×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de outubro de 2021

Mulheres são discriminadas em muitos países na hora de registrar nascimento de bebês

Mulheres são discriminadas em muitos países na hora de registrar nascimento de bebêsFoto: © Unicef/Rahani Kaur

Relatório conjunto do Unicef e do Acnur mostra que barreiras que incluem exigência da presença de um homem na hora do registro levam a estigmas e complicações para o futuro das crianças, muitas acabam por se tornar apátridas por falta de uma certidão de nascimento

Portal Onu News De Noticias - 29/07/2021 - 14:42:04

Muitas mulheres ainda enfrentam desafios na hora de registrar seus filhos e filhas após o nascimento.

Um estudo conjunto do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, revela que em muitos países, as mães são discriminadas na hora de obter a certidão de nascimento das crianças, o que expõe os bebês a ficarem apátridas, como são chamados os que não têm pátria.

Hoje, um em cada quatro menores de cinco anos idade não tem certidão, de acordo com dados do Unicef

Hoje, um em cada quatro menores de cinco anos idade não tem certidão, de acordo com dados do Unicef

Médico

O relatório “Discriminação no Registro de Nascimento” lista que as barreiras são associadas a legislações e a normas culturais que tendem a formar as práticas na hora de registrar um bebê.

Em alguns países, o pai ou um outro membro masculino da família é quem é autorizado a registrar o menor, as mães nesses casos só podem obter a certidão em circunstâncias excepcionais. E sem a presença do pai, a criança pode ficar sem certidão para sempre.

Há ainda situações em que médicos, parteiras e líderes comunitários que participam do nascimento têm prioridade no registro da criança, ficando a mãe em segundo lugar.

Parteira em Addis Abeba, na Etiópia, examinando mãe e bebê

Ethiopian Midwives Association

Parteira em Addis Abeba, na Etiópia, examinando mãe e bebê

Direitos

E em alguns países, o direito da mulher de registrar os filhos dependerá da habilidade dela de provar se o bebê nasceu dentro do casamento, o que exige uma certidão de matrimônio.

Para o Unicef, o mais importante é garantir o registro civil da criança, o que confere uma identidade a ela. Quando a mulher não goza de direitos iguais, as crianças sofrem automaticamente.

Hoje, um em cada quatro menores de cinco anos idade não tem certidão, de acordo com dados do Unicef. Cerca de 273 milhões de crianças vivem sem esse documento.

Com uma certidão, as crianças têm acesso à nacionalidade com base nos registros civis de identidade dos pais.

Países como Sudão do Sul, Guiné, Moçambique e Nepal reformaram suas legislações de registro civil para alcançar a paridade entre os pais

Países como Sudão do Sul, Guiné, Moçambique e Nepal reformaram suas legislações de registro civil para alcançar a paridade entre os pais

Moçambique

O diretor assistente do Unicef para Proteção da Criança, Cornelius Willians, disse que é fundamental que todas as crianças tenham certidão para que a saúde e o bem-estar delas possam ser garantidos.

A agência pede a governos de todo o mundo que tomem medidas urgentes para acabar com a discriminação e para que mulheres e homens tenham os mesmos direitos na hora de registrar seus filhos.

Países como Sudão do Sul, Guiné, Moçambique e Nepal reformaram suas legislações de registro civil para alcançar a paridade entre os pais.

A Declaração dos Direitos da Criança da ONU inclui o registro de nascimento entre os direitos fundamentais dos menores.
.

Comentários para "Mulheres são discriminadas em muitos países na hora de registrar nascimento de bebês":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Projeto promove educação antirracista em Taguatinga, no Distrito Federal

Projeto promove educação antirracista em Taguatinga, no Distrito Federal

‘Cidade Cor’ vai reunir estudantes de 34 escolas para bate-papo e show da cantora Ellen Oléria

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

O sonho de ser modelo, ela relata, começou aos 16 anos, quando foi internada com meningite bacteriana e ficou dez dias em coma.

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Segundo as investigações da polícia, o gerente cometeu atitude discriminatória contra a delegada Ana Paula Barroso, que é negra no último dia 14 de setembro.

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.