×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 21 de setembro de 2021

Itália busca equilíbrio para tornar turismo mais sustentável após pandemiaFoto: Xinhua/Jin Mamengni

Itália busca equilíbrio para tornar turismo mais sustentável após pandemia

Uma turista joga uma moeda na bacia da Fontana di Trevi em Roma, Itália, no dia 11 de julho de 2021.

Portal Xinhua De Noticias - 13/07/2021 - 07:36:39

Nos últimos dois anos, o enorme setor de turismo da Itália tem sido um estudo de contrastes: primeiramente, muitos turistas lotando os pontos mais populares do país, depois quase ninguém. Atualmente, o setor está tentando encontrar o equilíbrio certo entre os dois extremos.

Antes da pandemia de coronavírus chegar à Itália, a grande preocupação com o turismo era a superlotação: o impacto na infraestrutura, no meio ambiente e na qualidade de vida dos residentes e muitos milhões de turistas que se aglomeravam em muitos locais, como Florença, Roma e Veneza.

Então, com a pandemia, o turismo foi virtualmente interrompido em meio à quarentenas de coronavírus e restrições de viagens. O setor de turismo, que foi responsável por arrecadar 236,4 bilhões de euros (280,6 bilhões de dólares americanos) em gastos em 2019 antes da pandemia, produziu apenas 115,8 bilhões de euros no ano passado, segundo a empresa de dados Statista.

De acordo com a maioria das estimativas, o setor não deve se recuperar aos níveis pré-pandêmicos até o final de 2023 ou início de 2024. Mas os líderes políticos e muitos que trabalham no setor estão tomando medidas agora para garantir que, à medida que o setor se fortaleça, evite problemas de superlotação que marcaram o período pré-pandêmico.

"O objetivo é reformar o setor para que ofereça um nível de serviço superior e personalizado e opções menos centralizadas que anteriormente", disse à Xinhua, Gianfranco Lorenzo, chefe do departamento de pesquisa do Centro de Estudos Turísticos de Florença (CST-Firenze).

"A Itália deveria parar de enfatizar a dependência de grandes ônibus de turismo que param em estacionamentos e sobrecarregam uma pequena cidade por algumas horas, (mas promovem) mais turismo de alta qualidade que mostra aos visitantes as maravilhas do país além das poucas dezenas de lugares que todos conhecem lá", disse Lorenzo.

Valeria Minghetti, pesquisadora-chefe do Centro de Estudos Internacionais sobre Economia do Turismo da Universidade Ca' Foscari, em Veneza, disse que o problema de sobrecarregamento de turismo não é exclusivo da Itália.

Ela citou que destinos turísticos populares na Europa, como Amsterdã, Barcelona e Paris, têm problemas semelhantes. Ela disse que essas cidades deveriam compartilhar informações e melhores práticas para ajudar a mudar a mentalidade do turista médio.

"Não há motivos para que as pessoas façam fila para ver um local famoso, quando há muitos que são tão importantes e impressionantes quanto e poucas pessoas conhecem", disse Minghetti à Xinhua.

Essas estratégias já estão em desenvolvimento.

Neste verão, por exemplo, muitas cidades estão tentando chamar a atenção dos visitantes para atrações ao ar livre, como jardins extensos e ruínas arquitetônicas, onde os visitantes podem permanecer espalhados para manter baixos os riscos de infecção por coronavírus.

A Galeria Uffizi de Florença, um dos museus mais visitados da Itália, lançou a iniciativa "Uffizi Diffusi", nome se traduz aproximadamente como "Uffizi Scattered" - que inclui a exibição de algumas das coleções da galeria em museus em cidades menores da Toscana para ajudar a atrair turistas que, de outra forma, teriam passado seu tempo na superlotada Florença.

O diretor da Uffizi, Eike Schmidt, disse à Xinhua que acredita que o plano da galeria pode servir como um modelo para outras partes da Itália e até mesmo em outros países.

Antes da pandemia, a Itália atraía uma média de quase 100 milhões de turistas anualmente, de acordo com cálculos do Conselho de Turismo do Governo Italiano (ENIT). Lorenzo, da CST-Firenze, disse que reduzir o impacto dos turistas não significa que o país terá que receber menos turistas futuramente.

"Em alguns anos, poderíamos ter ainda mais turistas do que tínhamos antes da pandemia", disse ele. "Mas para que isso seja sustentável, eles apenas precisam ser distribuídos de maneira mais uniforme".

Comentários para "Itália busca equilíbrio para tornar turismo mais sustentável após pandemia":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório