×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de novembro de 2021

Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis

Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseisFoto: ADB/Ariel Javellana

Emissões com a queima de carvão contribuem para a poluição em Ulaanbaatar, na Mongólia.

Agência Onu News De Noticias - 20/10/2021 - 19:59:06

Levantamento do Pnuma mostra que governos trabalham para produzir petróleo, gás natural e carvão num volume 110% maior do que o considerado consistente para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 ° Celsius; Brasil é destaque no relatório por ter plano nacional que estimula investimentos e aumento da produção até 2030.

Um levantamento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, mostra que a produção global de combustíveis fósseis está, de forma muito perigosa, fora de sincronia com as metas estipuladas no Acordo de Paris.

Apesar das ambições demonstradas pelos governos, e por compromissos com emissões zero de carbono, os países preveem produzir, até 2030, petróleo, gás natural e carvão em um volume que é mais do que o dobro do ideal para limitar o aumento da temperatura global a 1,5° Celsius.

Brasil estimula investimentos

Setor de petróleo e gás corresponde a 13% do PIB brasileiro.

Agência Brazil/Fernando Frazão

Setor de petróleo e gás corresponde a 13% do PIB brasileiro.

O Relatório sobre a Lacuna de Produção 2021 foi divulgado esta quarta-feira e traz detalhes dos planos de governos dos 15 maiores produtores, incluindo Austrália, Brasil, China e Estados Unidos. O perfis mostram que a maioria dos governos continua oferecendo grande apoio político para a produção de combustíveis fósseis.

Este é exatamente o caso do Brasil. Apesar do país ter oficialmente a meta de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 43% até 2030, o Pnuma revela que o governo “encoraja novos investimentos” e planeja aumentar a produção nacional de combustíveis fósseis.

Janela prestes a se fechar

Inger Andersen, diretora executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma

Pnuma/Natalia Mroz

Inger Andersen, diretora executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma

O relatório cita o Plano Nacional de Energia 2050, aprovado pelo Ministério das Minas e Energia no ano passado. O projeto mostra que o governo brasileiro tem a intenção de “atrair investimentos para aumentar a produção de petróleo e de gás” e assim, ficar entre os “cinco maiores produtores do mundo”. Pelo plano, a produção de petróleo deve subir 60% e a de gás natural, 110% até 2030.

A diretora-executiva do Pnuma acredita que ainda há tempo para limitar o aquecimento a longo prazo, “mas essa janela de oportunidade está se fechando rapidamente”. Segundo Inger Andersen, os governos devem aproveitar a COP-26 para “tomar medidas imediatas para fechar a lacuna na produção de combustíveis fósseis”.

Os planos produção dos governos levariam a 240% mais carvão, 57% mais petróleo e 71% mais gás em 2030 do que o volume que seria consistente para limitar o aquecimento global a 1,5°C.

Estímulo para investir em energias renováveis

Energia limpa, como a eólica, é chave para emissões zero.

Foto: Unsplash/Appolinary Kalashnikova

Energia limpa, como a eólica, é chave para emissões zero.

O Pnuma revela também que desde o início da pandemia da COVID-19, os países investiram mais de US$ 300 bilhões em novos fundos para atividades de combustíveis fósseis - mais do que eles têm direcionado para fontes de energia renovável.

Para o secretário-geral da ONU, o relatório mostra que “existe um longo caminho para um futuro de energia limpa”.

António Guterres declarou que continua sendo urgente que investidores públicos e privados, incluindo bancos comerciais, invistam em energias renováveis para promover a “descarbonização” do setor elétrico e para que todos tenham acesso às energias renováveis”.

Comentários para "Na contramão do Acordo de Paris, países planejam mais que dobrar produção de combustíveis fósseis":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Elegis promove curso sobre os 5Rs da Sustentabilidade

Elegis promove curso sobre os 5Rs da Sustentabilidade

O curso é aberto a todos os servidores públicos

FAO lança ferramenta que ajuda a reverter perda florestal e combater mudanças climáticas

FAO lança ferramenta que ajuda a reverter perda florestal e combater mudanças climáticas

Mulher vende batatas no Peru.

Desmatamento na Amazônia passa de 13 mil km² entre agosto de 2020 e julho de 2021

Desmatamento na Amazônia passa de 13 mil km² entre agosto de 2020 e julho de 2021

Queimada na Amazônia durante última semana de julho, mesmo com moratória do fogo no bioma.

Petrobras e BNDES vão ampliar investimentos em restauração florestal

Petrobras e BNDES vão ampliar investimentos em restauração florestal

Anúncio foi feito durante a COP26, em Glasgow

1 bilhão vão sofrer calor extremo se temperatura aumentar 2°C

1 bilhão vão sofrer calor extremo se temperatura aumentar 2°C

Alerta é feito por especialistas que participam da conferência

Brasileiros apresentam na COP26 agenda com caminhos inovadores para a Amazônia

Brasileiros apresentam na COP26 agenda com caminhos inovadores para a Amazônia

Izabella Teixeira em frente à exposição sobre a Amazônia, de Sebastião Salgado, na COP26

Na COP26, Rio de Janeiro promete, cobertura de Mata Atlântica em 40% do estado em 2050

Na COP26, Rio de Janeiro promete, cobertura de Mata Atlântica em 40% do estado em 2050

Além de apresentar resultados e compromissos no combate às mudanças climáticas, o estado convidará participantes de todo o mundo para a Rio+30, evento que celebrará, em 2022, os 30 anos da realização da Eco92.

COP26: Brasil, Estados Unidos e China não assinam acordo para zerar energia à base de carvão

COP26: Brasil, Estados Unidos e China não assinam acordo para zerar energia à base de carvão

Lideranças indígenas, como a cacica Juma Xipaya, criticam hidrelétricas na Amazônia

A região que mais exige certificados ambientais no Brasil

A região que mais exige certificados ambientais no Brasil

Pesquisa CNI/FSB descobriu quais regiões mais respeitam a disseminação de boas práticas na cadeia produtiva

Desmatamento amazônico: Analista não vê soluções regionais ou globais 'sem o Brasil sentado à mesa'

Desmatamento amazônico: Analista não vê soluções regionais ou globais 'sem o Brasil sentado à mesa'

Ante o anúncio pelos EUA que criaria em breve uma parceria regional contra o desmatamento na Amazônia, a Sputnik Brasil ouviu a opinião de um especialista quanto à iniciativa e ao papel do Brasil no assunto

Você conhece os ODSs dos seus NDCs? Como digerir a sopa de letras da COP26

Você conhece os ODSs dos seus NDCs? Como digerir a sopa de letras da COP26

Existem 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ou ODSs, interligados