×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Declarações de Bolsonaro e extremismo nos EUA ligam alerta nas Forças Armadas

Declarações de Bolsonaro e extremismo nos EUA ligam alerta nas Forças ArmadasFoto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

Na avaliação dos integrantes das Forças Armadas, manifestações incentivadas por uma autoridade legalmente constituída, como Bolsonaro, podem ganhar maior proporção

Vicente Nunes, Simone Kafruni E Renato Souza - Correioweb - 08/01/2021 - 07:19:15

As declarações do presidente Jair Bolsonaro de que atos de violência, como os vistos na invasão do Congresso dos Estados Unidos, possam se repetir no Brasil em 2022 levantaram o alerta da alta cúpula das Forças Armadas. A avaliação, dentro de Exército, Marinha e Aeronáutica, é de que os militares, dificilmente, embarcariam em uma investida autoritária contra um presidente eleito. No entanto, existem preocupações com manifestações civis.


Um dos fatos lembrados no setor é a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), convocado pelo presidente Michel Temer, em 2017, contra manifestantes resistentes à reforma da Previdência e que depredaram edifícios da Esplanada. Naquele dia ocorreram tentativas falhas de invasão ao Congresso, repelidas pelas forças de segurança.


No entanto, na avaliação dos integrantes das Forças Armadas, manifestações incentivadas por uma autoridade legalmente constituída, como Bolsonaro, podem ganhar maior proporção, assim como ocorreu na capital norte-americana. “O que temos de ressaltar é que a nossa sociedade é mais jovem e imatura do que a norte-americana”, destaca um integrante da Aeronáutica, ouvido pela reportagem.

Repetição

Entre os especialistas, as impressões são parecidas, com maiores preocupações em torno de manifestações civis. O cientista político Cristiano Noronha, sócio da Arko Advice, lembrou que o discurso de Bolsonaro de contestar o processo eleitoral vem de antes de sua eleição. “Já disse que tem provas sobre isso, mas nunca apresentou. Se ele perder em 2022, vai colocar em dúvida as nossas urnas e pode acontecer coisa semelhante com o que ocorreu nos Estados Unidos”, afirmou. No entanto, Noronha acrescentou que os Poderes constituídos não vão corroborar a insurgência, tampouco as Forças Armadas.


“Não vai haver apoiamento por parte das Forças Armadas, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), do Congresso e, muito menos, do Supremo (Supremo Tribunal Federal). Existem mecanismos institucionais e democráticos de questionamento. Houve na chapa da ex-presidente Dilma e há em curso da chapa do próprio Bolsonaro”, pontuou. “A confusão pode ocorrer, mas não terá apoio, mesmo com militares no governo, porque estão lá como pessoas físicas e não como instituição. O risco de os militares apoiarem isso é muito baixo”, estimou.


Para o cientista político João Seres, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Bolsonaro cooptou os militares, empregando muitos deles, que ganham adicional no salário. “Essas pessoas vão apoiá-lo, muito mais por motivação econômica do que ideológica, mas isso não quer dizer que a instituição Forças Armadas vai se arriscar nessa aventura”, analisou.

Comentários para "Declarações de Bolsonaro e extremismo nos EUA ligam alerta nas Forças Armadas":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Guedes: Como pode o país que menos polui ser o mais agredido internacionalmente?

Guedes: Como pode o país que menos polui ser o mais agredido internacionalmente?

Quando pegamos os fluxos de poluição, o Brasil tem 1,7%, a Europa tem 15%, os Estados Unidos têm 15% e a China tem 30%.

Lançado há 2 anos, programa de Jair Bolsonaro para substituir Mais Médicos nunca abriu edital

Lançado há 2 anos, programa de Jair Bolsonaro para substituir Mais Médicos nunca abriu edital

Joice Hasselmann, Luiz Henrique Mandetta, Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão no lançamento do Médicos pelo Brasil, que ainda não saiu do papel

Quais os motivos e como amenizar impactos de possível greve de caminhoneiros no Brasil?

Quais os motivos e como amenizar impactos de possível greve de caminhoneiros no Brasil?

Caminhoneiros bloqueiam parcialmente a rodovia Castello Branco, em São Paulo, como parte de uma paralisação nacional protestando contra o alto preço do combustível e baixo valor na tabela de fretes

Indígenas Pataxó acusam latifundiário por tentativa de atropelamento no sul da Bahia

Indígenas Pataxó acusam latifundiário por tentativa de atropelamento no sul da Bahia

Segundo os indígenas, a etnia Pataxó ocupa a região há séculos

“É piada”: Caminhoneiros riem de ajuda de R$ 400 para compra de Diesel, anunciado por Bolsonaro

“É piada”: Caminhoneiros riem de ajuda de R$ 400 para compra de Diesel, anunciado por Bolsonaro

Em 2018, Brasil viveu a maior greve de caminhoneiros da sua história

Senado dos EUA nega verba para remoção de quilombolas em Alcântara

Senado dos EUA nega verba para remoção de quilombolas em Alcântara

Centro de Lançamento Espacial de Alcântara (CLA), no Maranhão

Ao completar 18 anos, o Bolsa Família beneficia 44 milhões, mas está prestes a ser desfigurado

Ao completar 18 anos, o Bolsa Família beneficia 44 milhões, mas está prestes a ser desfigurado

De acordo com o IPEA, entre 2003 e 2018 o programa reduziu em 25% a extrema pobreza no Brasil

Dois meses sem receber: Governo não paga bolsa de formação de docentes em universidade do RS

Dois meses sem receber: Governo não paga bolsa de formação de docentes em universidade do RS

Conselho Universitário (Consuni) e Conselho Estratégico (CES) aprovaram duas moções de repúdio ao MEC

Policias de Goiás e do Mato Grosso do Sul apreendem 2,5 toneladas de maconha

Policias de Goiás e do Mato Grosso do Sul apreendem 2,5 toneladas de maconha

A apreensão trouxe prejuízo estimado em R$ 2,5 milhões ao tráfico de drogas.

Estudo detecta

Estudo detecta "pandemia dos não vacinados" no Brasil, como aconteceu nos EUA e em Israel

Vacinação de adolescentes em Salvador (BA); desafio do Brasil é aumentar o alcance da imunização

Pistoleiros ameaçam famílias agricultoras do MST no interior de Tocantins

Pistoleiros ameaçam famílias agricultoras do MST no interior de Tocantins

As intimidações começaram na sexta-feira (15) com ataques a tiros e voltaram a ocorrer neste domingo (17)