×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de outubro de 2021

Drone, testado no Brasil, demonstra eficácia no combate a doenças transmitidas por mosquitos

Drone, testado no Brasil, demonstra eficácia no combate a doenças transmitidas por mosquitosFoto: WeRobotics

Protótipo pode transportar até 50 mil mosquitos estéreis por voo para reduzir população de insetos; doenças propagadas por vetores respondem por 17% de infecções levando a mais de 1 milhão de mortes anualmente

Onu News - 10/01/2021 - 15:11:03

O uso de drones pode aumentar a eficácia e reduzir custos na aplicação de uma técnica nuclear contra doenças transmitidas por mosquitos. A constatação é de um estudo da Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea.

A descoberta pode levar à implantação em larga escala desse método para controlar os vetores de doenças como dengue, febre amarela e Zika.

Mosquitos macho nos laboratórios da Aiea, antes de serem esterilizados usando radiação.

Mosquitos

O estudo, publicado na revista Science Robotics, testou o uso de um drone para liberar mosquitos estéreis, uma técnica usada há 60 anos no combate a pragas agrícolas como a mosca da fruta do Mediterrâneo e a mosca tsé-tsé.

A técnica, conhecida como SIT, usa radiação para esterilizar insetos machos que são liberados para acasalar com fêmeas selvagens. Como não produzem descendentes, a população de insetos diminui com o tempo.

O método requer a liberação uniforme de um grande número de insetos em boas condições. O protótipo do drone, testado em abril de 2018, pode transportar até 50 mil mosquitos estéreis por voo, liberando-os sem perda de qualidade em mais de 20 hectares de terra em 10 minutos.

Romeo, um dos drones usados para transportar mosquitos

Importância

Em comunicado, o autor principal do estudo, Jeremy Bouyer, disse que “as descobertas representam um grande avanço para a expansão do uso de SIT contra mosquitos.”

Com pernas longas e frágeis e asas delicadas, os mosquitos podem ser facilmente danificados usando métodos de liberação de ar como aviões. Por isso, até agora, os mosquitos eram espalhados por meios terrestres, que são caros, trabalhosos e demorados.

Segundo o novo estudo, as áreas cobertas por um voo de drone de 10 minutos, por exemplo, exigiriam duas horas e o dobro de recursos humanos se feito por terra. A inovação permite uma grande redução nos custos operacionais, mantendo a qualidade do inseto estéril.

Sede da Aiea em Viena, na Áustria.

Doenças

A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima que as doenças transmitidas por vetores respondem por 17% das infecções, levando a mais de 1 milhão de mortes a cada ano, mas os países geralmente carecem de recursos para programas de erradicação de mosquitos em grande escala.

No estudo, Eric Rasmussen, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Washington, diz que “esta nova técnica é barata o suficiente para permitir uma redução na miséria de doenças transmitidas por mosquitos em quase qualquer lugar.”

A Aiea desenvolveu o mecanismo em parceria com a Organização da ONU para Alimentação e Agricultura, FAO, e o grupo WeRobotics.

A Aiea lembra que os mosquitos, que transmitem as doenças, estão cada vez mais resistentes a inseticidas

Juazeiro da Bahia

O teste de campo foi realizado na cidade de Juazeiro, no estado da Bahia, no nordeste do Brasil, em colaboração com o programa Moscamed.
A Aiea e seus parceiros agora trabalham para desenvolver uma versão menor do drone, que pode transportar cerca de 30 mil mosquitos.

Isso é importante para cumprir regulamentações para voar com drones em áreas urbanas, onde os mosquitos Aedes, que transmitem doenças, tendem a se concentrar.

A agência também está trabalhando para refinar métodos para separar insetos machos e fêmeas durante o processo de criação. Essa etapa do processo ainda é feita manualmente, o que aumenta os custos.

Comentários para "Drone, testado no Brasil, demonstra eficácia no combate a doenças transmitidas por mosquitos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Estudo aponta redução de atendimentos de saúde mental durante a pandemia

Estudo aponta redução de atendimentos de saúde mental durante a pandemia

UnB, UFGRS e Hospital das Clínicas de Porto Alegre fizeram a pesquisa

Governador do DF prevê desobrigar uso de máscara em ambientes abertos em novembro

Governador do DF prevê desobrigar uso de máscara em ambientes abertos em novembro

O número de vacinados com a 2ª dose ou dose única havia alcançado a taxa de 59,96% da população acima de 12 anos até hoje. Um total de 86,84% tomou a 1ª dose da imunização contra a covid.

Distrito Federal tem a menor mortalidade infantil no Brasil

Distrito Federal tem a menor mortalidade infantil no Brasil

No DF, teste do pezinho permitirá a detecção de até 53 doenças do bebê – antes, eram 40

Fatos e fakes sobre o câncer de mama, o mais comum entre as mulheres

Fatos e fakes sobre o câncer de mama, o mais comum entre as mulheres

Estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta 66 mil novos casos da doença no Brasil até o final de 2021

Saúde celebra Dia Mundial de Combate à Poliomielite

Saúde celebra Dia Mundial de Combate à Poliomielite

A prevenção à pólio, doença viral infecto contagiosa, começa ainda na infância. Último caso da doença no DF foi notificado em 1987. No Brasil, em 1988.

Aumenta circulação de subvariante Delta em Belém do Pará

Aumenta circulação de subvariante Delta em Belém do Pará

“Nessas análises a Sesma detectou uma uma subvariante Delta, a AY.33, circulando em Belém e que pode não ser detectada por testes rápidos e pelos protocolos padrões de RT-qPCR”, informou, em nota, a secretaria.

Laboratório do DF é referência nacional e auxilia no controle da raiva

Laboratório do DF é referência nacional e auxilia no controle da raiva

Laboratório foi criado em 1978, quando ocorreu o único caso de raiva humana no Distrito Federal

Passaporte da vacina vai estimular mais gente a se imunizar, defende infectologista

Passaporte da vacina vai estimular mais gente a se imunizar, defende infectologista

Projeto de Lei pretende exigir comprovante de vacinação em locais de uso coletivo do DF

DF antecipa aplicação de vacinas da Pfizer e da AstraZeneca

DF antecipa aplicação de vacinas da Pfizer e da AstraZeneca

A segunda dose das vacinas AstraZeneca e Pfizer-BioNTech já pode ser administrada, a partir desta sexta-feira, em quem já tomou a primeira dose há oito semanas

Pacientes que não tomaram a vacina são maioria nos hospitais de campanha do DF

Pacientes que não tomaram a vacina são maioria nos hospitais de campanha do DF

Imunizante está disponível para toda a população a partir de 12 anos de idade, em diversos pontos da capital

Queda de cabelo afeta a autoestima: Tratamentos clínicos na tricologia são opção

Queda de cabelo afeta a autoestima: Tratamentos clínicos na tricologia são opção

“O cabelo deve receber atenção especial o tempo todo. Cuidados preventivos constantes são importantes no enfrentamento de eventuais problemas, independente da origem”