×
ContextoExato
Responsive image

Luís Roberto Barroso suspende devassa da CPI das Fake News sobre bolsonarista

Luís Roberto Barroso suspende devassa da CPI das Fake News sobre bolsonaristaFoto: O Antagonista

Barroso considerou que o pedido de acesso aos dados está mal fundamentado, pois não detalha supostas condutas delituosas de Salomão, nem a utilidade de tais dados para o trabalho da CPI.

Por Renan Ramalho-o Antagonista - 13/02/2020 - 10:10:39

O ministro Luís Roberto Barroso suspendeu a remessa à CPI das Fake News do histórico de conversas mantidas e páginas acessadas no Facebook e no Twitter por Edson Salomão, chefe de gabinete do deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP).

A devassa nas redes foi pedida pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), com base no depoimento de Joice Hasselmann (PSL-SP) à CPI, que acusou o assessor parlamentar de espalhar ofensas na internet contra autoridades.

Barroso considerou que o pedido de acesso aos dados está mal fundamentado, pois não detalha supostas condutas delituosas de Salomão, nem a utilidade de tais dados para o trabalho da CPI.

Os dados pedidos, afirmou, “integram aspectos da intimidade e da vida privada resguardados do acesso e conhecimento de terceiros e do Estado, por força de comandos constitucionais e legais”.

O mais surpreendente, no entanto, é que Edson Salomão também se tornou alvo do inquérito inconstitucional aberto no ano passado por Dias Toffoli para investigar supostas ofensas a ministros do STF.

Em dezembro, ele teve celular e notebook apreendidos pela Polícia Federal, por ordem de Alexandre de Moraes, que conduz a apuração.

A O Antagonista, ele afirmou que busca foi motivada pelo mesmo depoimento de Joice e negou ataques ao STF — disse que apenas compartilhava memes de protesto nas redes.

“A PF foi na minha casa por causa de memes!”, protesta novo alvo de inquérito inconstitucional

" /> Joice comemora operação do STF contra desafeto

Comentários para "Luís Roberto Barroso suspende devassa da CPI das Fake News sobre bolsonarista":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório