×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de janeiro de 2022

Estamos sob o reinado da estupidez, diz autor de 'Cale a boca, jornalista!'

Estamos sob o reinado da estupidez, diz autor de 'Cale a boca, jornalista!'Foto: Estadão

Escritor e jornalista Fernando Jorge se diz impressionado com constantes ataques do presidente Jair Bolsonaro à imprensa: 'Ele prega o ódio contra a imprensa e ele é responsável'

Estadão Conteúdo - 06/05/2020 - 12:07:42

"Como vai a luta, aí? Estamos sob o reinado da estupidez". Foi assim que o escritor e jornalista Fernando Jorge , de 92 anos, atendeu a reportagem do Broadcast/Estadão. Em meia hora, a conversa foi centrada no título de uma de suas obras, uma frase quase literalmente repetida pelo presidente Jair Bolsonaro na manhã de terça-feira, 5.

" Cale a Boca, Jornalista! ", lançado na década de 1980, relata ataques sofridos por profissionais da imprensa no Brasil desde a época imperial, com destaque para o período do regime militar, marcado por forte repressão, tortura e mortes. O título do livro, por mais atual que possa parecer, também surgiu de um militar como Bolsonaro.

Era dezembro de 1983, o general Newton Cruz, ex-chefe do Serviço Nacional de Informação (SNI) e então responsável pelo Comando Militar em Brasília se irritou com o jornalista Honorio Dantas em uma entrevista coletiva sobre medidas de emergência adotadas na capital federal. "Cale a boca", disse Cruz ao ser indagado. Após pedir para Dantas desligar o gravador e encerrar a entrevista, Cruz partiu para a agressão ao repórter.

Mesmo com pesquisas e relatos colhidos em oito anos para a primeira edição de seu livro, Fernando Jorge se diz impressionado com as falas e os constantes ataques do presidente à imprensa. "Os ataques à imprensa se sucedem ininterruptamente. É impressionante", disse.

Ele citou também as agressões sofridas por profissionais no domingo, 3, em Brasília, durante manifestação em frente ao Palácio do Planalto. "Ele prega o ódio contra a imprensa e ele é responsável. E não se apiedou dos jornalistas agredidos".

Medroso

Fernando Jorge conta ter conhecido Bolsonaro em 1997 quando ambos participaram, ao lado do jornalista e à época deputado estadual Afanasio Jazadji, de um programa de televisão. Segundo o escritor, na antessala da emissora, antes de entrarem no estúdio, indagou o então deputado Bolsonaro se Fernando Henrique Cardoso (então presidente) teria consultado os militares para unificar os ministérios da Marinha, do Exército e da Aeronáutica na pasta da Defesa.

Bolsonaro teria dito que os militares não foram consultados e foi provocado por Fernando Jorge. "Perguntei por que não houve protesto dos militares e ele disse que era porque não havia mais líderes nas Forças Armadas". Em seguida, segundo seu relato, o escritor cobrou o então deputado se ele próprio não deveria ter protestado na tribuna da Câmara. "Ele respondeu que não, porque seu protesto não teria repercussão. (...) Depois comentei com Afanasio: 'esse Jair Bolsonaro me deu a impressão de ser um homem tímido, medroso, ou qualquer coisa, né?'".

Obra incompleta

Fernando Jorge diz que segue o provérbio de que "a obra que não tiver a colaboração do tempo, não resistirá à ação do próprio tempo". Por isso, " Cale a Boca, Jornalista! " foi atualizado nas reedições e até ganhou como subtítulo "O ódio e a fúria dos mandões contra a imprensa brasileira".

Mas, para o escritor, os ataques de Bolsonaro a jornalistas tornaram a obra incompleta. "Meu livro está incompleto e seria necessário escrever até um novo com o título 'Cale a boca, Bolsonaro'. Mas pretendo, se Deus permitir, embora esteja na última fase da minha vida (atualizar a obra). Será um capítulo extenso, porque a quantidade de ataques é impressionante e sistemática".

Aos 92 anos, Fernando Jorge se considera um "pré-cadáver" e segue em casa cumprindo a quarentena necessária para se proteger da covid-19 . E cita mais dois provérbios antes de encerrar a conversa. "Tem aquele português que diz: boa romaria faz quem em sua casa fica em paz", e outro, japonês: "perseverar é cair sete vezes e levantar-se oito".

Este último, segundo ele, é para os que enfrentam situações difíceis. Inclusive os jornalistas.

Comentários para "Estamos sob o reinado da estupidez, diz autor de 'Cale a boca, jornalista!'":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Primeira vacinada do Brasil deseja um 2022 com 100% vacinados e sem uso de máscara

Mônica Calazans, enfermeira e primeira vacinada no Brasil

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Brumadinho: Três anos depois, o que mudou ?

Fotografia tirada após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, que matou 272 pessoas

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Servidores federais fazem atos em Brasília por reajuste salarial

Cerca de 50 categorias pedem reajustes de 20% a 28%

"A luta dos povos indígenas é uma luta válida e importante para todo o povo"

A Festa do Murici e Batiputá acontece entre os dias 12 e 15 de janeiro

Ministro de Minas e Energia quer o Cade investigando preços abusivos da Petrobras

Ministro de Minas e Energia quer o Cade investigando preços abusivos da Petrobras

Na avaliação do ministro, a investigação do Cade não tem atribuição de segurar o preço dos combustíveis. Mas pode corrigir práticas da empresa, caso fique configurada alguma distorção.

Coronavírus: Ciência e Tecnologia suspende trabalho presencial em quatro órgãos

Coronavírus: Ciência e Tecnologia suspende trabalho presencial em quatro órgãos

O Brasil enfrenta uma nova onda de aumentos de casos de covid-19 por causa da variante Ômicron

Câmara deve retomar trabalho remoto após aumento de casos de Covid-19

Câmara deve retomar trabalho remoto após aumento de casos de Covid-19

Medida ainda não foi oficializada pelo presidente da Casa

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Pauta do ano coloca Supremo Tribunal Federal novamente em evidência, apontam especialistas

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, quem recebe a vacina contra a covid leva um livro para casa

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Em ato simbólico, xavante de 8 anos de Piracicaba recebeu imunizante

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Decisão pode ser revista caso prefeitura revise planejamento