

Na vela, Ana Barbachan e Geison Dzioubanov, militares da Marinha, venceram a prova mista da classe 470. No golfe, duplo ouro nacional entre as mulheres. No individual, Miriam Nagl conquistou o título. A prata ficou com Josephine Farrando, da França, e o bronze com Linda Jeffery, dos Estados Unidos. Na disputa por equipes, o time composto por Laura Caetano, Clara Teixeira e novamente Miriam Nagl foi o melhor. Elas formaram o pódio ao lado dos times dos Estados Unidos (prata) e da França (bronze).

No judô, duas conquistas por equipes. O time feminino, com Samanta Soares, Gabriela Chibana, Larissa Pimenta, Rafaela Silva, Tamires da Silva, Eleudis Valentim, Alexia Castilhos, Ellen Froner e Beatriz Souza, superou a Rússia por 3 x 1 e ficou com a medalha de bronze. O título ficou com a China, que venceu a França na final por 3 x 0. No masculino, Eduardo Yudy, Eduardo Bettoni, David Moura, Charles Chibana e Eduardo Katsuhiro levaram a prata, superados apenas pela Rússia na final: 3 x 0.

No vôlei, um triunfo emocionante da equipe feminina na final contra as donas da casa. O time brasileiro superou a China por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 23/25, 25/23 e 25/19, em duas horas e oito minutos de partida. Um duelo diante de 12 mil espectadores no ginásio de Wuhan. O terceiro lugar ficou com a seleção da Coreia do Norte, que venceu a Alemanha por 3 sets a 0 na disputa da medalha de bronze.

I nvestimento

Da lista de 345 atletas nacionais nos Jogos Mundiais Militares, 177 (51,3%) são contemplados com o Bolsa Atleta. Entre os convocados, 200 são homens (96 bolsistas) e 145 são mulheres (81 bolsistas). Considerando apenas as modalidades que fazem parte dos Jogos Olímpicos, a delegação brasileira conta com 288 atletas, sendo que 174 (60,4%) são bolsistas. O investimento total anual no grupo é de R$ 8 milhões.

rededoesporte.gov.br

Comentários para "Das 42 medalhas do Brasil nos Jogos Militares, 35 têm digital do Bolsa Atleta":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório