×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

Estudantes de todo o país se mobilizam em defesa da Amazônia durante encontro no Maranhão

Estudantes de todo o país se mobilizam em defesa da Amazônia durante encontro no MaranhãoFoto: Enzo Ferraro

Estudante de Direito, o indígena Alexandre Arapiun fala sobre o papel da educação para a preservação da Amazônia.

Mariana Castro - Brasil De Fato | Imperatriz (ma) - 07/12/2021 - 18:45:45

O I Encontro dos Estudantes da Amazônia, no Maranhão, marca um processo de compromisso e resistência

Estudantes de todo o país ocuparam a capital do Maranhão, São Luís, durante os dias 2, 3 e 4 de dezembro para a realização do I Encontro dos Estudantes da Amazônia. Apesar da diversidade cultural, a escolha da ilha do reggae se deu pela intensificação dos conflitos no campo e desmatamento do bioma.

O Maranhão é o segundo estado com maior número de conflitos no campo, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra. Além disso, se consolida enquanto fronteira agrícola e sede de grandes empreendimentos que avançam violentamente sobre territórios de trabalhadores rurais, quilombolas e indígenas.

Estudantes apostam na reestruturação das bases estudantis para um projeto coletivo de defesa da Amazônia - Karla Boughoff

Dom Erwin Krautler: "A Amazônia ainda é considerada colônia por esse governo"

Realizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), o encontro se deu por mesas de debates temáticas que pautaram as medidas necessárias para o desenvolvimento econômico sustentável na região, bem como a reflexão sobre os atuais danos causados pela exploração predatória.

Leandro Diniz representa a juventude do campo em debate sobre modelos de desenvolvimento e preservação / Arquivo Pessoal

Anfitrião do estado e facilitador na mesa de debate Amazônia em Disputa: Modelos de Desenvolvimento e Preservação , o representante do Movimento Sem Terra (MST), Leandro Diniz, explica a importância do encontro, especialmente durante o projeto de destruição em curso pelo governo Bolsonaro.

"Partimos de uma iniciativa que coloca em prática a valorização e o protagonismo de estudantes que estão em espaços estratégicos e colocam como uma aposta para o futuro a Amazônia, tendo a educação como um caminho para isso", explica Diniz.

A escravidão na Amazônia: livro denuncia quatro décadas de exploração na região

"Esse encontro se configura como um espaço importante, no momento em que a Amazônia está sendo destruída pelos interesses do capital internacional, mas sobretudo por um projeto que está em curso pelo governo brasileiro", ressalta.

Assistente Social, Leandro Diniz faz parte do Coletivo Nacional da Juventude Sem Terra e pontua que o encontro deve provocar a reflexão e organização de um projeto que garanta não só a sobrevivência dos povos do campo, como também o futuro da Amazônia.

"O encontro tem esse caráter de discutir a Amazônia, mas também provocar a sociedade a pensar por que a Amazônia está sendo destruída e os territórios dos povos tradicionais que fazem a preservação do meio ambiente estão sob ataque contínuo de várias forças, das grandes empresas, do estado brasileiro. Ele provoca debates importantes para pensar o processo de resistência, mas também um projeto de sobrevivência dos povos do campo e do futuro da Amazônia".

Adidas, Nike, Zara e Puma: estudo escancara relação de marcas com desmatamento na Amazônia

Entre os estudantes, se destaca a presença de jovens indígenas dos estados do Maranhão, Santa Catarina, Amazonas e do Pará, estado com maior número de conflitos no campo em todo o país.

De lá, o estudante indígena da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Alexandre Arapiun compôs a mesa Papel da Educação e da Ciência na Preservação e Desenvolvimento da Amazônia e destaca a organização do movimento indígena e a ascensão de lideranças jovens em meio a um processo de ataques.

Arapiun lamenta que a participação da juventude tenha se intensificado pela necessidade de resistência, mas destaca que está surgindo um novo momento, baseado nos ensinamentos deixados pelos mais velhos.

Ele lembra que o ano de 2021 foi marcado por grandes encontros dos povos que configuram a força e o levante do movimento indígena no país, como o Acampamento Terra Livre, em abril, o Levante pela Terra, em junho, a Marcha das Mulheres Indígenas, em setembro, além do I Fórum dos Estudantes Indígenas e Quilombolas, em outubro.

:: Nova corrida do ouro ilegal leva 1,8 mil homens ao Rio Madeira, na Amazônia ::

Os espaços foram fundamentais para a concretização do protagonismo da juventude indígena, que hoje ocupa os territórios, as universidades, as lutas e as redes.

"Esse protagonismo da juventude de hoje é um reflexo de resistência, justamente por receber essa mensagem de que 'tudo que nós tem, é nós'. Então se a gente não lutar por nós, ninguém vai lutar", aponta.

"Esse foi o ensinamento passado pelos nossos mais velhos e nós recebemos a mensagem. Vamos lutar lado a lado, ombro a ombro com os nossos mais velhos, mas que sim, chegou o momento de tomarmos a frente das organizações, até porque não lutamos somente pelo nosso futuro, lutamos para sobreviver hoje".

Após três dias de debates temáticos e atos culturais, o encontro foi encerrado com cortejo no centro histórico. / Jonathan Sales - UJS

O I Encontro dos Estudantes da Amazônia marca um processo de compromisso e resistência da base estudantil, a partir da organização da União Nacional dos Estudantes (UNE), por meio do Circuito Universitário de Cultura e Arte (Cuca da UNE), com o apoio da União Brasileira dos Estudantes (Ubes, Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), a Organização Continental Latino Americana e Caribenha dos Estudantes (Oclae) e Governo do Estado do Maranhão.

O encerramento aconteceu nas ruas do centro histórico de São Luís, em cortejo cultural que culminou em um encontro com movimentos sindicais e sociais das mulheres, que marchavam durante o ato nacional “ Bolsonaro nunca mais ”.

Edição: Leandro Melito

Comentários para "Estudantes de todo o país se mobilizam em defesa da Amazônia durante encontro no Maranhão":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Equador ratificou a criação da nova Reserva Marinha de Galápagos anunciada na COP26

Equador ratificou a criação da nova Reserva Marinha de Galápagos anunciada na COP26

A reserva marinha recentemente criada adiciona 60 mil quilômetros quadrados à Reserva Marinha de Galápagos

Aquecimento global obriga Brasil a se preparar melhor para prevenir desastres

Aquecimento global obriga Brasil a se preparar melhor para prevenir desastres

Há uma semana, Pará de Minas, na Grande Belo Horizonte, pediu aos moradores abaixo da Usina do Carioca para deixarem suas casas. Havia risco iminente de rompimento.

Estado inicia análise das informações de 31 barragens em nível de emergência de Minas

Estado inicia análise das informações de 31 barragens em nível de emergência de Minas

Relatório será elaborado para cada uma das estruturas de contenção

Xinjiang da China vê aumento significativo em terras ecologicamente funcionais

Xinjiang da China vê aumento significativo em terras ecologicamente funcionais

Foto aérea tirada em 15 de junho de 2021 mostra a vista do pasto do verão na Montanha Barlik no distrito de Yumin, Região Autônoma Uigur de Xinjiang.

Energia solar é foco de projetos sustentáveis no Brasil

Energia solar é foco de projetos sustentáveis no Brasil

Em relação ao cenário nacional, o Brasil, no ano de 2021, entrou para o ranking dos 15 países com maior capacidade de energia solar do planeta, a previsão é a de que em 2022 os investimentos no setor cresçam ainda mais

Pesquisadores investigam comportamento agressivo de botos na Amazônia

Pesquisadores investigam comportamento agressivo de botos na Amazônia

Ataque de machos a filhotes, inclusive a recém-nascidos, não é comum

Sem verba, monitoramento do desmate no Cerrado está prestes a ficar às cegas

Sem verba, monitoramento do desmate no Cerrado está prestes a ficar às cegas

Não se pode dizer que o fim do financiamento foi uma surpresa para o MCTI.

Um patrimônio natural ameaçado

Um patrimônio natural ameaçado

Chapada do Araripe tem mais de 180km e atravessa os estados de Pernambuco, Ceará e Piauí

Desmatamento muda forma de transmissão da malária, indicam estudos da USP

Desmatamento muda forma de transmissão da malária, indicam estudos da USP

Desenhando o estudo

China estabelecerá sistema nacional de jardim botânico

China estabelecerá sistema nacional de jardim botânico

Foto aérea tirada em 26 de setembro de 2021 mostra a vista da Estufa de Plantas Fuligong no Jardim Botânico de Kunming em Kunming, Província de Yunnan, sudoeste da China.

Ano Internacional busca proteger e recuperar destinos de montanhas

Ano Internacional busca proteger e recuperar destinos de montanhas

Alpinista nepalês e sua equipe juntaram 500 kg de lixo no Monte Manaslu do Nepal, a oitava montanha mais alta do mundo,