×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 09 de dezembro de 2021

Delfim Netto: ‘Governo tem um lado iluminado e um lado sombrio’

Delfim Netto: ‘Governo tem um lado iluminado e um lado sombrio’Foto: Walter Campanato-Wikipédia

A seguir, os principais trechos da entrevista:

Estadão Conteúdo - 25/11/2019 - 06:52:11

Ex-ministro da Fazenda, da Agricultura e do Planejamento durante o regime militar, Antonio Delfim Netto, avalia que o atual governo tem um lado “iluminado”, onde tem sido feito o manejo correto da economia, mas que contrasta com um lado “sombrio”. Ele afirma que faz falta um projeto para o País, que tem andado em círculos nos últimos 40 anos, apesar de avanços. Ainda assim, ele diz acreditar que o futuro para o Brasil, como destino de investimento internacionais, pode ser promissor. A seguir, os principais trechos da entrevista:

Qual balanço pode ser feito desse primeiro ano de governo Bolsonaro na economia?

A área econômica tem ideias muito boas. As propostas do (ministro Paulo) Guedes são muito boas e a orientação também. Infelizmente, ele tem tido uma grande dificuldade, porque o governo tem dois lados: tem um lado sombrio e tem um outro que é iluminado. O lado sombrio tem feito muito estripulia, mas não tem conseguido atrapalhar de forma eficiente o lado iluminado. Mas o lado iluminado precisa dessa compreensão de que precisamos mobilizar os recursos para produzir o desenvolvimento do Brasil.

Qual seria o caminho para o País se desenvolver?

Não há nenhuma condição de se fazer isso sem entender que toda sociedade tem um dilema fundamental, que é produzir a sua autossuficiência. Mas isso implica em uma outra coisa: o que é produzido pode ser consumido ou investido. O que se consome, desaparece; o que é investido retorna para o estoque de capital, aumenta a produtividade e se reflete em mais desenvolvimento.

A crise política ainda atrapalha a recuperação da economia?

A sociedade que queremos deve buscar a igualdade de oportunidades, esse é o objetivo que está na Constituição de 88, que as pessoas insistem em ignorar. A Carta tem muitos exageros. Ela precisaria, realmente, de uma curetagem, tirar de lá tudo o que não é princípio ou direito, para permitir que a sociedade fosse se ajustando à mudança dos tempos. Os tempos mudam, não se pode imaginar uma Constituição que inclua tudo. O objetivo é insistir em uma sociedade onde os maiores valores são a liberdade e a igualdade de oportunidades, porque não adianta nada ser livre sem igualdade de oportunidades, não adianta dizer que quem nasceu num lar rico e quem nasceu na pobreza têm a mesma liberdade.

Havia muita expectativa no início do ano de uma retomada mais forte da economia, mas o crescimento ainda deve ser tímido. O sr. está otimista com o Brasil dos próximos anos?

Um sujeito com 91 anos, como eu, que for pessimista é um imbecil. Nós não temos competência para impedir o Brasil de crescer. Temos feito muita força, mas não temos tido sucesso.

Falta um projeto para o Brasil?

O Brasil, hoje, não se pensa. Na verdade, faz ao menos 50 anos que o País não se pensa. Nos anos 80, o Brasil tinha uma das indústrias mais sofisticadas do mundo. Quem diz isso não sou eu, mas os relatórios mais importantes do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial. O Brasil tem ficado nos últimos 40 anos em um estado de subdesenvolvimento, que não é absoluto, mas relativo. O País crescia a uma taxa bastante razoável, mas perdeu o caminho.

O governo tem se esforçado para que o Brasil entre na OCDE, organização conhecida como um clube de países ricos. Faz diferença ser sócio desse clube?

Isso é irrelevante. É muito bom entrar na OCDE, é um clube interessante, mas não é isso que vai produzir o desenvolvimento. O que vai desenvolver o País é a consciência nacional de que há limites que devem ser atingidos, os princípios e os direitos estão estabelecidos, mas isso não cria recursos. Os recursos são os que nós temos aqui, no País, e que estamos utilizando mal. O Brasil está investindo muito pouco e não tem nenhuma outra solução para o Brasil, a não ser voltar a investir.

Investir de que modo?

O Brasil tem oportunidades maravilhosas de investimentos, com taxas de retorno imensas, de 6%, 7%, para os próximos 30 anos. E o mundo está com taxas de juros negativas. O resto do mundo está à disposição do Brasil, se ele tiver o mínimo de inteligência. E mais do que isso: é visível a situação instável em que estão os outros países. Quem é que pode acreditar na estabilidade do Oriente Médio? Quem pode acreditar que os países ricos tenham um suprimento razoável de energia sem o controle do (presidente da Rússia, Vladimir) Putin?

Comentários para "Delfim Netto: ‘Governo tem um lado iluminado e um lado sombrio’":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Surto de coceira em Recife foi provocado por mariposas

Surto de coceira em Recife foi provocado por mariposas

Registro é da Sociedade Brasileira de Dermatologia

STF tem que defender o direito constitucional à moradia: Despejo zero já!

STF tem que defender o direito constitucional à moradia: Despejo zero já!

Marcha por Moradia Digna realizada pelo MTST em São Paulo

Apenas 14% dos estudantes da rede pública receberam auxílio-alimentação na pandemia

Apenas 14% dos estudantes da rede pública receberam auxílio-alimentação na pandemia

PNAE não foi pensado apenas para alimentação dos estudantes, mas para o fortalecimento da agricultura familiar

Comissão da Câmara amplia uso sustentável de florestas públicas

Comissão da Câmara amplia uso sustentável de florestas públicas

Texto tramita em caráter conclusivo, sem necessidade de ir a plenário

Polícia Federal investiga superfaturamento em licitação do Inep

Polícia Federal investiga superfaturamento em licitação do Inep

Ação mira contratação de empresa para realizar o Enem

Mais da metade dos maiores de 18 anos consomem bebidas alcoólicas

Mais da metade dos maiores de 18 anos consomem bebidas alcoólicas

Dado é de pesquisa do Instituto Brasileiro do Fígado

Pai é preso em Rondônia após menina de 13 anos pedir socorro em prova

Pai é preso em Rondônia após menina de 13 anos pedir socorro em prova

A menina de 13 anos autora da denúncia de violência doméstica tem mais três irmãos

Após investigação, PF culpa navio grego por derramamento de óleo no litoral brasileiro em 2019

Após investigação, PF culpa navio grego por derramamento de óleo no litoral brasileiro em 2019

A Polícia Federal (PF) concluiu as investigações sobre a origem das manchas de óleo que atingiram o litoral brasileiro entre agosto de 2019 e março de 2020.

População local do Rio Madeira vê o drama por trás da rotina do garimpo

População local do Rio Madeira vê o drama por trás da rotina do garimpo

“Tinha mulher, criança de colo. O povo estava sem ter o que comer nem lugar para dormir. Passaram a noite ali no flutuante. No outro dia, arrumaram umas doações. Depois, deram um jeito de ir embora.”

Como o acesso facilitado a armas de fogo beneficia as milícias no Rio de Janeiro?

Como o acesso facilitado a armas de fogo beneficia as milícias no Rio de Janeiro?

Acesso a armamentos está ocorrendo em contexto que não houve nenhum avanço com relação as regras de controle

Gov.Br envia mensagens para ofertar serviços públicos digitais

Gov.Br envia mensagens para ofertar serviços públicos digitais

Notifica Gov.Br, do Ministério da Economia, entrou em fase de testes