×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de junho de 2022

Livro de pesquisadora italiana investiga a ciência de dados

Livro de pesquisadora italiana investiga a ciência de dadosFoto: Divulgação DINO

Ciência de dados beneficia área científica e mercado corporativo

Dino - Estadão Conteúdo - 15/06/2022 - 06:42:48

Qual o impacto dos dados para a produção científica? Para tentar responder a esta questão, levantada pela pesquisadora italiana Sabina Leonelli, a Editora Fiocruz lançou no final de maio o título “A Pesquisa Científica na Era do Big Data: cinco maneiras que mostram como o Big Data prejudica a ciência, e como podemos salvá-la”. O livro de Leonelli reúne ideias para que os dados sejam melhor utilizados pela ciência.

A obra reúne ideias e lições extraídas dos anos de estudos da pesquisadora. Em entrevista divulgada pela Fiocruz, Leonelli destaca que “a verdadeira promessa do Big Data é permitir o estabelecimento de conexões entre setores e abordagens que, no passado, se mostraram difíceis, tanto por barreiras sociais quanto por razões técnicas, de dialogar diretamente”.

A autora sugere deixar de lado definições físicas para o Big Data para se concentrar no modo como ele é utilizado. Segundo ela, dados de diversos tipos e origens se relacionam, de várias formas e para vários propósitos, mas devem facilitar a produção de novos procedimentos de análise e conhecimento.

Para Leonardo Pedroso Costa, especialista em ciência de dados, a publicação traz para o centro da pauta a relação entre Big Data e a ciência, mostrando como é possível haver uma melhor sinergia entre as duas.


“Com o uso do Big Data, as áreas de Medicina de Precisão, Prontuário eletrônico de Pacientes e IoT (internet das coisas, em português) podem ser aprimoradas a ponto de obter melhores resultados e agilidade no atendimento dos pacientes”, afirma. “Saber se um anticoagulante resolve o mesmo problema em todos os pacientes é impossível: talvez ele não funcione para grávidas, tabagistas, pacientes oncológicos, e a medicina de precisão (precision medicine) tem como objetivo ajudar a resolver esse problema”, completa.

Em vez de prescrever o mesmo anticoagulante oral para todos os pacientes, prossegue, espera-se que, um dia, seja possível indicá-lo apenas a indivíduos para os quais o medicamento funcione, de fato, por meio do Big Data e análise de dados. “A realidade brasileira é que cada unidade de saúde, seja ela particular ou não, tem um prontuário eletrônico próprio para cada paciente, podendo ser digitalizado ou em papel - o que dificulta a obtenção de melhores diagnósticos”, informa ele.


Ciência de dados beneficia área científica e mercado corporativo

De acordo com Costa, a ciência de dados pode ajudar a acelerar os estudos científicos, pois centenas de padrões podem ser facilmente testados e aprovados com apenas alguns cliques e processamentos. “Os padrões podem ser usados como validação de resultados, onde o cientista faz a análise, testa, e depois utiliza a ciência de dados como contraprova do seu resultado”

O especialista conta que a ciência de dados começou para valer no início dos anos 2000. Antes disso, o custo computacional era muito caro, não havia programas com interface GUI para o usuário entrar com os dados e obter as saídas, era preciso programar cada etapa do software e dependia de máquinas externas para processamento. 'Essas máquinas eram restritas a universidades, governos e grandes companhias, fazendo com que o custo e o acesso se tornassem altíssimos”.

Segundo Costa, foi com a popularização dos computadores, e com o aumento da oferta de vagas nas universidades, que a Ciência de Dados passou a ser utilizada de forma ampla. Conforme os avanços tecnológicos e de conhecimento aconteceram, a ciência de dados foi surgindo e evoluindo de forma natural para corresponder aos anseios e possibilidades de se trabalhar com dados nas organizações.

“Em 2013, a IBM compartilhou estatísticas mostrando que 90% dos dados do mundo tinham sido criados nos últimos dois anos, o que aponta para um futuro ainda muito promissor para a área de dados”, reporta

Para mais informações, basta acessar: https://www.sqleo.com br/

Website: https://www.sqleo.com.br/


Comentários para "Livro de pesquisadora italiana investiga a ciência de dados":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Em 10 anos, inteligência artificial pode ter sentimento, diz executivo

Em 10 anos, inteligência artificial pode ter sentimento, diz executivo

Curitiba sedia Viasoft Connect, evento de inovação

Cibercriminosos passam mais tempo em redes de pequenas empresas

Cibercriminosos passam mais tempo em redes de pequenas empresas

Segurança cibernética precisa cobrir os sistemas utilizados fora do escritório

Messi e Neymar do PSG unem forças com Jay Chou para redefinir a arte e a caridade no metaverso

Messi e Neymar do PSG unem forças com Jay Chou para redefinir a arte e a caridade no metaverso

Quem é Jay Chou?

Dia Internacional de Combate ao Discurso de Ódio ressalta ameaças atuais

Dia Internacional de Combate ao Discurso de Ódio ressalta ameaças atuais

ONU destaca que discurso de ódio se tornou um dos métodos mais frequentes para difundir retóricas e ideologias que causam divisão

Geração Millennial é tão suscetível a golpes virtuais quanto idosos

Geração Millennial é tão suscetível a golpes virtuais quanto idosos

Idosos têm maiores perdas porque seu patrimônio e renda são maiores

Pais homoafetivos usam a internet para naturalizar novas formações familiares

Pais homoafetivos usam a internet para naturalizar novas formações familiares

Conscientização, inspiração e quebra de tabus

Experiência internacional inspira aceleração do uso de veículos elétricos no Brasil

Experiência internacional inspira aceleração do uso de veículos elétricos no Brasil

Caso de sucesso internacional vira referência

Só vai sobreviver à transformação digital quem subverter a ordem!

Só vai sobreviver à transformação digital quem subverter a ordem!

A urgência para conseguir profissionais leva muitas empresas a contratar “os melhores” ainda em treinamento nos cursos de capacitação

Mudança climática revela seres semelhantes a caranguejos debaixo do gelo da Antártica

Mudança climática revela seres semelhantes a caranguejos debaixo do gelo da Antártica

Cientistas encontraram um enxame de artrópodes quase meio quilômetro abaixo da superfície da Antártica enquanto estudavam o impacto da mudança climática no continente.

Pesquisadores usam leite materno contra Covid-19 em imunossuprimido

Pesquisadores usam leite materno contra Covid-19 em imunossuprimido

Doadora estava vacinada; pesquisa foi publicada em periódico médico

Brasil lidera ranking entre os povos que mais acreditam na ciência, diz pesquisa

Brasil lidera ranking entre os povos que mais acreditam na ciência, diz pesquisa

Pesquisa realizada pela 3M, aponta que 92% dos brasileiros confiam na ciência e 90% nos cientistas