×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

Estabelecimento é condenado por vender produto vencido e causar intoxicação alimentar

Estabelecimento é condenado por vender produto vencido e causar intoxicação alimentarFoto: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDFT

Cabe recurso da sentença.

Tribunal De Justiça Do Distrito Federal E Dos Territórios – Tjdft - 13/01/2021 - 11:37:12

A Companhia Brasileira de Distribuição terá que indenizar um consumidor que apresentou quadro de intoxicação alimentar após consumir um alimento fora do prazo de validade. A decisão é da juíza substituta da 2ª Vara Cível de Ceilândia.

O autor conta que, no dia 29 de março, comprou no estabelecimento da ré quatro unidades de muffins. Após comer uma das unidades, o consumidor passou mal, sendo diagnosticado com infecção alimentar. Ele afirma que o produto foi vendido pela ré fora do prazo de validade, que era de 25 de março. Pede indenização pelos danos morais e materiais.

Em sua defesa, o supermercado alega que não há provas de que o muffin teria causado danos ao autor. Defende a inexistência de dano e requer a improcedência do pedido.

Ao julgar, a magistrada destacou que os elementos apresentados pelo autor demonstram que houve defeito no serviço prestado pela ré e que há nexo de causalidade entre o dano e a venda do produto fora do prazo de validade. O relatório médico juntado aos autos informa “quadro clínico sugestivo de intoxicação alimentar após a ingestão do muffin com data vencida”.

“Não há que se falar, portanto, em inexistência de defeito em relação ao muffin adquirido no estabelecimento da ré, sobretudo porque feriu a incolumidade física do consumidor e representou acidente de consumo, restando demonstrados a ocorrência do dano (intoxicação alimentar) e o nexo causal entre o dano e a compra do produto com prazo de validade vencido”, pontuou, lembrando que é ônus do fornecedor adotar mecanismo de controle para evitar a venda de produtos vencidos.

A julgadora explicou ainda que, no caso, houve violação aos direitos de personalidade do autor, o que enseja a indenização por danos morais. “Ao fornecer alimento com prazo de validade vencido, a ré colocou em risco a saúde dos consumidores e ainda lhes causaram danos indesejados, agravando-lhes o desassossego e o sofrimento”, frisou.

Dessa forma, a Companhia Brasileira de Distribuição foi condenada a pagar ao autor a quantia de R$ 3 mil a título de danos morais. A ré terá ainda que reembolsar R$ 5,40, referente ao valor pago pelo muffin vencido.

Cabe recurso da sentença.

PJe : 0714738-73.2020.8.07.0003


Comentários para "Estabelecimento é condenado por vender produto vencido e causar intoxicação alimentar":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Agora é lei no DF: Mulher terá direito a acompanhante em consultas e exames

Agora é lei no DF: Mulher terá direito a acompanhante em consultas e exames

Estabelecimentos de saúde devem informar a legislação, já em vigor, em local de fácil acesso; multa está prevista para descumprimento

Teto para aposentadorias e pensões do INSS sobe para R$ 7.087 em 2022

Teto para aposentadorias e pensões do INSS sobe para R$ 7.087 em 2022

Pela legislação federal, o índice de reajuste do benefício de aposentados e pensionistas que recebem valor superior ao do salário mínimo é definido pela variação INPC do ano anterior.

Ômicron: TJDFT altera Portaria sobre retomada das atividades presenciais e limita acesso aos fóruns

Ômicron: TJDFT altera Portaria sobre retomada das atividades presenciais e limita acesso aos fóruns

Segundo a nova Portaria, fica vedado o atendimento ao público externo nos balcões das unidades judiciais e pelas instituições que funcionem nos edifícios do TJDFT

Habilitação vencida de junho a agosto de 2020 deve ser renovada até 31 de janeiro

Habilitação vencida de junho a agosto de 2020 deve ser renovada até 31 de janeiro

Data foi estabelecida por deliberação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), tendo em vista as medidas de enfrentamento à covid-19 no DF

Quem está prestes a se aposentar precisa estar atento nas novas regras

Quem está prestes a se aposentar precisa estar atento nas novas regras

Agência Brasil explica: mudanças nas aposentadorias em 2022

Indique os créditos do Nota Legal para desconto no IPTU e IPVA

Indique os créditos do Nota Legal para desconto no IPTU e IPVA

Começa nesta terça-feira (4) o abatimento dos impostos para os contribuintes

Atenção, beneficiário! Prova de vida volta a ser exigida em 2022

Atenção, beneficiário! Prova de vida volta a ser exigida em 2022

Documentação necessária deve ser apresentada em qualquer agência do BRB

Receita emitirá certidões negativas somente pela internet

Receita emitirá certidões negativas somente pela internet

Medida vale a partir de 1º de janeiro

Procon-SP e Itapemirim assinam termo para ressarcir consumidores

Procon-SP e Itapemirim assinam termo para ressarcir consumidores

Em caso de descumprimento, empresa pagará multa de R$ 5 milhões

'Não fazer nada é perpetuar os privilégios brancos e o racismo'

'Não fazer nada é perpetuar os privilégios brancos e o racismo'

As companhias contribuem com quantias de R$ 250 mil a R$ 500 mil por ano (de acordo com o porte da empresa).

Justiça reconhece câncer provocado por agrotóxico e INSS aposenta agricultora: “Quase me matou

Justiça reconhece câncer provocado por agrotóxico e INSS aposenta agricultora: “Quase me matou"

Elena Lugaresi da Rosa em sua casa, no municipio de Palmitos, em Santa Catarina